5.6.16

Simplicidade


As nossas vozes cruzam-se pela casa 
sem qualquer pressa. 
Mais uma vez repito para não esquecer 
o nome das flores que plantámos no canteiro 
dos quartos: azáleas, alecrim, gardénias, 
alegrias-do-lar, rosas brancas e vermelhas. 
As violetas no parapeito da cozinha dialogam 
entre si um silêncio vegetal e quase familiar. 
Dão-se bem aqui as violetas, referiste 
ajeitando os vasos com delicadeza 
como se a posse antecipada do prazer 
te inundasse as mãos.

Graça Pires
De Caderno de significados, 2013

57 comentários:

✿ chica disse...

Violetas que ficaram bem e se deram bem na janela e fazem parte da simplicidade , da beleza da vida! beijos, lindo domingo,chica

helia disse...

Que lindas flores ! E como elas enfeitam a Natureza e as nossas Casas ! É um prazer olhá-las e cuidar delas !

DE-PROPOSITO disse...

o nome das flores que plantámos no canteiro

A partir de certo momento, tudo não passa de recordações.

Felicidades
MANUEL

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Que dizer de um poema tão belo em que as flores e os sentimentos se misturam em perfeita harmonia?
Simplesmente que a minha amiga tem na alma o dom elevado do amor e da poesia.
Com a minha enorme admiração.
Beijinhos e um excelente domingo.
Ailime

Humberto Maranduva disse...

A beleza... a fragilidade... a cor e o aroma... as flores que somos no desejo do perfume de quem nos envolve.
beijinho

Maria Rodrigues disse...

Todo o encanto e beleza do que é simples.
Beijinhos
Maria

Jaime Portela disse...

Por vezes somos inspirados pela simplicidade das coisas, tornando tudo mais simples.
Gostei do teu poema, é magnífico.
Graça, tem um bom domingo e uma boa semana.
Beijo.

manuela barroso disse...

E nessa simplicidade , não parecendo rebuscada , está a complexidade das coisas simples . Não será por acasos que a flor eleita foi a violeta !
Beijinho , Graça

Blog da Gigi disse...

Lindo domingo!!!!!!!!!! Beijos

Cidália Ferreira disse...

Fantástico, o seu poema. Adorei :-)

Continuação de um bom Domingo.
Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Marta Vinhais disse...

Ofereci muitos raminhos de violeta à minha Mãe... Uma flor simples, delicada....
A encher a vida de cheiros e sonhos...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Luis Eme disse...

Pequenas coisas que fazem todo o sentido...

abraço Graça

Mar Arável disse...

Belo o teu vaso de cravos em botão
Bj

Majo Dutra disse...

~~~
Que casa iluminada, colorida e perfumada!

Uma simplicidade depurada e graciosa...

Aprecio sobremaneira

a beleza discreta das violetas africanas.

~~~ Beijinho. ~~~

Suzete Brainer disse...

Um poema luminoso de simplicidades,
com o tom-verbo das palavras-vidas (violetas),
que emanam o delicado do sentir e o prazer
nas mãos do afeto!...
Belíssimo, Querida Poeta!!
Beijos.

Graça Sampaio disse...

Tão simples e tão belo, Graça! E fica bem hoje, Dia Mundial do Ambiente...

Beijinhos

Sofia disse...

Também eu gostava de ter uma casa assim tão florida (=

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Graça!
Como vai?
Muito bonito gostar de flores, plantas... tratar bem à natureza!
Boa semana!
Bjm muito fraterno

Lourdinha Vilela disse...

As flores tem o poder de recriar a alegria em minha alma.
Um poema fascinante como as flores que celebram o amor. LINDO!!!
As violetas são das minhas preferidas.
Abraço. Bom final de domingo e uma linda semana pra você Graça.

Lídia Borges disse...


Gosto destes gestos quotidianos elevados à condição de poesia. A tua Poesia!


Um beijo meu

Lídia

Nequéren Reis disse...

É nas pequenas coisa que existe grande sentimento arrasou
Blog: http://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

Sara com Cafe disse...

