23.5.08

Escrevo rio



Somente a minha sombra
atravessou comigo
o brilho das manhãs
cativas do meu próprio espanto.
Em meus lábios,
tão repousados de beijos,
ocultei a sede
e nenhum horizonte
me apontou um rumor
de nascente.
Por isso, hoje,
escrevo rio
e um estuário
nasce-me nos olhos:
curso de água
à beira do verão.


Graça Pires
De Uma extensa mancha de sonhos, 2008

31 comentários:

Luis Eme disse...

e escreves muito bem...

em todas as estações, a todos os rios...

abraço Graça

isabel mendes ferreira disse...

e eu escrevo chegada. pedindo desculpa pela ausência....:( não é esquecimento. seria impossível.


antes um "parvo" de um impedimento......que há de passar.


mas leio leio e re-leio.


adivinha quem?

:)


beijooooooooooooooooooo!

Sophiamar disse...

Querida Amiga

Desculpa a minha ausência. Às vezes não encontro explicação para tal. É este o caso. E tu sabes quanto gosto de poesia, destas metáforas que tanto enriquecem o poema ( um estuário nasce-me nos olhos...)destes sentires, das imagens que se soltam da leitura.

Beijinhos

Bem hajas!

Beijinhos

Pena disse...

Minha Amiga:
Quando escreve "rio" e um "estuário" nasce-me nos olhos um curso de água à beira do verão. Admirável. Sentido. Profundo.
Adorei! Genial de encanto e ternura que jorra do seu lindo ser.
Adorei!
Beijinhos puros de amizade que estima muito e respeita imenso.
Sempre a admirá-la e a aconsiderá-la

pena

maré disse...

beijo de céu, terra e mar
beijo de maré à secura da praia.

compasso aberto de espuma...

belíssima imagética

bj

maré

Benó disse...

Que o curso de água à beira do verão nunca seque e o seu caudal de poesia continue a engrossar este vasto mar de leitores.
Um grande abraço.

JRL disse...

um curso de água para nos refrescar. bom fim de semana.

São disse...

Tanto o poema como a foto me agradaram muito.
Feliz final de semana.

Teresa P. disse...

Um rio de palavras e imagens mágicas...

Beijo.

Anónimo disse...

Aqui, encontro poesia! Escrita em Língua Portuguesa - a nossa! É por estes rios que deveria apenas e só navegar! É nestes rios que as manhãs são mais brilhantes! As tardes mais plácidas. As noites mais tranquilas! É com estes rios de poesia que se me aquieta a alma!

Um beijo,
Fátima (amiga Teresa P.)

herético disse...

a nascente estava lá. no pousio dos lábios. e o rio na margem das manhãs.

muito belo. como verão antecipado. ou será tardio?

adorei.

JPD disse...

Muito bem escrito.

Os cursos de água a reforçar a identidade, através da sombra que o horizonte nunca desfaz.

Monte Cristo disse...

Minha querida Amiga

Nenhum tempo se repete, pela simples razão de que não podemos repetir-nos. Mesmo que o rio fosse o mesmo - e da mesma maneiros, com o mesmo brilho, os mesmos cheiros -não o seriam os nossos olhos. Nem o seriam o nosso coração.

Mais um belo poema.

Bjs

Monte Cristo disse...

Só depois de publicado é que vi as gralhas. Por elas me penitencio.

Victor Oliveira Mateus disse...

Lindo... Como sempre! Gosto da imagem de se escrever rio com um
estuário a escorrer dos olhos...
Bjs.

© Piedade Araújo Sol disse...

e escreves muito o rio (poema) e o rio (foto).

beij

Vieira Calado disse...

Bem bom, como sempre.
Bjs

alice disse...

as palavras são a própria água :) beijinho grande, graça.

luis lourenço disse...

É um poema que aconchega a alma porque liberta a força do mar e respira a calma e a ociocidade dos dias de verão...

abraço poético

DelfimPeixoto disse...

E escrever assim não pode ter pausas

Licínia Quitério disse...

Um rumor de águas de verão. Sábias, de superfícies serenas e de tumultuosas profundezas.

Um beijo.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Belíssimo! Como a tua 'extensa mancha de sonhos'.
Beijo no coração

F. Reoli disse...

E esse curso é sempre caudaloso e fértil em sentimentos. Beijos

mundo azul disse...

...lindo! Seu poema deslizou ante meus olhos...Gostei, muito!!!
Beijos e muita luz...

Paula Raposo disse...

E que bem que escreves rio!! Bonito. Beijos.

Teresa Durães disse...

do verão, as tardes amenas

jorge vicente disse...

um poema à beira do verão e à beira-água.

muito bonito.

parabéns pelas tuas palavras

um beijinho
jorge

p.s.
tens um livrinho assinado para ti

maria m. disse...

«e um estuário
nasce-me nos olhos:»

e este belíssimo poema, Graça!

beijo.

Marinha de Allegue disse...

Fermosas palabras estacionais companheira, moi fermosas. O teu talento arrecende nesta estación...

Beijinhossssssss.
:)

hfm disse...

1 abraco de Strasburgo.

pin gente disse...

nos teus olhos,
as águas parecem serenas
correm devagar,
ao sabor de um leve vento
lagos,
que em movimento ao verão se atrevem
para não secar antes de chegar