4.4.15

Em seara alheia



Entre ervas

Era pequena como um grão de café.
Habitava entre as ervas,
Brincando com os bichos rasteiros,
Diluindo-se, reunindo-se de novo,
Inteira uma e outra vez.

Numa certa manhã, a lagarta disse:
- Deves regressar a casa
E quebrar a tristeza da tua mãe.
Quando esta a viu, chorou de alegria.
Há muito que havia perdido aquele rebento,
Uma gota entre tantas.

A filha da Chuva, gota de água morna,
Voltara transformada em orvalho.

Nesse dia houve aguaceiros
E o céu, em festa, encheu-se de cor.

Vera Vilhena
In: Fora do Mundo. Macedo de Cavaleiros: Poética, 2014, p. 172

41 comentários:

Graça Pires disse...

Nos poemas deste livro “Fora do Mundo”, Vera Vilhena deixa que coabitem, em simultâneo, o seu mundo interior e aquilo que lhe preenche os dias.
Usando uma linguagem descritiva, às vezes torrencial e um vocabulário variado e colorido, dá à sua escrita uma musicalidade e expressividade singulares. Também de coisas correntes é feita esta poesia. “Tenho a cabeça cheia de coisas caseiras” (p. 78) ou “Chegam-me os versos ao cortar uns raminhos de coentros” (p.34). Às vezes a autora brinca com as palavras de um jeito muito interessante “E as gatinhas sem idade, /Nove dias noves fora, /Miam sempre sem demora” (p. 25). Gostei de ler a Vera. Parabéns!

Lilly Silva disse...

Que tão belo poema Graça!
Maravilhoso!!!
Quero desejar-lhe uma feliz Páscoa!!!
Abençoada e cheia de vida!!!
Beijos e beijos sempre

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Braulio Pereira disse...

belo ...poemar.

sublime de encantar.

doce. Páscoa

um beijo amiga.

anamar disse...

Belisssima leitura.

Boa Páscoa se for caso dissso.

Beijinho

Ana

JAIRCLOPES disse...

Soneto-acróstico
A gota

Gigantes as ervas lhes pareciam
Onde sua vista poderia alcançar
Também sem quaisquer reservas
Intuía que ali não era o seu lugar.

Numa manhã, soube pela lagarta
Há lá no alto um lar a sua espera
Apenas mais rápido, então parta
Deixe-nos, aqui seu tempo já era.

Então partiu pros ares a gotinha
Chuva, nuvem pesada, a família
Há tempos que ela ali não vinha.

Um dia tomou essa úmida trilha
Voou lépida àquele céu que tinha
Amor para doar àquela boa filha.

MARIPA disse...


É um poema com a magia das coisas simples da vida...senti a ternura em forma de gota de água.
É lindo!

Grata por me ter desejado uma Santa Páscoa. Retribuo,fazendo votos para que a sua Páscoa seja Santa e Feliz.

Beijinho

Lídia Borges disse...

Graça, obrigada por esta partilha. É de facto um poema muito belo por onde podemos andar com passos tranquilos.

Deixo votos de uma Páscoa feliz.

Um beijo

Lídia

O Puma disse...

Uma passagem para a outra margem

José María Souza Costa disse...

Olá,Graça Pires.

Neste tempo de convite: à reflexão, vim te desejar uma Feliz Páscoa.
Que o Criador, esteja sempre de plantão, a perdoar-nos. Porque, somos aqueles, que cometemos falhas, por mais vigilantes, que estejamos.
Um abraço fraterno.

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida amiga, Graça Pires !
Que bela postagem, selecionada
pelo teu refinado e competente
bom gosto literário !
Muito grato por dividir.
FELIZ PÁSCOA, com saúde e alegria.
Um carinhoso abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

Giancarlo disse...

Gli auguri più sinceri per una Santa Pasqua lieta e serena!
Un abbraccio...ciao.

ॐ Shirley ॐ disse...

Muito bonito.
Graça, beijo!

Agostinho disse...

"Inteira-se uma e outra vez
a idéia do poema.
Boa páscoa.

São disse...

Obrigada pela partilha.

Que tu e quem amas tenham uma doce Páscoa, amiga :)

Ailime disse...

