29.10.15

Vivo na ponta da Europa



Vivo na ponta da europa.
E digo: este lugar
é o meu destino e o meu remorso.
Escuto a melopeia do precipício
chamando o meu nome,
mas ignoro a idade da minha imagem
tão dupla de mim.
Ninguém decifrará onde começa e acaba
a aflição do meu olhar,
estrangeiro de todas as infâncias.

Graça Pires
De Espaço livre com barcos, 2014

59 comentários:

✿ chica disse...

Tantas vezes, ninguém nos decifra!LINDA poesia! bjs, chica

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Bom dia, Graça,dizer: " este Lugar é meu destino e meu remorso",é sabermos que pertencemos a este lugar e como a vida nos dá alegria, também nos traz muitas vezes, tristeza e amarguras.Um lugar atemporal, onde a imagem está impregnada de nós, por isso, a dualidade.
E, nos sentimos estranhos de nós mesmos.
Achei maravilhoso seu poema. Beijos!

Bell disse...

Imagem linda e seus versos também

bjokas =)

Cidália Ferreira disse...

Bom dia
Lindo de mais! parabéns

Beijo e um dia feliz

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Blog da Gigi disse...

Belo!!!!! Abençoado dia!!!!! Beijos

Alfredo Rangel disse...

Nada nos poupa de nosso destino. Nada pode ser mais significativo do que as poesias que brotam de nossas almas. Na ponta ou no meio dos continentes. Linda poesia.

Luis Eme disse...

E dizes tão bem...

abraço Graça

Cadinho RoCo disse...

Ainda preciso conhecer este lugar que parece sempre chamar por mim.
Cadinho RoCo

Daniel Costa disse...

Graça Pires, nosso destino será o de sempre nos desviarmos do precipício. Pensar poesia adoçará a vontade feita otimismo.
Beijos

Lucinalva disse...

Olá Graça

Linda poesia. Desejo uma bela tarde, bjs querida.

© Piedade Araújo Sol disse...

palavras únicas a derramar o desassossego do Poeta.
gostei tanto...

beijo

:)

O Puma disse...

Esta Europa tem várias pontas

Belo minha amiga
Bj

mz disse...

E aqui estamos, na ponta da Europa onde pertencemos e não nos reconhecemos.
A vida, por vezes, entende-se assim como um paradoxo.

Bjs

MARILENE disse...

A alegria e a tristeza se misturam. Essa estranheza não vem apenas do sentir, mas do pensar. Bjs.

Marta Vinhais disse...

Porque vivemos aqui... A olhar o mar... Violento, impiedoso, mas ao mesmo tempo, cúmplice, protector....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Mariangela do Lago Vieira disse...

Em nosso destino carregamos pedras e colhemos flores...
E assim vamos levando a vida, que aos olhos alheios é perfeita!
Lindo Graça!
Beijos, e uma boa tarde!
Mariangela

Ailime disse...

Boa noite Graça,
Tão belo este poema!
A sua poesia exerce em mim um fascínio inexplicável!
"Espaço livre com barcos" um livro recheado de conchas poéticas do mais elevado nível!
Um beijinho grande e muito obrigada pela amabilidade das suas visitas e comentários.
Ailime

Benó disse...

Graça, essas são as rochas do meu viver, por onde me passeio e sonho. Mar infinito tão belo quando calmo, tão assustador quando se zanga. Não sabemos onde começa e acaba mas sabemos que está lá sempre, noite e dia.
Obrigada pelo poema.

Jaime A. disse...

Destino e remorso,
é nesta lonjura
feita de mim
e sem mim
que me espraio,
olhos abertos
no espanto do precipício.

Nal Pontes disse...

Disse tudo. Linda imagem e linda inspiração. Desejo um dia lindo pra ti. Bjs

Isa Sá disse...

Por aqui à jeito para a escrita!

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Cleri Biotto disse...

Graça, em duas palavras você sintetiza o ser e o estar no mundo "destino e remorso".
Gosto muito/abraço

Gaby Soncini disse...

Que lindos seus versos, muita vontade de um dia conhecer essa ponta da Europa!

Abraços!

Jaime Portela disse...

Vivemos na ponta... e bem perto do precipício...
Mais um brilhante poema, como sempre.
Graça, tenha um bom fim de semana.
Abraço.

ॐ Shirley ॐ disse...

Muitas vezes, equilibramo-nos na ponta de um iceberg e as pessoas não enxergam o há dentro do nosso peito...Ninguém conhece ninguém...
Belo poema, Graça!
Beijo

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Graça.
Que lindo poema. As vezes é melhor viver perto do precipício e com lindos sentimentos do que passar pela vida sem viver. Um lindo final de semana. Beijos.

Humberto Maranduva disse...

O mar é sempre a atracção do abismo, o tumulto, a rebelião, da mesma forma que a linha da vida é um caminho, estreito ou amplo, que prepara cada novo passo, em constante mutação rumo à felicidade.

Beijinho

Ana Freire disse...

