21.7.08

O mais secreto brilho do verão

Rachel Giese


Acordei assustada: tinha cortado
os pulsos para matar a sede.
Agora que a sede sangra nos meus lábios,
devoro, gota a gota, o hálito da terra,
ou o cheiro dos morangos,
ou, apenas, o sangue das palavras.
E arrasto o dia pelas sombras,
bebendo, devagar, o mais secreto
brilho do verão.


Graça Pires
De Quando as estevas entraram no poema, 2005

30 comentários:

Menina_marota disse...

"...bebendo, devagar, o mais secreto
brilho do verão."

e que nesse brilho, esteja a esperança de todos nós...

Um abraço carinhoso e muito grata pelas suas palavras de carinho e incentivo.

Bj

maré disse...

e esta manhã acordei com as mãos feridas,de tanto procurar uma metáfora que me fugiu no vento.


e a alma a morrer,lentamente...

maré

Teresa Durães disse...

...para que haja sempre o calor do sol

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Ainda bem que a 'sede' você mata com o mais puro sangue metafórico de palavras.
Saudades, minha querida, nesse pedaço de além-mar.

TINTA PERMANENTE disse...

Um rio...
(a beleza das palavras)

abraços!

Pena disse...

Brilhante Amiga:
Um poema arrebatador e fascinante que delicia pela imensa significação bela.
Criada com fíguras linguísticas admiráveis de beleza.
"Acordei assustada: tinha cortado
os pulsos para matar a sede."

Um belo momento de Grandiosa poesia.
Parabéns sinceros. Adorei!
Bj amigos de respeito, admiração e estima
Sempre a admirar o que escreve com genialidade imensa

pena

Vieira Calado disse...

Belo!
Um abraço

Licínia Quitério disse...

As fortes sedes explodindo nas artérias do verão.
É tão bom ler-te, Graça.

Beijo.

FB disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

São disse...

O poema está bem escrito , como sempre...mas arrepiou-me a ideia de beber o próprio sangue para matar a sede, perdoa.
Feliz semana.

teresa p. disse...

Sede profunda e infinita...
As imagens poéticas são impressionantes, sublimes. A fotografia fabulosa.
Beijo

Paula Raposo disse...

Lindíssimo e cheio de força!! Beijos.

JRL disse...

Obrigada, Graça. Perdoa-me as ausências... Um grande beijinho. (não é preciso elogiar-te, pois não? às tantas, a repetição começa a tornar as palavras ocas... prefiro saborear o que escreves).

adelaide amorim disse...

Gosto muito da força que seus poemas expressam, Graça.
Um beijo.

Multiolhares disse...

é a força do universo que desabrocham do teu poema

bj

maria carvalhosa disse...

Lindíssimo, Graça. Tenho andado muito afastada mas com saudades.
Sinto muito a falta da leitura dos teus poemas, que sempre me deixam com um sorriso nos lábios e, por vezes, uma teimosa lágrima a rolar pela face.
Vou voltando quando posso.
Beijos ternos, minha amiga.

maria m. disse...

o brilho do próprio sangue, o brilho das próprias palavras. que seja inspirador.

bjos.

Só- Poesias e outros itens disse...

Linda imagem e poema

Bjs.

JU Gioli

soledade disse...

No seu poema, Graça, encontro como que um fulgor subterrâneo, talvez o da própria criação poética, essa urgência sem apelo que tantas vezes abusa do próprio criador e se alimenta dele. Mas vale a pena correr o risco.
Um beijo, uma boa noite.

lisse disse...

De tão seca a boca fez-se terra.
Nela desenhei um árvore...
E cada vez que o orvalho se faz vida em suas folhas,
é de sangue a cor que nasce nelas.

Para que sempre continue a lê-la e a encontrá-la por outras ruas.
beijo com admiração

hfm disse...

São esses imponderávies "secretos" os mais importantes! Belo!

Victor Oliveira Mateus disse...

Matar a sede com o sangue da terra
ou com a beleza das palavras é,
por vezes, como neste caso, a mesma coisa...
Um beijo (regressado)

DE-PROPOSITO disse...

o mais secreto
brilho do verão.
--------------
Ou serão 'os sonhos de Verão'. E com o terminar do mesmo (o Verão), eles serão apenas uma doce recordação.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

© Piedade Araújo Sol disse...

a tua poesia é sempre muito "cuidada" e muito bem trabalhada.

escreves muit bem.

beij

Ailime disse...

Eu gosto muito de poesia e, quando leio os seus poemas, fico extasiada com o seu poder de criação!
Bem-haja!
Beijinhos

Benó disse...

"E arrasto o dia pelas sombras..."
Adorei!
Desejo um bom fim de semana com SOL, sombra para refrescar e uma companhia amiga para conversar.
Um beijo grande.

pin gente disse...

como a loucura de um sonho se transforma em belíssimas palavras


abraço

inominável disse...

o Verão vai-me correndo sangrento de cansaço e de sono...

Menina_marota disse...

Reli com prazer e emoção...

Deixo um beijo ;)

LM,paris disse...

" a sede do infinito que nos salva"... diz a Graça no blog da isabel, que bom puder ler e aprender a visao sua que me reconstroi a pouco e pouco e me leva nos seus pulsos , fontes e sôfregos alimentos da nossa terra, do corpo e dos làbios.
Nao me canso de andar a " doer " neste espaço, ancolie et espoir se mélangent comme pour nous brûler des peines, nos secousses.
merci d'être passée chez-moi, vos mots, as suas palavras sempre apontam o que diz o poema por dentro.
Beijo de paris , acompanha-me hoje pelo marais, je peux?
Bjos
LM