Boa noite Graça, um belíssimo poema!
Apreciei bastante o estilo de Vera Vilhena.
Obrigada pela partilha.
Bjs e uma santa e feliz Páscoa!
Ailime

Evanir disse...

O meu desejo é que o seu Domingo seja muito feliz e abençoado!
E que eu possa continuar
tendo uma amizade tão especial como a sua!
Feliz Páscoa!
Beijos e meu eterno carinho.
Evanir.

Marta Vinhais disse...

A coisa mais simples; a gota da chuva a escrever no céu....
Lindo....
Obrigada pela visita...
Boa Páscoa
Beijos e abraços
Marta

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

uma Santa Páscoa na certeza de que precisamos de ressuscitar na alegria, na esperança e no amor, todos os dias.

Beijo

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, desejo-lhe uma santa Pascoa junto com a sua família.
AG

Lourdinha Vilela disse...

Adoro essa integração com a natureza.
Vou ler mais Vera Vilhena, obrigada por compartilhar, eu não conhecia a autora.
Gostei muito do poema.
Quero te desejar uma Feliz Páscoa, na Santa paz de Cristo.
Um abraço.

Cadinho RoCo disse...

Hum, que delícia de poema!Feliz Páscoa.
Cadinho RoCo

Pêndulo disse...

Um bonito poema. Os votos de uma Páscoa muito Feliz. Um beijinho.

Gaby Soncini disse...

Que imagem bonita, me lembrou um conto infantil.

Beijos!

manuela barroso disse...

A leveza do orvalho na primavera que se anuncia . E a Verá encanta . Obrigada por partilhar, Graça
Beijinho

Teca M. Jorge disse...

Que mimoso poema!!!!

Feliz Páscoa!!!
Beijo e carinho.

Isa Sá disse...

Bonito poema.


Isabel Sá
https://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Ives disse...

Olá! Um poema profundo e belo, e muito sábio! O Talento de chorar é até raro hoje em dia, e voltar a ser orvalho, ainda mais! abraços

Daniel Costa disse...

Graça, "meter a foice em seara alheia", expressão popular, aqui tem muita expressividade, a meu ver.
A meu ver, o poema o poema valeu bem ser relido e relido.
beijos

© Piedade Araújo Sol disse...

a simplicidade e a delicadeza das palavras.

gostei muito!

:)

Carmem Grinheiro disse...

Uma gotinha atrevida, esquecida do desassossego de sua mãe, que, com tantas, sentia ainda a falta daquela. Este poema inocente, a meus olhos, é verdadeiro relato da tristeza de tantas mães. Lindo, Graça.

bjn amg

Majo disse...

~ ~
«Que ninguém se engane: só se consegue
a simplicidade através de muito trabalho.»

~~~~~~~~~~~Clarice Lispector~~~~~~~~~~

~ Grande
criatividade aliada a encantadora simplicidade.


~ ~ Uma semana muito agradável, Graça ~ ~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Graça.
Chegando por aqui hoje. Um poema bastante interessante, as coisas simples da vida como uma gota de água, as vezes é uma dadiva. Um lindo dia.
Abraços.

vendedor de ilusão disse...

Muito bonito, bonito realmente!

Menina Marota disse...

Uma bela partilha. E uma autora a descobrir.
Um grande abraço. E a Páscoa passou. Mas todos os dias não são Páscoa?
Bjo

teresa p. disse...

Um poema singelo e muito interessante.
Parabéns à autora e obrigada a ti por a dares a conhecer.
Beijo.

Vera de Vilhena disse...

Graça, que generosidade a tua e a de tantos que comentaram este meu poema. Obrigada a todos. Deixo aqui a minha gratidão, por esta partilha. Que privilégio. Beijos com carinho

Vera de Vilhena

Smareis disse...

Um poema de encher os olhos de tão belo. Quanta beleza nas palavras!
Gostei imenso!

Um beijo e ótima semana Graça!
Blog da Smareis

Ana Tapadas disse...

Muito belo, mesmo!

Beijo meu, Graça.

author casulo-online disse...

Olá Graça,

bem particular a escrita.

Abraço!

Cris

Nidja Andrade disse...

Muito forte,me ajudou bastante as vezes eu tentava resolver algum problema com os sentimentos, mas a verdade que nunca conseguia. AbraçO

Jaime A. disse...

Penso que qualquer criança adoraria este poema. Pelo menos, eu adorei.