Vivemos à beira do precipício... e mesmo caindo... teremos sido sempre os primeiros a tentar voar... para chegar mais longe... uma magnifico poema, e uma perfeita analogia ao nosso país...
Como sempre, um trabalho excepcional, por aqui, Graça!
Beijinhos! Bom fim de semana!
Ana

Nequéren Reis disse...

Versos maravilhosos amei, bom final de semana.
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=EgeQXJjUpSQ
Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/

As Mulheres 4estacoes disse...

Por vezes, nos sentimos diferente da imagem que refletimos e a alma se sente estrangeira no próprio corpo.
Gostei muito,
Sônia

manuela barroso disse...

O fascínio do mar transportado para a beleza tão particular da sua poesia só decifrável nos precipícios da belas imagens
Beijinho, Graça.

ManuelFL disse...

Poema inquietante - «destino e remorso ... olhar estrangeiro de todas as infâncias» -, uma bela metáfora da vida como procura incessante «à beira do precipício».

E, depois, a bela imagem do 'mar português'.

Agostinho disse...

Na condição estranha, entre a dúvida e o apelo, entre a euforia e a depressão, postados na escarpa rochosa da vida, de apátridas com terra, balouçamos na dualidade: mergulho ou voo?

Arroz Di Leite disse...

Bom dia Graça,

lindos versos e a imagem é muito gratificante.

Bjs

Tânia Camargo

Anete disse...

Graça, é bom estar por aqui e ler este lindo poema! Tão profundo como o mar!!
Nossos mais íntimos sentimentos somente o Criador os conhece completamente...

O meu abraço neste sábado...

AC disse...

Uma certa forma de ser...
Maravilhoso, Graça!

Um beijinho :)

Pedro Luso disse...

Muito bom o seu poema, Graça.Parabéns.
Um bom final de semana.
Abraços.

DE-PROPOSITO disse...

Vivemos num lugar que é só nosso. E o estar aqui ou ali não nos rouba o nosso espaço. E por vezes só estamos bem no lugar onde não estamos.

Que a felicidade ande por aí.
MANUEL

heretico disse...

pesa-nos a espada na mão, bem sei!...

há que seguir o poeta: "erguer a espada/ e a espada faz-se..."

belo. teu poema.

beijo, querida amiga

teresa p. disse...

A sensação de que não somos só do lugar em que vivemos, onde gravamos as nossas marcas e, por isso, o chamamento para o precipício "destino e remorso" e «a aflição do olhar, estrangeiro de todas as infâncias».
Um poema muito belo e inquietante, complementado com uma foto maravilhosa.
Beijo.

São disse...

A ambivalência quanto a Portugal também é minha, amiga.

Beijinhos

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, querida amiga, Graça Pires !
Vertiginosa imagem e, como sempre,
sedutores versos.
Que maravilha !
Parabéns e um fraterno abraço,
aqui do Brasil.
Sinval.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, lindo poema criado neste belo canto da Europa.
AG

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Somos todos estrangeiros, somos todos de todos os lados :)

beijo amigo

Fê blue bird disse...

Um precipício que tantas vezes visito.
Um sentir partilhado minha amiga.


Um beijinho

La Joie de Vivre! disse...

palavras lindíssimas, querida Graça! :) beijinhos

Ani Braga disse...

Oi Graça querida

Lindo poema e imagem maravilhosa.


Beijos
Ani

Evanir disse...

Minha Amiga.
espero conseguir tocar meu blog e estar a seu lado todas as vezes
que me for permitido.
Com o coração doido pela perda de uma pessoa da família
me sinto fragil tentando prosseguir .
Um beijo carinhoso obrigada por estar sempre no meu blog deixando sua marquinha de carinho.
Beijos..Evanir.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Minha amiga, estamos permanentemente à beira de precipicios,
mas a sua poesia, não.
Desejando que esteja bem.
Bj.
Irene Alves

Suzete Brainer disse...

Eu compreendo este teu olhar,
existe um sentir tão belo,
humano e poético nele...

A imagem tão bela que acompanha
o poema num mar profundo de ti!
Beijinho.

UIFPW08 disse...

Lindo poema
Beijos meus
Morris

Teresa Durães disse...

Já conhecia, claro! Mas n~ºao deixa, contudo, de ser uma beleza lê-lo.

Ana Tapadas disse...

Síntese perfeita da nossa identidade.

Beijinho

ONG ALERTA disse...

Um lugar maravilhoso....
Beijo Lusette.

manuela baptista disse...

esse lugar, tem a estranheza da infância


um abraço

✿ chica disse...

Graça,Vim agradecer teus carinhos, deixo beijos e ATÉ a VOLTA, espero que com alegria de boas notícias!
chica

Parapeito disse...

A viver e a olhar o mar...temos de continuar a ser pescadores de sonhos.
Adorei .
Brisas doces ***

Odete Ferreira disse...

Tão cheio, este poema. A lembrar-me a saga dos descobrimentos.
Muito original este sentir "patriótico". Uma pérola!
Bjo, Graça :)

Jaime A. disse...

Meu destino, meu berço. Nascer aqui deu-me a duplicidade do sonho e da pedra fria, imóvel. Não é destino ou fado, é o esquecer de quem sou, na toada de um berço que será esquife.
Um grande beijinho por um tão meditativo poema.