3.1.11

Em litorais longínquos

Paul Cézanne


Em litorais longínquos
as mulheres deitam-se sobre a areia
junto à rebentação das ondas.
Com os braços em cruz
afastam as embarcações costeiras
e aguardam que a lua inteira
inicie um inesperado bailado
perto de suas bocas.
E não há âncora nem cais
que emudeça o júbilo dos mastros.

Graça Pires
De O silêncio: lugar habitado, 2009

57 comentários:

hfm disse...

O erotismo entrelaçando as tuas palavras nas imagens de Cézanne. Belíssimo e com uma riqueza de imagens poéticas.

Wilson Torres Nanini disse...

Dizer que o poema é profano seria sacrilégio. Mas o erotismo místico que paira sobre os versos é conduzido por uma poesia maravilhosa.

Abraços!

Folhetim Cultural disse...

A partir de hoje segunda meu blog voltou com tudo acompanhe durante a semana noticiário cultural. Espero que goste. Me siga. Abraços boa semana.

informativofolhetimcultural.blogspot.com

Magno Oliveira
Folhetim Cultural

Mara faturi disse...

Tem poema que não consigo "adjetivar", fico com um encanto pasmado...Este seu poema me vestiu de encantos...fiquei aqui marulhando na tarde ~~~~~~~~~
Belíssimo!!!!!!!
Grande bjo moça querida e um 2011 de muita alegria e poesia;)

Braulio Pereira disse...

no mar do desejo
feitiço imerso
dos mastros erguidos

vamos poemar concerteza.

neste novo ano

se feliz

beijo!!

Daniel Hiver disse...

Graça querida...
As vezes todos os litorais longínquos juntos não são o bastante para comportar nossas sensações...
Homens e mulheres deitam-se onde querem, onde pensam, onde sonham... E muitas vezes quando se deitam juntos realmente não há âncora nem cais que segurem as viajens que podem fazer!
Muito bom poema!!!
Bem ao teu estilo Graça!!!

Pena disse...

Sublime Poetiza Amiga:
"...e aguardam que a lua inteira
inicie um inesperado bailado
perto de suas bocas..."

Lindo. Divinal e maravilhoso.
De fascinar e deslumbrar.
Parabéns sinceros. Fantástica.
Abraço amigo de respeito.
Sempre a admirá-la

pena

Um Excelente 2011 para si e para os seus.
Bem-Haja, poetiza enorme!
Adorei.

São disse...

Que a beleza dos teus poemas jamais conheça nem ãncora nem cais, para que por aqui possa navegar esplendidamente.

Um bom ano, linda.

Terezinha Fatima Martins disse...

Adorei este Blog e queria segui-lo, mas não descobri como fazê-lo. Gostei muito, mesmo! De tudo!

Terezinha Fatima Martins.

Carlos Teixeira Luis disse...

Bem português... bem nosso... este poema é uma pérola...

Um excelente ano e muito obrigado pelas palavras contínuas, generosas e afáveis.

Abraço.

lili laranjo disse...

Graça
Venho desejar um ano Novo cheio de coisas boas em que a saúde seja o prato principal
Demos as mãos e o caminho será mais fácil
Feliz ano de 2011

beijos

Benó disse...

Que encontre sempre um cais seguro para ancorar a sua poesia, Graça. Assim, poderemos apreciá-la em sossego ouvindo só o marulhar da água no seu costado.
FELICIDADES neste 2011.

heretico disse...

rebententação dos mastros sobre o júbilo da ondas. e a bocas das mulheres. sôfregas de luar...

belíssimo

beijo

Machado de Carlos disse...

A mulher, sejam quaisquer forem, sempre são fontes de luzes para a poesia. Por ser a mão da vida curvo-me diante delas, pois são sempre frutos dos nossos sonhos de prazeres absolutos.
Parabéns pela bela postagem!

Marta disse...

