11.4.15

Até que haja chuva nos meus olhos

Pedro Domingues


Quando se dissipam as neblinas
da manhã, o mar cabe inteiro
nos meus gestos sequiosos,
mortificando-me os lábios
carregados de estiagem.
Ao fim da tarde escreverei
no diário de bordo: um dia
hei-de beber de um trago a água
de uma fonte até que haja chuva
nos meus olhos.

Graça Pires
De Espaço livre com barcos, 2014

48 comentários:

✿ chica disse...

Lindo demais,Graça! Bela inspiração! Desejo ótimo fds! bjs, chica

ॐ Shirley ॐ disse...

Belo, belíssimo!
Graça, beijo!

Majo disse...

~
~ ~ ~ Muito belo! ~ ~ ~

~ «Dar a cada emoção uma personaidade,
~ a cada estado de alma uma alma».

~ F Pessoa ~ «O Livro do Desassossego»


~ ~ Dias agradáveis e felizes. ~ ~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Marta Vinhais disse...

Na beleza e na doçura do dia e do tempo...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Daniel Costa disse...

Graça, a neblina pode fazer parte da inspiração poética.
Beijos

Lilly Silva disse...

Quando se dissipam as neblinas da manhã...
Que lindo poema Graça! A poesia me encanta e emociona sempre...
Belo fim de semana a ti!

Estamos fazendo uma enquete lá no blog, se você puder passar lá e responder fico grata.
E a todos que responderem é só deixar o link que retribuo sempre!!!
Bjus

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/p/enquete.html

tb disse...

Gosto tanto, amiga.
Um beijinho para ti.

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Belíssimo poema!
"Espaço livre com barcos", um livro repleto de excelente poesia!
Um beijinho e bom domingo.
Ailime

Fê blue bird disse...

Uma sede adiada.
Parabéns pelo poema e pela escolha da fotografia.

beijinho

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida amiga, Graça Pires,
que maravilha de momento, certamente
vivido, em algum lugar.
Os olhos haverão de verter, até a sede
saciar. Parabéns, e um muito afetuoso
abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

MARIPA disse...


"o mar cabe inteiro" em cada poema seu. Para meu contentamento!

Bem haja pela visita e gentileza das palavras que me deixou.

Beijinho amigo.

Isa Sá disse...

Bonito poema! tenha um ótimo domingo.

Isabel Sá
https://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia Graça.
Que poema belíssimo, escrito com a alma, com uma linda imagem. Um feliz domingo. Abraços.

Teca M. Jorge disse...

Versos de pura esperança e intensidade... beijo e flor.

heretico disse...

cascata de água cristalina. na concha das mãos...

sacio-me!

beijo

Cadinho RoCo disse...

Este seu lirismo me inunda de encanto.
Cadinho RoCo

MARILENE disse...

Só a água pura pode saciar a sede, mesmo que se abrace o mar. Bjs.

Ives disse...

Será uma cálice divino! abraços

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Graça.
E quando desta água beber, tenho certeza de que a sua alma viverá em paz e liberta, será o começo de um renascer, na realidade.
Quando nos permitimos a beber dessa água, a calmaria se faz, ainda que no pranto, pois estaremos curando nossas feridas.
Belíssimo.
Tenha uma semana de paz.
Beijos na alma.

teresa p. disse...

"O mar cabe inteiro" na magia do teu poema, tão belo e profundo.
A fotografia reflete bem todo o poder e grandeza da natureza e dos sentimentos. Lindo!
Beijo.

vendedor de ilusão disse...

A foto é extremamente bela, assim como é o poema.
Um abraço.

Ana Tapadas disse...

Que admirável capacidade de burilar palavras...

Beijo

Agostinho disse...

Graça:
a poesia que vale
a verdade da vida:
o mar os lábios
o sabor a sal
e a sede de chuva
que emerge nos olhos

Bj

Vera de Vilhena disse...

que imagens tão belas, amiga. Um beijo

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Graça,
A mim, me ocorre, que quando se dissipam as neblinas da manhã é que nos apercebemos de quanto o horizonte está longe.
"um dia hei-de beber de um trago a água de uma fonte até que haja chuva nos meus olhos" - que assim seja.

bj amg

Mariazita disse...

