29.4.15

Bailarinos: o gesto e a leveza


Monica Stewart

Não usam máscara.
Têm a cara marcada pelo fogo-preso
do corpo prestes a incendiar o chão
onde rastejam, se desmoronam e se rasgam
até ao abraço mais feroz de quem os cerca.
Não usam sapatilhas.
Têm, nos pés descalços, o ritmo
inocente e perverso dos movimentos
que a dança lhes consente
e os torna possessos de volúpia.
Não usam cenário.
Têm a envolver-lhes a cintura, o reflexo
das sombras que os desliga do palco
com a intimidade de um impulso,
mesmo quando fincam as unhas
na madeira à procura de equilíbrio.
Querem a música. Sim, a música.
Uma sonoridade que lhes perturba o gesto e a leveza.
Que os desnuda.
Que arrasta o rio que lhes rebenta no olhar.


Graça Pires
In: CNB e os poetas, 2014, p. 3

Poema feito na sequência de ter assistido ao bailado "Orpheu e Eurídice", a convite da direcção da CNB, através de João Costa. Bem hajam pelo convite.

44 comentários:

✿ chica disse...

Lindo e leve poema, como a dança dos bailarinos! bjs, ótimo dia! chica

PERSEVERÂNÇA disse...

Feliz quarta-feira!
Que gracioso poema estando acompanhado de um quadro/imagem maravilhoso.
Beijo em seu coração, que com certeza é muito inspirado pelo amor e bons sentimentos.
Nicinha

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde
Cheguei aqui através de um blogue em comum
Parabens pelo post, alusivo ao dia que se diz. A Foto é fantástica adorei tudo!

Se me quiser encontrar estou aqui: http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Beijinhos

Reflexos e Sinais da Alma disse...

Olá Graça ,
Obrigado pela visita lá no Reflexos :)

"Têm a envolver-lhes a cintura, o reflexo das sombras que os desliga do palco "

Simplesmente Mágica esta frase , imbuída de movimento e de mistério sonoro só mesmo possível de ser imaginado e escrito pelos predestinados ... Fantástico !

Um Beijo Amigo !

Marta Vinhais disse...

E levam-nos numa viagem inesquecível...
Pela leveza, a beleza...
Adorei...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

José Vilhena Moreira disse...

...e voam....também até no que sobre eles escreve.
bj

MARIPA disse...


Boa noite, Graça.

Este belíssimo poema tem "Sim a música.", tem dos "Bailarinos:o gesto e a leveza".
E tem a sensibilidade das palavras e dos olhares de uma poeta de excelência.

Beijinho amigo.

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Belíssimo poema em que as suas palavras se elevam de forma sublime qual bailado a envolver-nos em momentos de pura poesia!
Beijinhos,
Ailime

Nidja Andrade disse...

Bailar é como voar com os pés no chão. Simplesmente belo!...
AbraçO

Ani Braga disse...

Vim agradecer a visita e pedir desculpas pela minha ausência por aqui.
Aos poucos estarei voltando a visitar os blogs que tanto gosto, como o seu.

Beijos
Ani

MARILENE disse...

Que maravilha! O convite foi feito a quem tinha talento para atendê-lo. A dança me encanta e seus versos mostram um bailado especial, cuja essência captou com maestria. Parabéns! Bjs.

Toninho disse...

Há beleza e leveza no movimentos, como este lindo poema.
Há dor neste cravar as unhas, porque sabem que a dança é a vida que escorre pelas pontas dos dedos.
É lindo estar neste transe entre a poesia e o bailado.
Lindo demais Graça.
Abraços com carinho.
Beijos de paz e luz nos seus dias.

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá
https://brilhos-da-moda.blogspot.pt

© Piedade Araújo Sol disse...

A sensibilidade da autora para fazer um poema a elevar essa arte de dançar.

muito belo!

beijo

:)

teresa p. disse...

Belíssimo poema sobre a dança, essa arte da expressão corporal, tão cheia de movimento e harmonia.
As imagens poéticas são sublimes e muito bem complementadas com a fantástica pintura das bailarinas.
Beijo.

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, Graça Pires !
Que linda descrição poética ao artista.
Descobres os mistérios da expressão corporal, no mesmo ritmo da dança.
Um carinhoso abraço, amiga, aqui do Brasil.
Sinval.

Fê blue bird disse...


Um poema que visualiza uma entrega total, um sentir profundo à bela arte de dançar.

um beijinho

Cristina Cebola disse...

Os versos movimentam-se num bailado de emoções...
Gostei muito Graça, do poema e da Imagem...

Beijinho meu...

Lilly Silva disse...

Maravilhoso poema Graça!
Levinho que chega nos faz flutuar!
Ótimo!!!
Tenhas tu uma bela noite!!!