Falando em desejo e em paixões arrebatadas.....
Longe ou perto....que se espalhe a mensagem....
Lindo...
Bom Ano 2011
Beijos e abraços
Marta

manuela baptista disse...

nesses longínquos litorais

não esqueceram as mulheres
o melhor dos cantos
mais belo que o mar e os areais


e o seu poema é o mapa
e é bonito, Graça!

um beijo

manuela

lupuscanissignatus disse...

um poema

de águas

profundas


[as asas
do desejo]


*que 2011
seja inspirado
e inspirador*


*beijo*

Luis Eme disse...

belas imagens poéticas.

beijinho Graça

carlos pereira disse...

Cara POETISA Graça;
Belo poema, numa viagem ao interior dos sentidos.
Gostei.
Um beijo.

maria disse...

O Melhor do mundo para ti neste novo ano, Graça.
Mágico, este teu poema! Obrigada pelo mar alto para onde ele me transporta...
Beijo

Mar Arável disse...

Vozes ao alto

nos mastros hasteados

Bjs

Silenciosamente ouvindo... disse...

Gostei muito deste seu último
poema inserido.
Obrigada pela sua visita ao meu
blogue e comentário.
Bom 2011 para si e os seus.
Beijinhos

R.Joanna disse...

Muito obrigada pela sua passagem pelas Papoilas, e desejos de um ano excelente também para si!

Que a bela poesia continue a viver.

Beijo
R. Joanna

Lara Amaral disse...

Poema com quê de magia e mistério.

Maravilhoso te ler, Graça!

Feliz 2011! Beijo.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Graça, minha querida!

Cada vez mais entendo que o silêncio é o meu lugar habitado.
Tuas palavras são sempre um bálsamo para o meu coração.

Estou tentando voltar à rotina dos blogs, que tanto prazer me dão, e às postagens.

teresa p. disse...

Um erotismo muito requintado e poético, ilustrado com a bela pintura de Paul Cézanne. Lindo!!!
Beijo.

A.S. disse...

Sublime!
Só alguém com o teu talento consegue imagens poéticas tão belas e sensualmente são intensas e subtis!...

Beijos, Graça!
AL

alice disse...

mas há sempre esta âncora do seu olhar e dizeres poéticos, querida graça. um grande beijinho.

AC disse...

Graça,
Um cenário onde a linguagem dos sentidos está em harmonia com os elementos é sempre especial!
Confesso que me surpreendeu, parabéns!

Beijo :)

© Piedade Araújo Sol disse...

sensual e inesperado.

gostei!

bom ano de 2011 e um

beij

maré disse...

não se deitam as mulheres em vão sob o sol intacto
tão antigo como a lei do mar
se o corpo arde uma razão qualquer
que o tempo não explica.
pajem, uma lua de triunfo é canção da vida
quando uma teia, inesperada, de Penélope
nos fecunda
e jubila como ode triunfal
sobre o frágil movimento das areias.


___

um grande beijo Graça

Sofá Amarelo disse...

Nunca haverão cais nem âncoras capazes de calar o júbilo dos lábios que desenham bailados inesperados!

Argos disse...

Graça,

Sublime, gostei mesmo!

Abraço e feliz 2011

Jozi Elen Fleck disse...

Estou encantada pela ortografia do olhar.
abraços,
Jozi
'www.olugardascoresescritas.com

José Manuel Vilhena disse...

...todos os litorais,tão perto e tão longínquos sempre.
:)

Rosangela Neri disse...

Parabéns pelo blog!
Adorei tudinho. Criatividade por toda parte.

Bj da Rô

Jaime A. disse...

Estes litorais longínquos espreguiçam-se na busca do da dança à beira-mar, abençoada lela lua e pelos risos dos homens...

tecas disse...