Que genial!!!

Linda semana.
Abraço.

graça Alves disse...

Tão lindo, Graça...dizer a realidade, mas poeticamente...e dá um bem-estar...escrever e ler...
beijinhos bem-haja!

Luis Coelho disse...

Cuidar das flores é um saber poético que nos encanta. Gestos de ternura onde se repartem os diálogos de silêncio entre elas.

Isa Sá disse...

Gosto de flores...

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Agostinho disse...

Olá, Graça
Um poema inspirador:
a simplicidade do destino do homem:
o lidar com flores.

Repetir para não esquecer,
até que se saibam de cor
o nome, o aroma, a cor de todas flores
que se plantam no jardim.
Com amor.

Há lá coisa mais delicada ?

Bj

Poções de Arte disse...

Bom dia, Graça!

O início dos seus versos me lembrou o início do filme "Orgulho e Preconceito". Acho que era mais ou menos isso que o diretor queria retratar - a vida dentro de uma casa, acontecendo de maneira simples e cheia de pequenas felicidades.
Lindas violetas!

Obrigada pelo carinho com meus balões.

Abraços e feliz dia.

Pedro Luso disse...

Graça, gosto muito de seus poemas. Este é mais um dos seus belos poemas. Parabéns.
Abraços.
Pedro.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, na simplicidade está a beleza, é o caso das flores que se tornam lindas, assim como, o belo poema.
Boa semana,
AG

LuísM Castanheira disse...

Neste poema, tão simples como belo, "entramos" num mundo de harmonia, onde as flores, em especial as violetas, são catalizadores da sensibilidade.
Começa por nos conduzir aos sentimentos despertos ao olhar e acaba nos dois vasos de violetas, a criarem emoções.
Outros ficariam só pela beleza da natureza...mas a minha amiga, não!
Há um poema-canção, na voz de Teresa Tarouca (que partlhei no youtube, e está num blog meu, abaixo indicado), que gostaria muito ouvisse!
Um beijo, Graça.

http://planetaorbital.blogspot.pt/2014/11/a-rapariga-das-violetas-teresa-tarouca.html?m=1

Lucinalva disse...

Olá Graça
Lindo poema, a simplicidade encanta. Bjs querida.

ManuelFL disse...

Atingir a simplicidade é um longo caminho, orientado pela bússola do amor, os pequenos gestos quotidianos - «ajeitando os vasos com delicadeza como se a posse antecipada do prazer te inundasse as mãos» - encenando uma paixão irreprimível.
A imagética, a ternura, a indomável simplicidade deste belíssimo poema da Graça, fez-me lembrar um poema de Jorge Luís Borges, que aqui reproduzo parcialmente em tradução de Fernando Pinto do Amaral:

«Um homem que cultiva o seu jardim, como queria Voltaire.
O que agradece que na terra haja música.
O que descobre com prazer uma etimologia.
Dois empregados que num café do Sul jogam um silencioso xadrez.
O ceramista que premedita uma cor e uma forma.
O tipógrafo que compõe bem esta página, que talvez não lhe agrade.
Uma mulher e um homem que lêem os tercetos finais de certo canto.
O que acarinha um animal adormecido.
O que justifica ou quer justificar um mal que lhe fizeram.
O que agradece que na terra haja Stevenson.
O que prefere que os outros tenham razão.
Essas pessoas, que se ignoram, estão a salvar o mundo.»

Beijo, Graça

Cadinho RoCo disse...

Deliciosa composição.
Cadinho RoCo

heretico disse...

o prazer das pequenas coisas...
dão-se bem certamente todas as flores
que encontram o lugar certo - perto de ti...

beijo, minha Amiga

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi Amiga, Graça Pires !
Que delicadeza de tratamento, ao
dirigir-se, poeticamente, a essas
belas flores, que aí estão, a
enfeitar o teu, não menos belo,
coração de poetisa ! PARABÉNS.
Aceita o meu fraterno abraço, aqui
do Brasil.
Sinval.

Toninho disse...

