16.7.08

Memórias de Dulcineia III



Quando fui ao teu encontro
levei no decote
um rebento de alecrim
para que me avistasses
pelo aroma.


Graça Pires
De Uma extensa mancha de sonhos, 2008

28 comentários:

DE-PROPOSITO disse...

para que me avistasses
------------
Pois é.
A preocupação em ser notado.
Fica bem.
E a felicidade por aí.
Manuel

Pena disse...

Linda Amiga:
Incrível de simplicidade maravilhosa e doce, este poema.
Aqui existe genialidade. Existe Alma poética grandiosa.
Ainda retenho o poema todo que me fez encantar e deliciar: Absolutamente lindo.
Para fixar:
"Quando fui ao teu encontro
levei no decote
um rebento de alecrim
para que me avistasses
pelo aroma." - Fantástico, amiga!
Adorei.
Bj amigos que a estimam e respeitam.
Sempre a lê-la com muita atenção e poderosa admiração.

pena

Teresa Durães disse...

lindo!

hfm disse...

Esta aparente simplicidade fez-me lembrar grandes poetas.

TINTA PERMANENTE disse...

Um poema tão fresco e doce quanto o alecrim!...


abraços!

teresa p. disse...

Aroma bom...
Lindo, e tão fresco... a lembrar o campo.
Beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

simples e cheiroso como o alecrim.

beij

adelaide amorim disse...

Graça, seu poema é desses que encantam à primeira vista. Um beijo por ele.

Sophiamar disse...

Espero que ele te tenha avistado também pelo aroma. É que pelas palavras és inconfundível.

Beijinhos

soledade disse...

A "bandeira" é perfeita: o aroma e a singeleza da planta silvestre, clamando baixinho - no decote.

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Esse alecrim tem cheiro de poesia, assim como tuas mãos que tão bem perfumaram esse poema.
Um grande beijo.

Miguel Barroso disse...

graças à memória olfactiva, cheguei até cá. esse cheiro recorda-me a necessidade de abraçar a minha mulher. Abraços do EU, SER IMPERFEITO

doisolhinhos disse...

Gosto de todos os seus poemas, mas, as "Memórias de Dulcineia" tocam-me de uma forma especial. Lembro-me sempre da obra-prima de Cervantes. Aqui, Dulcineia existe! É real! Os desvarios de D. Quixote... "Pelo Sonho é que vamos,comovidos e mudos.Chegamos? Não chegamos?... - Partimos. Vamos. Somos."

maré disse...

e nos passos,
transparentes de cor

desenhou-se a plenitude

do mar.

lindo,Graça.

maré

São disse...

Muito, muito bonito!
Aromatizado final de semana, Graça.

doisolhinhos disse...

Eu sei Graça. Mas, ao ler os seus poemas, na minha cabeça, gosto de pensar na sua Dulcineia ficcionada, como sendo real, ou seja: as "Dulcineias" dos tempos actuais. (pretextos para pensar no amor) :)

heretico disse...

alecrim aos molhos. certamente.

para cego(s) ver(em)?

adorei! lindo...

encena_dor disse...

Perfumes. Que seduzem.

isabel mendes ferreira disse...

eu...Graça quando fui ao seu encontro levava a memória belíssima de uma ortografia especial.



agora deixo o meu melhor abraço.


de agradeciemnto.


de até um sempre.



________________sempre.

Ailime disse...

O aroma do alecrim é nobre, como é nobre o amor e quem desta forma o sente!
Muito lindo, lindo...
Os meus parabéns, pela forma como escreve!

Bjs.

Benó disse...

Vou encerrar o meu sábado oferecendo-lhe um molho de alecrim para atapetar os seus sonhos para domingo.
Singeleza poética que gostei de ler.
Um grande abraço.

pin gente disse...

e ao longe de senti
cada vez mais próxima
no teu aroma decotado
com cheiro a alecrim



beijo

Mar Arável disse...

aDMITO QUE TENHA SIDO UM BELO

ENCONTRO - A TRÊS

lena disse...

consegui que esse aroma a alecrim, chegasse até mim,

a sua entrega aos seus versos é sublime,

um sentir em palavras sem ver


com carinho a abraço poeta Graça

beijinhos


lena

Anónimo disse...

www.luso-poemas.net , venha participar com as suas lindas palavras

Parapeito disse...

..." Aí meu amor quem te disse a ti que a flor do monte era o alecrim"

Gosto do Alecrim ..dizem que é a flor que simboliza o amor.
Assim sendo uma semana cheia de Alecrim :)

maria m. disse...

tão singelo e tão bonito, Graça!

ramos vilaça disse...

Bastou-me este poema para ficar de alma cheia...

A minha gratidão