11.5.08

A suspeita de um poema

Imogen Cunningham

Acordei com a suspeita de um poema
a pontuar a manhã.
Quantas vezes a palavra se demora,
e dói, e deixa na voz uma rara ansiedade.
Sei, agora, que esta imensa luz
passa no meu rosto, inesperadamente,
quando deixo que a noite cresça
por dentro do meu corpo,
como se fora fogo posto.

Graça Pires
De Conjugar afectos, 1997

32 comentários:

scaramouche disse...

parabéns pelo blog.

Paulo Sempre disse...

"Ortografia do olhar"
Um olhar ceguinho de choro tem sempre uma ortografia desprovida de "arcos-íris"...
Até sempre.

PS: «Quantas vezes a palavra se demora,
e dói, e deixa na voz uma rara ansiedade».

Quantas vezes a palavra se retarda no ontem...em incendiadas infâncias de dor?

Paulo

© Piedade Araújo Sol disse...

e será que a manhã se transformou em poema ou o poema que nasceu na manhã.

beij

luis lourenço disse...

Curto mas intenso! tem a fibra da poeta que sobe da vida para a poesia a escadaria de um fogo imenso...

beijinho

Teresa Durães disse...

quando a palavra se demora parece que o vazio intensifica-se

Pena disse...

Doce Amiga:
Sim! Parece fácil escrever ou simular um poema.
Não! Não me parece fácil, pela forma como concebeu este, maravilhoso e sentido.
Quanto talento e génio criativo brota do seu coração lindo.
À noite cintila um brilho intenso e poderoso.
Um Bem-Haja gigantesco, poetisa brilhante.
Beijinhos de admiração

pena

hfm disse...

Da sedução sofrida das palavras e da angústia que sentimos em vê-las bailar na nossa voz, na nossa escrita.

Licínia Quitério disse...

Antes de ser luz, dói mesmo...

Gostei muito.

Beijinho, Graça

Victor Oliveira Mateus disse...

Tantas vezes a palavra se demora
e dói
e mesmo depois de partir continua a doer... 1 bj.

JPD disse...

Belo.

Multiolhares disse...

Um poema não tem hora para nascer, assim o teu despontou de manhã

beijinhos

Só- Poesias e outros itens disse...

Esse enorme oásis das palavras à espera de uma síntese. Elaborar é sempre tecer nesses sentimentos.
Lindo o seu poema.

bjs.

Ju Gioli

Anónimo disse...

É essa imensa luz que se transforma em poesia...
Muito belo!
Beijo.
Teresa P.

alice disse...

a palavra demora-se apenas o tempo de encontrar as suas mãos, querida graça. mas eu sou "suspeita" para falar porque gosto muito de a ler!

um grande beijinho*

dona tela disse...

Tenho uma surpresa lá no meu blog. Espero que goste.

Áté amanhã se Deus quiser.

herético disse...

a noite. a consumação da luz. em teu poema. como fogo que se ateia...

belo.

Vieira Calado disse...

"um poema a pontuar a manhã.
Quantas vezes a palavra se demora..."
é bem bonito.
Um abraço

Luis Eme disse...

como se pode fazer um poema, com a sua suspeita, ao acordar...

abraço Graça

JRL disse...

que boa suspeita. um beijinho.

Baudolino disse...

Quantas vezes a palavra se demora,
e.. alivia...
abraço
P.

mundo azul disse...

...lindo!!! Gostei de conhecer sua escrita! Beijos e muita luz..._Zélia.

nana disse...

e o fundo que se respira, depois.....


respira-se.


:o)




obrigada por este respirar.

São disse...

Como pode ser tão ambivalente essa suspeita de poema, Graça!
Beijinhos.

Mar Arável disse...

Deixe-se invadir

por esse fogo

Benó disse...

Um beijo grande Graça por mais um lindo momento de inspiração.Em qualquer momento ela vem, toma conta do seu coração, sim porque a Graça escreve com o coração e não precisa ser de manhã, não é? Depois é deixar que os outros tenham o prazer de a ler.
Continuação de boa semana e
Seja Feliz!

maria m. disse...

a suspeita confisma-se: excelente poema este!

Pena disse...

Doce Amiga:
Não suspeito, tenho a certeza que é um Ser Humano lindo e fantástico.
Maravilhoso!
Beijinhos de estima grandiosa e respeito enormes
Com imensa consideração

pena

OBRIGADO pela sua ternura e encanto!

inominável disse...

às vezes tenho suspeitas dessas... às vezes concretizam-se... às vezes não...

o poema é sempre o meu suspeito principal, acusado do crime das palavras.

Marinha de Allegue disse...

Eres unha artista da palabra!!!.

Beijinhosss amiga.
:)

marialascas disse...

Olá.
Foi uma surpresa o seu blog. Gostei muito dos poemas!

Graça Pires disse...

Obrigada minhas amigas e meus amigos pelas palavras de carinho.
Obrigada também a todos os que visitaram este meu espaço de poesia.

Luís Nunes disse...

Senti um arrepio ao ler este poema, não sei explicar, ou sei mas não quero, gostei bastante de te ler.