Beijos e beijos

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Evanir disse...

Lindo poema doce e amada amiga
fico feliz todos as vezes que Deus me da a possibilidade de fazer alguma visita.
E sempre encontro novos
e belíssimos poemas escrito tão docemente por si.
Um abençoado final de semana beijos.
Evanir.

lis disse...

'Ah poder exprimir-me assim como voce se exprime'-cai bem pra mim a frase do 'Ode Triunfal' de Álvaro de Campos.
Uma poesia dentro do olhar -assim é a Graça Pires.
'Leveza que arrebata',tanto na imagem quanto no turbilhão 'silencioso' dos pés e suas sapatilhas.
Um abraço Graça.
Parabéns pelo privilégio de assistir 'Orpheu e Euridice' e pelo poema bonito.

manuela barroso disse...

Música e poesia se completam. Aqui o bailado das palavras que tão sabe encenar!
Belo, como sempre!
beijinho

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
CAPTASTE EM TEUS LINDOS VERSOS, A ALMA DE QUEM DANÇA, É MUITO MAIS QUE MOVIMENTOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Gaby Soncini disse...

Que lindo!
Lendo sua poesia vi bailarinos a dançar em volta.

Abraços!

Cadinho RoCo disse...

Nos versos o bailado das palavras possuídas pelo encanto da dança.
Cadinho RoCo

São disse...

Quem dança é a aproximação mais conseguida das aves...

Beijinhos e bom fim de semana prolongado, minha amiga

author casulo-online disse...

Lembrou-me dos concertos públicos que temos aqui no verão e que são inesquecíveis...

Benó disse...

Nos movimentos dos bailarinos há poesia, graça, leveza. Na poesia da Graça encontro o encanto de sonhar, a leveza do saber. Um abraço, Graça

Jeanne Geyer disse...

conseguiste passar o arrebatamento da dança, a música pulsando...
adorei, gosto muito de poesias
estou com um novo blog:

http://metamorfosearsemmedo.blogspot.com.br/

te aguardo lá, bjs

José María Souza Costa disse...


Olá, Graça.
O seu poema, é um traço sublime, da sensibilidade.
amei.
Um abraço, desde cá, do Brasil.

heretico disse...

rodopio em tuas palavras - belas!

beijo, Graça

ManuelFL disse...

Este poema da Graça é uma magnífica celebração da dança, dos corpos «prestes a incendiar o chão», entregues à volúpia, possuídos pela música, «sonoridade que lhes perturba o gesto e a beleza.»
Privilégio nosso a Graça partilhar connosco este seu poema, esta outra dança, em que ficamos possuídos pela musicalidade e emoção das suas palavras, sempre únicas, fortes, primordiais.
Excelente a escolha da ilustração.

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Graça, que poema lindo e de conteúdo repleto de figuras de linguagem que faz parte do linguajar dos poetas.
Você descreveu com muita maestria o bailarino, a bailarina, pois quando dançam se integram ao ambiente onde estão, e tudo se transforma com eles...
e quando se desligam do palco, penso que se religam aos céus.Belíssimo ! Parabéns!
Grande abraço!

Agostinho disse...

Não preciso estar lá para acreditar.
A ortografia da poeta traz-me o som fidelíssimo das palavras. O feitiço da dança vê-se na translação do fogo dos corpos possuídos. O movimento que me fascina os olhos: os bailarinos “fincam as unhas na madeira” e superam a lei da gravidade: pairam magistralmente no espaço.

Andrea Liette disse...

Quando os corpos encontram o fluxo da arte, não existe separação : música e dança, palavra e poesia, somos apenas Um. Beijos.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, lindo poema que atrai junto com melodia bela e leve.
AG

AC disse...

A leveza da dança, mesclada da entrega dos corpos, transparece de cada sílaba...

Um beijinho :)

Lourdinha Vilela disse...

Dissestes tão magistralmente bem e lindo, como quem fora antes uma bailarina.
Tão profundo e docemente elaborado, o poema trouxe toda a magia da musicalidade e da dança. Parabéns Graça.
Um abraço.

EU disse...

Que bela coreografia poética construíste numa dança de palavras bailarinas!
Perfeito!
Bjo, Graça :)

manuela baptista disse...

o seu corpo é a música

Alfredo Rangel disse...

Deliciosa e ternamente erótico. Como só você, Graça, poderia criar. Parabéns!

Jaime A. disse...

Ter nos pés a leveza, a força interior de uma amazona, em luta com o ar que a prende, com a terra que a atrai...

Samuel Pimenta disse...

Entrei no poema e vi. Talvez porque a dança e a música me são muito próximas... Grato por este momento.