17.2.09

Perto do meu corpo

D'Angelo

Conheço um rio sem destino,
confluência de mágoas e de sonhos,
onde os barcos navegam para o sul.

Perto do meu corpo nada é interdito,
a não ser um súbito verão
prolongado nas franjas da memória.

Amanhece na espessura dos desejos,
como se a madrugada descrevesse
a violência, em rotação azul,
ou crescessem papoilas nos olhos de quem ama.


Graça Pires
De Poemas, 1990

55 comentários:

Victor Oliveira Mateus disse...

Gosto dos "rios sem destino"
incutem em nós a virtude da ousadia

Belo poema... como sempre, claro!
Um beijo, Graça.

maria carvalhosa disse...

Lindo, querida Graça. A tua fonte poética é inesgotável e a fasquia mantém-se sempre no nível mais alto.
Beijos amigos.

Isabel disse...

eu conheço sim a tua Alma.

que guardo em cada linha em cada página dos teus livros em cada angulo do teu sorriso.


como gosto do que escreves GRAÇA.


MUITOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.



beijo. solar.



.piano.

Paula Raposo disse...

Lindo o teu poema! Como sempre...adorei! Beijos.

Bob disse...

Ola, tudo bem.Adorei seu blog, vamos fechar parceria, com troca de links ou banners?aguardo resposta.Um super abraço.

http://poemasepoesias-blog.blogspot.com/

adelaide amorim disse...

Tão bonito, Graça!
Beijo

Adriana disse...

"ou crescessem papoilas nos olhos de quem ama." Que lindo, e o Dángelo merece a homenagem!

Eduardo Aleixo disse...

Lindo, o teu poema, Graça.
Bj.
Eduardo

Pena disse...

Estimada e Terna AMIGA:
A sua ternura preenche o seu coração fantástico. "...O rio onde os barcos navegam para sul..."
Um belíssimo poema de amor,"... onde tudo amanhece...prolongando nas franjas da memória...". Lindo...!
"...Fruto de quem ama..."
Um amor intenso. "Fulminante" saído da sua expressão deliciosa e bela. Um sentimento que elogio com convicção e seriedade.
Extraordinário, num Ser Humano fascinante de pureza e ternura.
Admirável.
Beijinhos amigos de imenso respeito, estima e consideração.
OBRIGADO pelo gesto de carinho deixado expresso no meu "cantinho".
Cordialmente e sempre atento ao que escreve ternamente

pena

Excelente "sentir" e "ser", maravilhosa amiga!

Regina disse...

Estará mesmo interdito um súbito verão?
Pelo calor das palavras, não acredito...

beijo

Luis Eme disse...

pois conheces... um rio com palavras belas...

abraço Graça

mundo azul disse...

_____________________________

...lindo poema!

Você escreve muito bem...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

________________________________

fred disse...

Belíssimo poema, Graça.
Beijo

Eduardo Aleixo disse...

Com que então apetecia-te ser a Lídia de Ricardo Reis!
Lídia é um nome bonito.
Mas o teu também. Tem Graça.
Eduardo

maría nefeli disse...

São palavras que disseste e que que eu tinha em silêncio...não posso falar perante tanta beleza...
um beijo

JPD disse...

Olá Graça

Aproveitando o talento da Sophia M. Breyner, acrescento:

«Como o rumor do mar dentro do búzio/ O divino sussurra no universo/ Algo emerge: primordial projecto»

(Depois daquela sucessão de dias sombtios e lúgubres, estes dias soalheiros têm sido uma delcia!)

Bjs

casa de passe disse...

lindo !

Beijocas da
(Loulou)

maré disse...

crescem as papoilas nos olhos de quem ama
crescem sim, nas margens desse rio que as alimenta
.
às vezes mágoa
às vezes sonho

_______

comoventemente Belo, Graça.

um beijo grande e azul

PreDatado disse...

Muito bonito.
(como nos habituou)
Beijo.

Mésmero disse...

rs

Papoula nos olhos é ótimo...

partilha de silêncios disse...

A nossa "viagem" é esta confluência de mágoas e de sonhos.

um beijinho

mateo disse...

Quantos desejos o rio vive na foz... Quantas marés de vai-e-vem com o oceano que é mulher...
Rio sem foz... não é rio.
Bjs

CNS disse...

Caudal de cor.

um beijo

Peter Pan disse...

Maravilhosa Amiga:
Realmente, a minha linda amiga maravilha.
É adorável e de imensa significação o que refere com beleza e pureza. Um poema esclarecedor do que vai em si.
Li com atenção o seu lindíssimo poema feito com a sua ternura e o seu encanto inigualável e doce.
Sabe, que é linda?
Preenche nas atitudes, nos gestos, na sensatez e sobriedade muito apurada e lúcida, espalhando o bem-estar e alegria de viver por onde passa.
Excelente!
Fascina quando escreve com o coração ENORME.
Beijinhos amigos de imenso respeito pela doce preciosidade que é.
Maravilhado pelo seu encanto...


Peter pan/Pena

tecas disse...

Sublime inspiração poética.
< fruto que ama > O fruto da sua alma.
Bji e obrigada por me honrar com a sua visita ao meu blog.

Menina_marota disse...

