28.3.15

Tristeza


Federica Erra

Deixámos para trás a geografia 
dos sonhos luminosos 
porque as noites são líquidas 
e, de rosto enconchado 
em nossas mãos 
choramos o aroma 
quase magoado das madressilvas.

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013

55 comentários:

DE-PROPOSITO disse...


Deixámos para trás a geografia
dos sonhos luminosos
------
É, os sonhos deixaram de ser sonhos, e, transformaram-se em ilusões.

Felicidades
MANUEL

Majo disse...

~
~ ~ Momentos tristes de desesperança.
~ A infelicidade de, em tempo ameno e fragrante,
~ desistir de sonhos muito queridos...

~ ~ ~ Poema muito sentido e belo! ~ ~ ~
.
.

~ Aprazível e caloroso fim de semana, Graça. ~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
.

Daniel Costa disse...

O poema parte de um modo muito profundo de pensar. Belo a criativo, portanto.
Abraços

Lídia Borges disse...

Muito bonito, Graça! Como se as palavras chorassem...

Beijinho

Fê blue bird disse...

Uma tristeza quase palpável.

beijinho e bom fim de semana

Mar Arável disse...

Bonito como sempre minha amiga

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
A tristeza poetizada através de um olhar muito belo!
Um beijinho e bom fim de semana.
Alime

Marta Vinhais disse...

E chora-se... Porque, às vezes, há choro...também nas palavras...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

José Vilhena Moreira disse...

Gosto das geografias interiores.
abraço

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
TRISTE, TERMOS DE DEIXAR OS SONHOS IREM, CHORANDO PELA IMPOSSIBILIDADE DE OS REALIZARMOS.
LINDO!
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

✿ chica disse...

Tanto se deixa pra trás...Lindo e triste poema! bjs, chica

ॐ Shirley ॐ disse...

Bonito e triste...
Beijo!

Lilly Silva disse...

Que lindo poema!!!
É triste ver nossos sonhos morrendo...
beijos e beijos

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Graça Sampaio disse...

Que forma bonita de falar do desânimo em que nos encontramos! Muito bonito. Parabéns, outra e outra vez.

Beijinho

Luis Eme disse...

tão humano, tão feminino, tão belo.

abraço Graça

Nidja Andrade disse...

Chorar, chorar.. sai toda a tristeza do espírito e do coração!...

MARIPA disse...


...e os sonhos luminosos, embaciados pela inquietude das noites, entristecem os dias que se querem azuis...

Poema triste e belo.

Beijinho

Tania Anjos disse...

" e, de rosto enconchado em nossas mãos choramos o aroma quase magoado das madressilvas."

Você escreve tão lindamente, Graça!

Grande beijo!!

Vieira Calado disse...

Belo... e com bela foto a condizer!
Saudações poéticas!

Isa Sá disse...

Chorar ás vezes faz bem...

Isabel Sá
https://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Ives disse...

Uau, que linda poesia! amei

Maria Rodrigues disse...

Quando damos conta que os sonhos terminaram, a tristeza invade o nosso coração.
Nostálgico e belo poema.
Beijinhos
Maria

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Gracitamiga

Poema lindo, lindo, lindo!... Outra coisa não seria de esperar porque já nos habituaste a fruir do encanto do que escreves...
Obrigado

Qjs de Goa

teresa p. disse...

"Deixámos para trás a geografia dos sonhos luminosos..."
Um poema realista, triste, mas muito, muito belo.
A fotografia de Federica Erra é simplesmente fabulosa.
Beijo.

Lourdinha Vilela disse...

Eu li e reli, tamanho o meu encanto.Escreves divinamente.
Grande abraço.

Ana Tapadas disse...

A fotografia, também concordo, é outro poema...mas esse grito das palavras encontra eco em mim.

Beijo, Graça.

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, Graça Pires, querida amiga !
É um texto muito lindo, para
interpreta-lo como "tristeza".
Prefiro mira-lo como um rosto enconchado, retendo segredos
inconfessáveis do passado..
Parabéns, e um carinhoso
abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

helia disse...

