5.1.08

Palavras



Em horas escolhidas ao acaso
recordo palavras que me trazem
outras palavras, outros sons,
outras sombras;
palavras redondas como os seios
das meninas, em cujos olhos
se anuncia um brilho inquietante;
palavras que resvalam pela fala
e transformam o vulto
incerto das mãos em pássaros
ébrios de fogo, ou explodindo de luz
como se fossem astros;
palavras sangrando na boca,
ou um desvio, tecido às cegas,
para deixar entrar a noite.


Graça Pires
De Não sabia que a noite podia incendiar-se nos meus olhos, 2007

24 comentários:

DE-PROPOSITO disse...

palavras redondas
---------
Palavras que rodopiam, e não há maneira de lhes chegar.
Felicidades.
Manuel

herético disse...

palavras como lâminas de cristal. vibrantes e belas...

hfm disse...

"palavras redondas como os seios
das meninas, em cujos olhos
se anuncia um brilho inquietante;"

e como estas palavras ficaram cá dentro a bater forte nas memórias. As palavras, sempre elas, fugidias e imprescindíveis.

Maria Luar disse...

Deixa ficar comigo a madrugada
É noite de lua cheia

abracinho

*
xi
*

Sophiamar disse...

Palavras...tão grande o seu poder!

Beijinhos

teresa p. disse...

Palavras que dissemos, palavras que calámos, palavras que nos trazem o eco de outras palavras, como uma referência ou um lema, ou, tão somente, como uma saudade.

Beijinhos

reflexões da natureza disse...

Acidentalmente esbarrei num blog de alguem que faz parte do universo de pessoas que respeito por serem genuínas e ponderadas.

Abraço, Graça.

Il est intérressant ton blogue. Bravo.

soledade disse...

Trançando memórias que se ligam até ao tempo das "palavras redondas", da plenitude, do tempo sem rasuras, perfeição que o globo da fotografia ilustra. Palavras pregnantes, capazes de transformas vultos incertos em pássaros de fogo. A poesia, enfim, não é essa a magia que se faz com palavras? :)
Um beijo, uma boa semana, Graça

Elizabeth F. de Oliveira disse...

A palavra é a ferramenta do poeta. E você sabe usá-la como poucos, conseguindo criar belas esculturas de letras e sentimentos.
Grande abraço
Elizabeth F. de Oliveira

José-António disse...

Sou responsável pelo 'Podcast' "Sons da Escrita" e gostava muito de fazer um ciclo de programas com textos seus.
Como não consegui o seu endereço de email, socorri-me desta estratégia para entrar em contacto consigo. Se quiser fazer uma avaliação dos "Sons da Escrita", este é o endereço de onde pode partir:
http://web.mac.com/mnemosine/Podcasting
O meu email é: mnemosine@mac.com.
(Claro que este 'post' é para apagar!)

Teresa Durães disse...

palavras de arremesso que saem para sepultar quem queremos desviar pela boca

São disse...

Lindo poema, mais uma vez.
Que 2008 te traga a publicação do livro que tanto mereces!!
Beijos.

Vieira Calado disse...

Um belo poema sobre as palavras.
Elas são grande parte das nossas vidas. Por isso também lhes dedico afeição (e alguns poemas).
Bem haja

Luis Eme disse...

palavras... palavras que unes e dás cor, vida e sentido...

abraço

isabel mendes ferreira disse...

palavras sangrando na boca,
ou um desvio, tecido às cegas,
para deixar entrar a noite.




______________________
______________________
depois "disto"....


só resta silenciar-me.





beijo-te.

Monte Cristo disse...

Palavras ditas num outro tempo, num outro espaço, num labiritnto de sentimentos cuja saída ignoramos.

Palavras que, muitas vezes, são o que nos resta.

Não é?

Outro belo (mas triste) poema.

Pena disse...

Doce e Simpática Amiga:
As suas brilhantes palavras de poetisa doce e terna encantam.
Servem para sonhar e sonhar...!
Tudo é belo quando o dia e a noite entram nelas e decoram a Alma. Uma Alma enorme num coração gigantesco que é o seu.
Obrigado por poetizar tão bem o sonho inconformado dos poetas.
Nunca serei um poeta.
Esses choram. Riem. Estão tristes e alegres.
Inconformados por não compreender a existência, doce, afável, que prima pela delícia e maravilha, como você é.
Parabéns.
Gostava de ser um poeta. Sonho muito as ideias. O sentimento. O pensar.
Obrigado por decorar ternamente o meu "cantinho" pela força expressiva de lindas palavras. Magníficas.
Beijinhos amigos sentidos e puros

pena

São disse...

Viva!
Só para te abraçar!

Paula Raposo disse...

Palavras em horas ao acaso que se tornam em belo poema! Beijos.

Graça Pires disse...

Obrigada a todos vocês que amam as palavras. E se servem delas para dizer o que sentem. E as lêem nos poemas que eu escrevo e nos que os outros escrevem. E as usam com coragem, com amor, com mágoa, com alegria.
Bem-hajam pelas palavras que me deixaram aqui. Um beijo a todos.

maria m. disse...

com palavras (o teu dom das palavras) escreves sobre palavras (a memória das palavras, no que que são brilho, êxtase, sangue na boca, amor e desamor, alegria e dor,...).

rouxinol de Bernardim disse...

Palavras embebidas em mel de romantismo... sabe bem lê-las... e saboreá-las!

São disse...

Luz da Manhã espera-te lá em casa. Agradeço que a aceites.
Semana de Luz!

lena disse...

palavras que entraram na noite e me encantaram


obrigada Poeta, por partilhares o que tão bem sabes fazer

abraço-te com ternura Graça Pires

um beijo


lena