É no toque, no conversar criar a harmonia.
Sentir parte desta com toda delicadeza.
Há vida e beleza refletida.
Mãos que cuidam e recebem o perfume.
Lindo Graça.

Linda semana e meu carinhoso abraço.
Bjs de paz.

teresa p. disse...

Só um olhar lúcido consegue apreender a beleza das coisas simples que a vida oferece a cada um de nós. O poema da Graça é muito belo e a foto das violetas complementam-no na perfeição.
Também gostei muito do poema de Jorge Luís Borges que o ManuelFL transcreveu. Lindíssimo!
Beijo.

Aline Goulart disse...

Sou apaixonada por flores. Adoro poesia que retratam essas belezas naturais. É muito legal quem consegue tirar das coisas simples as mais belas palavras. Beijinhos.

Andressa disse...

Singelo e encantador como as flores

Catarina H. disse...

Um simples e belo poema primaveril, quanto mais não seja pela referência às flores. A Primavera, essa, anda meia confusa. A imagem combina na perfeição com as palavras.
Beijinhos

Laura Ferreira disse...

muito bonito

manuela baptista disse...

damo-nos bem aqui nesta memória de vozes


um abraço, Graça

© Piedade Araújo Sol disse...

por vezes é na simplicidade das coisas que tudo é muito mais belo
muito belo o poema e a foto
beijo
:)

lis disse...

As flores exercem em nós um encantamento pela sua perfeição e beleza _as cores,os formatos,os nomes que possuem. Algumas sabemos e nao esquecemos como as rosas as margaridas os jasmins outras nos surpreendem como a 'alegrias do lar', em seu poema.
E como é bonito pensar como elas 'inundam as mãos' de quem tão bem escreve um poema,
parabéns Graça
um abraço

Rita Freitas disse...

Conseguimos ouvir a natureza na mais singela flor.

Beijinhos

Ana Freire disse...

um poema lindíssimo, Graça... onde a felicidade, a simplicidade e a cumplicidade... se entrelaçam formando um bouquet de grande beleza...
Beijinhos! Desejando-lhe um feliz fim de semana!
Ana

Teresa Durães disse...

"a posse antecipada de prazer", uma delícia

Mirtes Stolze. disse...

Bom dia Graças.
Lindas as suas plantas, costumo dizer que elas tem vida propria pois traz para o nosso lar alegria, vida, beleza. Um belo poema. A simplicidade é uma qualidade que deveria está mais presente na humanidade porque as coisas realmente belas como por exemplo as flores, simples é com uma beleza incrível, perfumando o ambiente. Um feliz final de semana querida amiga. Grande abraço.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Plantas, poesia, tudo é beleza.
Gostei.
Desejo que se encontre bem.
Bom fim de semana.
Bjs.
Irene Alves

Jaime Portela disse...

Gostei de reler este teu excelente poema.
Graça, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo.

Fê blue bird disse...

Amiga Graça.

Sempre ouvi dizer que devemos falar com as plantas, as suas estão a retribuir-lhe o carinho.
Na simplicidade está toda a beleza.

Um beijinho
Bom feriado!

Ana Tapadas disse...

Eu sou uma amante de jardins e de flores selvagens também. Descarrego o meu stress cuidando das minhas flores. Assim, adorei tudo neste poema.

Beijomeu.

AC disse...

Dos gestos mais simples se desenham os mais envolventes cenários.
Sempre bem, Graça.

Um beijinho :)

José Carlos Sant Anna disse...

Aqui são os sopros de uma vida em comum a acariciarem o vento. Maravilhoso, Graça!
Beijos,

carlos pereira disse...

As palavras e os gestos desaguam no poema tão maravilhosamente simples e belo.
Gostei muito poeta amiga.
Beijo.

Odete Ferreira disse...

Que beleza de versos saíram de um olhar sensível e atento a gestos tão comezinhos e às quais ligamos pouco!
Gostei mesmo muito, Graça!
Bjo :)

Parapeito disse...

lindas a violetas e as palavras
Abraço *