30.12.06

Rente à inocência

Honor C. Appleton

As primeiras mimosas marcaram a fronte
da menina saída do livro de aventuras,
que foi largado a um canto da inocência :
graciosa personagem a crescer para a memória
como um feitiço ; íman sagrado que resgata
a fantasia e desenha um berço nas mãos
dos que são da mesma estirpe dos poetas.
A morada dos gnomos situa-se na estrofe
da cantiga que fala dos moinhos de vento,
ou ao rés da magia do mais minucioso gesto
com que se adornam os cabelos e as mágoas.


Graça Pires
De Ortografia do olhar, 1996

1 comentário:

Aleph Borges disse...

Infância do verbo: poesia mágica. Beijo do Alê.