"...ou crescessem papoilas nos olhos de quem ama."

fico-me por aqui a ler e a sensibilidade de cada instante, é como uma rosa que vai pouco a pouco, abrindo-se para o sol...

Um grande abraço minha querida Graça

alice disse...

nos olhos de quem ama nasce o ópio das papoilas que crescem no poema! um grande beijinho, graça.

De Amor e de Terra disse...

É Amiga; às vezes, as flores crescem, desmesuradamente, nos olhos de quem ama, de quem se ama...
Como sempre, belíssimo este prosema.

Um bejo Graça.

Maria Mamede

simplesmenteeu disse...

Da minha janela sufocada, vejo o rio.
Mas, se calo na descrença o verão tardio... desenho papoilas e, sem me dar conta, em leve movimento, oriento minhas velas para sul...

Encontrá-la... é sempre uma emoção renovada.
Obrigada pela magia da sua poesia.
Beijo

Navegante das palavras disse...

Gostei muito da forma como utilizas as palavras.
Obrigado

São disse...

Que essas papoilas floresçam sempre com vigor...
Um abraço, Graça.

Gisela Rosa disse...

"...um rio sem destino...
Amanhece
como se a madrugada descrevesse
papoilas nos olhos de quem ama."


Perdoe-me Graça mas desconjuntei alguns versos seus para lhe dizer o que senti ao ler o seu poema. Belíssima essa liberdade que só o corpo da escrita engendra! Beijo

mariab disse...

poesia de sentidos delicados, com uma musicalidade intrínseca. muito bele.
beijo

teresa p. disse...

"...um rio sem destino,
confluência de mágoas
e de sonhos,..."
Imagem carregada de sentimento,
neste poema de amor... lindissímo como sempre!
Beijo.

tinta permanente disse...

Anatomias em flor!...


abraços!

Pedro S. Martins disse...

A escrita num abraço embalador.

triliti star disse...

um rio só teu
onde te banhas

até
ao fim



até ao fim dos dias.

Cata-Vento disse...

Um poema lindíssimo! Gosto tanto de te ler, Graça!

Bem-hajas, poeta!

Beijinhos

pin gente disse...

tão belo como as papoilas que livremente crescem no prado

um beijo, graça

Huma Senhora disse...

Definitivamente, adoro o azul dos seus poemas.
Beijos

viernes disse...

palavra difícl a que tem de amanhecer na espesura do desejo...
belo poema,
um beijo

MADRUGADA... disse...

Este poema faz-me acreditar que quando se ama podem-se deixar as coisas correm ao acaso.

Belo poema.

ESCONSOLADO disse...

Estive garimpando blogs de poesia. Achei um tesouro neste aqui

maria m. disse...

belíssimo poema de amor e desejo, Graça!

Beijos.

Artur Gonçalves Dias disse...

O rio sem destino é a esperança azul no sonho que nos acorda constantemente.

Belo poema

Saudações

Peter Pan disse...

Sensível Amiga de sonho:
Um texto mágico e lindo. Com um requinte frásico admirável. Fabuloso "sentir" e "ser".
Adorei!
Bem-Haja, amiguinha.
Beijinhos de parabéns com imenso respeito, estima e consideração.
Sempre a admirá-la de forma preciosa e perfeita pela sua genialidade bela...
Um texto significativo em busca de uma identidade de deslumbre e beleza que reflecte e faz reflectir. Preenche pela pureza e beleza das palavras extraordinárias de uma sensibilidade fantástica ímpar...

Peter Pan/Pena

Preoupo-me de forma gigante com o trabalho infantil.
Todas as profissões quando honestas e íntegras são dignas e têm imenso valor nos domínios pessoal, social e humano...Desculpe, sim...!!!
Está arreliada com o Peter Pan...???

hora tardia disse...

um bom fim de semana...."maneiro" claro!



e o meu abraço. terníssimo.

vaandando disse...

Cresçam papoilas !

Beijo

________ JRMARTO

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Para lhe dizer que coloquei o seu blog numa lista de amigos que publicaram poemas meus, em seus blogs.

E também, que não consigo encontrar o seu endereço.

Peço imensa desculpa.

Se não se importa, faça-me o favor de mo enviar de novo, para mandar-lhe o que prometi.

Obrigado

espelho sem reflexo disse...

Pois, nada é interdito. E a quem lê é possível ficar também um pouco mais perto, nem que seja das franjas da memória.

Bonito.

cumprimentos,
fs

Bandida disse...

o ponto de fuga é a partícula da pele. sempre além do que se diz.


magnífico, Graça.


beijo

Sophie Gaarder disse...

Uma pérola de poema!
De uma suavidade límpida como esse rio evocado…

Um beijo

Ailime disse...

Que elevada inspiração! Simplesmente belo.
"Papoilas" cor de fogo, cor da paixão...
Que a Primavera lhe ofereça campos repletos de flores.
Grande beijo.

Oliver Pickwick disse...

Revolucionou a métrica. Não me refiro ao sistema de versificação dos poetas, mas, à criatividade. Seus desejos tem espessura, logo, medidas.
Um beijo!

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Ler-te é perder-se, voluntariamente, no labirinto metafórico das tuas palavras.
Abençoada seja a tua inspiração.
beijo no coração