Linda Foto e lindo Poema !
Uma Páscoa Feliz

Silenciosamente ouvindo... disse...

Fantásttica foto. Excelente texto.
Amiga desejo-lhe uma Feliz Páscoa.
Bj.
Irene Alves

ManuelFL disse...

Um momento de beleza sufocante que a Graça partilha connosco, através das suas palavras inspiradas e da espantosa fotografia.

Rangel disse...

Noites líquidas e madressilvas criam imagens de luz e sombras de paixão. Sempre!

vendedor de ilusão disse...

Muito expressivo; gostei! Aplausos...

Samuel Pimenta disse...

Quantas vezes, Graça, quantos sonhos?

Um beijinho com saudades.

São disse...

Eis o retrato actual da esmagadora maioria das gentes portuguesas ...

Abraço enorme, amiga

Eduardo Aleixo disse...

Os sonhos esboroados deixam pétalas perfumadas como que dissimulando as mágoas...
Beijo,amiga.

Agostinho disse...

Bom dia,Graça,

Poema maior
a abrir horizontes
geografias de regresso
ao tempo do brilho no olhar.
Ainda há uma réstia
na porta entreaberta.

Teresa Durães disse...

Um poema belíssimo em doce melancolia.

NAMIBIANO FERREIRA disse...

Graça
já sabe o que penso do Caderno de Significados, onde este poema reside.
Bjs

EU disse...

Um belíssimo poema sobre as dores.
Original e profusamente imagético.
Bjo, Graça :)

Alysson disse...

Ai! Essas tristezas diárias que a vida desembrulha - muito a contra-gosto do freguês - assim, de repente...

© Piedade Araújo Sol disse...

poema cheio de sentires onde por vezes esse desalento é um estado de alma.
a foto muito poderosa!
beijinho
:)

Maria Isabel Q. disse...

Adorei minha querida.

Beijinho
<3

Rita Freitas disse...

Lindíssimo como sempre.

Um abraço e uma feliz Páscoa

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, O mundo gira, nenhuma tristeza é tão eterna, que não deixe um espaço para a felicidade.
AG

AC disse...

Apesar de tudo há aromas, a esperança está mesmo ali...
Sempre tão bem, Graça!

Um beijinho :)

DE-PROPOSITO disse...

TRISTEZA

A tristeza é necessária! É que sem ela não haveria alegria.

Felicidades
MANUEL

heretico disse...

... e no entanto perdura o perfume da madressilva. levíssimo que seja.

beijo

lis disse...

Muitas vezes é o que nos resta _'chorar sobre as lacunas de sonhos que se tornam nebulosos.
Lindo poema Graça.
Parabéns e bom domingo de Páscoa com a esperança de restauração da 'boa vontade entre os povos'
abraços

Parapeito disse...

mas que sirvam as lágrimas, para fazer florir de novo as flores da esperança.
Um domingo de Páscoa doce e sereno.
Abraço*****

Delfim Peixoto disse...

O sonho desfaz-se quando acordamos ou dormindo nos assolam os monstrinhos.
Gostei, apesar de sentir sal nessa água que correu para o papel.
Abraço

Menina Marota disse...

Um poema que me tocou quando o li no "Caderno de Significados". Aliás... Caderno que utilizo muitas vezes nos meus momentos....

Um beijo

Vera de Vilhena disse...

tão triste, tão belo. E que estranha sintonia esta, pois tinha acabado de escrever a palavra "madressilvas" quando parei para espreitar o correio e vir espreitar o teu blog. Abraço-te

Vera

author casulo-online disse...

Já tive tristezas inconsoláveis, ainda bem elas passam, assim como as manhãs chegam.

Cris

manuela baptista disse...

eu sou silva

e ainda procuro a geografia de tantos sonhos

um abraço, Graça

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Graça.
O rosto agasalhado pelas mãos, que o protegem na dor.
Quando chegamos ao ponto de abandonar a geografia que conhecemos de cor, por onde seguimos sem medo, nem gps, é o sentimento de desalento que nos percorre a alma.

bj amg