Poema sublime,onde cada palavra nos leva a várias intrepertações.
«Com os braços em cruz
afastam as embarcações costeiras
e aguardam que a lua inteira
inicie um inesperado bailado
perto de suas bocas.»
Verdadeiras joias em que o poema é imagem e a imagem poema.
Beijito amigo

Cristina Fernandes disse...

No litoral das palavras, tocas as palavras duma forma sublime.
Desejo-te um bom ano cheio de poesia... assim.
Bjs
Chris

Lídia Borges disse...

Quando a poesia se explana, assim, aos sentidos, o comentário pode estragar.


L.B.

viernes disse...

belo começo de ano com Cezanne e com essas letras...

Um beijo e muitos bons desejos, Graça!

Virgínia do Carmo disse...

Há lugares felizes a tornarem belo este poema...

Beijinho, Graça!

Gisela Rosa disse...

Querida Graça

poema maravilhoso este, ajustei-o totalmente ao meu olhar, um beijo
e os votos de um Bom Ano para si.

avlisjota disse...

Belo poema!... O bailado das mulheres no rebentar das ondas...

Beijo Graça e boa semana!

José

tb disse...

Um enorme silêncio tão habitado.
Gosto tanto!
Beijinho grande

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema, como sempre.
Gostei imenso.
Querida amiga Graça, tenha uma óptima semana.
Um beijo.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Esse escapismo derruba a rigidez que anda pairando.

JC

bonecadetrapos disse...

A outorgar (sempre) em ortografia ideada além do olhar, a poeta Graça Pires, tem construído, ao longo de (já) várias décadas de escrita, um lugar de reconhecimento na poética contemporânea.
A forma (sempre) pródiga, respeitadora , incentivadora, como acolhe os novos nomes que ocasionalmente vão surgindo na blogoesfera, com a sua presença, nobilita espaços, decorrendo, em muito, do seu lugar neste mundo de escritas, notabilíssima escritora.
Este seu justo reconhecimento, que me chega (também) de além-mar, do Brasil, impôs-me um estudo, dia-a-dia mais perseverante da sua vasta obra. Resultou daí uma admiração profunda, caríssima Graça, pela singeleza do seu traço poético, onde, a mulher em articular, surge redimensionada na escala da própria natureza, sensual, sensitiva, embelecida de num lirismo suave e deificado.

Estimada Graça,

“Habito a deriva dos labirintos,//com vontade de ser cativa de uma presença,
de um nome, de um aceno.//Sou um peregrino.""
In Graça Pires
De Conjugar afectos, 1997

Aqui no seu espaço poético, descalço respeitosamente os meus “saltos_altos”, peregrino[me] na sua palavra.
Na mais sincera estima e no desejo de que, 2011 encontre, sua vasta e nobre obra, justa continuidade, saúdo-a.
A arte e o tempo vindouro ser-lhe-ão gratos. Eu sua leitora assídua, desde já o sou.

*__bonecadetrapos__*

Licínia Quitério disse...

Mágica tarefa das mulheres cúmplices da Lua. Lindo!

António R. disse...

Em litorais longínquos haverá, com certeza, olhos de mulher onde a lua inteira baila sem parar.

JPD disse...

Exaltante.
Bjs

tb disse...

Voltei para reler. E deixar um beijinho grande. :)

Teresa Durães disse...

imagens pela escrita que nos fazem reencontrar esse mar

Anónimo disse...

Lindo, lindo. Fascinada fico, sempre, quando leio um poema teu. Beijos ternos.

maria manuel disse...

belo, Graça, o evocar da prece e do desejo das mulheres, tão intensos e incontornáveis como o júbilo dos mastros.

beijo grande.

pin gente disse...

à luz ténue da lua
quais faróis
mães coragem para todos os seus amores

um abraço

Fernando Campanella disse...

Em lugares longínquos, em nossas regiões profundas, a alegria, a celebração da vida é algo que ignora os interditos, e se celebra.
Maravilhoso poema, Graça, como tantos de tua autoria.
Grande abraço, minha amiga.