12.7.08

Em seara alheia



Nau de sonho

Quase roçando a areia, tão beijada
pelas ondas do mar, serenamente,
à luz avermelhada e fulva do poente,
eu paro... passa a minha nau doirada.

É nau forte a errar no mar fulgente,
coberta de luzes a amurada...
Pelo sopro das ondas embalada
parece o amor no coração da gente.

É nau de sonhos, um sonho enorme em flor,
buscando as horas mágicas de cor
em que o sol morre e sente-se a verdade.

Oh minha nau doirada espera um pouco
levas ao leme um timoneiro louco
e fica meu coração doendo de saudade.

Otília Martel
In: Menina Marota : um desnudar de alma. Lisboa, Papiro, 2008

15 comentários:

maré disse...

"oh minha nau doirada"
e eu...
no rasto errante do riso das baleias

eu, afecto bravo, tingido de sol,
nesta praia imensa encontro a pedra lisa, que fala o amor.

beijo

maré

Pena disse...

Estimada Amiga:
Um poema com uma sensibidade magnífica. Puro e feito na saudade.
"Oh minha nau doirada espera um pouco
levas ao leme um timoneiro louco
e fica meu coração doendo de saudade."
Uma sensacional e perfeita nau de um sonho que é seu.
Belo. Profundo. Majistral de beleza.
Adorei! Excelente.
Parabéns sinceros
BJ amigos de estima e respeito.
Sempre a admirá-la

pena

teresa p. disse...

"Nau de sonhos". Um mar sereno para navegar...

Beijo.

heretico disse...

belíssimo soneto.

de fazer "crescer água na boca" ... à Florbela. rss

a "menina_marota" tem muito talento. não é surpresa para mim.

beijos (para as duas).

Deusa Odoyá disse...

Oi minha querida amiga.
um belo soneto, com uma pureza de alma, sem par.
Beijos e um bom domingo cheio de amor e paz em seu coração.
Te aguardo no meu cantinho.

Regina Coeli.

© Piedade Araújo Sol disse...

fiquei surpreendida com o soneto da Otília, não conhecia este, e ainda não tenho o livro.

uma boa escolha que aqui nos dás a partilhar.

beij

Luis Eme disse...

lindo soneto da "menina marota"...

abraço para ela e para ti Graça

Menina_marota disse...

É um privilégio e uma honra, ver-me assim referida na "casa" de uma Poeta que há muito admiro e sigo.

Grata por partilhar as minhas palavras, neste local que, para mim, é de culto.

Um abraço carinhoso

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!
Passei para desejar uma boa semana.
Bjs

encena_dor disse...

Venha(m) conhecer o meu blog. Espero que se divirta(m)

alice disse...

querida graça, tenho o privilégio de conhecer a otília e ter estado presente no lançamento deste livro no porto e aproveito para informar que há uma apresentação em lisboa, esta sexta feira, dia 18 de julho, na livraria bertrand, às 18 horas. um grande beijinho por este post.

hfm disse...

Obrigada pela partilha.

maria disse...

Belíssimo poema!
Precisamos tanto de uma "nau de sonho"...
Beijo

lena disse...

um maravilhoso soneto!

o mar faz-lhe companhia e a nau serenamente corta as ondas do sonho

já o tinha lido, mas há sempre algo mais que ficou por ler ou sentir

um abraço Poeta Graça, mesmo em seara alheia é bom entrar e ficar

beijinhos

lena

maria m. disse...

poema encantado, o de Otília Martel.