Bom dia, Graça
Hoje decidi "roubar" algum tempo à minha tarefa obrigatória - a feitura do meu segundo livro - e visitar alguns blogs amigos. Por isso aqui estou...
É sempre um prazer ler os seus poemas.
E este não foge à regra - gostei muito!
Não posso deixar de referir a imagem, que acho lindíssima.

Continuação de boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, o poema e a foto estão em sintonia na beleza, suas criações poéticas tem a vantagem de serem curtas, objectivas e maravilhosas.
AG

Dolores Manso disse...

Belíssimos, poema e foto.
Gosto tanto deste seu espaço - parabéns pelo bom gosto das palavras.

Beijo.

ManuelFL disse...

Na imagem, a luz está como que aprisionada entre um mar expectante e as neblinas que se dissipam anunciando a manhã e a plenitude do azul.
«Os lábios carregados de estiagem» da poeta aguardam a plenitude do seu momento luminoso, a «água de uma fonte» bebida de um trago para saciar a sede até que a chuva inunde os seus olhos.
Tudo isto é de uma beleza perto de nos sufocar.

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes a neblina também traz inspiração ao Poeta.
eu gosto da sua poesia, fresca e límpida e sempre com um sabor de mar.
gostei muito do poema.
um beijo
:)

jorge esteves disse...

a sede do olhar que, por vezes, se confunde com a do espírito. Ou se funde...

jorge

AC disse...

De uma beleza ímpar, Graça. Obrigado pela partilha.

Um beijinho :)

Jaime A. disse...

Até que haja chuva...
Tão lindo, simétrico, tão sentido.
Um beijinho.

LuísM Castanheira disse...


Como nos faz lembrar...esta sede no poema...presa ao olhar de tanto mar.

E esse diário de bordo, recheado de tantas fontes...que nos fazem (ainda) sonhar...

Muito belo poema, amiga.

(outro poeta escrevia:
"...hei-de beber a água de todas as fontes...")

Um beijo

DE-PROPOSITO disse...

A chuva é um acto de purificação.
Na tradição católica o baptismo é feito com água.

Felicidads
MANUEL

São disse...

Um poema lindissimo este que aqui nos ofereces, Graça!

Abraço de parabéns

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

maré disse...

Quando o rigor das estações se sitia nos meus olhos, os pássaros voam enlouquecidos sobre as margens.

Só então reparo na urgência dos meus gestos.

No diário de bordo hei-de escrever:
só a imensidão do mar sacia a minha sede.

...

Um beijo imenso querida Graça
Não me esqueço, só mais um pouquinho. :)

tulipa disse...


Olá Graça

Lindo...

ADORO as neblinas da manhã...

Bom fim de semana

Obrigada pela visita e comentário que deixou

nasci num dia de Abril
é o meu mês

e, quantas e quantas vezes
Olho da janela
...
vejo a "Natureza" à minha frente
respiro o ar puro

Cada dia que passa, AMO mais a "Natureza"!

mas isso sou eu

Espero que tenha passado uma Santa e Feliz Páscoa!

Estive fora 6 dias
precisava de momentos de renovação
e isso só consigo quando saio daqui... para longe!

Trouxe novas fotos dos lugares que visitei,
se quiser espreitar:

http://momentos-perfeitos.blogspot.pt/

Beijinho

Pérola disse...

Que a poesia jorre ... na água de teus olhos!

Beijo

Benó disse...

E a fonte secará mas não a fonte da inspiração porque essa correrá livre em direção ao mar infinito. Um bom fim de semana, Graça.

Teresa Durães disse...

Lindo poema!

manuela baptista disse...

eu gosto dos fins de tarde

e que nunca nos desiludam os olhos molhados

até que haja


um abraço

carlos pereira disse...

Prezada poeta amiga Graça Pires;

E a chuva, será de água tão pura e límpida, que dará vida a todas as searas de esperança.
Gostei imenso deste poema.

Maria Rodrigues disse...

Simplesmente maravilhoso.
Beijinhos
Maria

EU disse...

A sede de infinito e a emoção que esta sede provoca...
Um belíssimo poema, Graça!
Bjo :)

Lourdinha Vilela disse...

Que lindo!! A poesia, Sal de vida.
No mar e na lágrima. Fico encantada, leio, releio...
Um abraço Graça.

Parapeito disse...

Tanto, tanto, doce Graça.
Brisas doces.