30.11.08

Em seara alheia



UM POEMA

Não tenhas medo, ouve:
É um poema.
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo
Ao deitar,
Ao levantar,
Ou nas restantes horas de tristeza.
Na segura certeza
De que mal não te faz.
E pode acontecer que te dê paz...


Miguel Torga
In: Diário XIII. Coimbra, 1983

38 comentários:

hfm disse...

Como eu gosto deste poeta tão esqucido, diria mesmo, tão pouco querido! Obrigada.

d'Angelo disse...

Uma amálgama de prece e de magia a poesia, ora beirando o desespero ora a redenção. Que pede a nudez da alma de quem escreve e de quem lê. O meu abraço a você, Graça, voz maior da palavra.

gisela ramos rosa disse...

Maravilha!! Que bem me fez o poema de Torga. Obrigada!

Um abraço, Gisela Ramos Rosa

Elizabeth F. de Oliveira disse...

O poema é para mim algo sagrado, um misto mesmo de oração e feitiço.
Miguel Torga dispensa comentários.
beijo no coração

Mar Arável disse...

Uma boa terapia

sem aditivos

maré disse...

como diz d´Angelo, tantas vezes a redenção...

eu também gosto
muito!

de ti
também!

um beijo

teresa p. disse...

"É um poema.
Um misto de oração e de feitiço..."

Autêntico!
Muito bom recordar Miguel Torga.
Beijo.

Sophie Gaarder disse...

Um poema que embala num ritmo suave e belo.
Há já algum tempo que te tenho lido.
Gosto bastante da tua escrita e de toda a tua escolha de imagens com diversas alusões à pintura…
Obrigada pela visita.

Um beijo

babel disse...

Dos contos gosto francamente e já gostei bastante da poesia de Torga, hoje esmoreceu-se um pouco, mas ficaram-me na memória poemas como este, também de um dos Diários,que começa assim, conhecidíssimo, julgo:

Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

mariavento disse...

Lindíssimo.
Beijo

Bill Stein Husenbar disse...

Excelente escolha...

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Monte Cristo disse...

Torga, é verdade. E a sua maravilhosa capacidade para ser simples e profundo. Afinal, o que é um poema? Apenas a oferta da outra parte da vida, aquela que - por ser mais evidente - às vezes custa a ver. Uma lição.

bjs

Teresa Durães disse...

um poema que se trás sempre connosco

São disse...

Telepatia, Graça?
Eu estive para o colocar ontem.
Bom feriado.

Barone disse...

Convite poético – indicado por Chico Mello

Olá, Chico Mello indicou seu nome para participar do projeto Poema Dia (http://poemadia.blogspot.com/). Se quiseres embarcar conosco será um grande prazer.

A idéia é simples: trata-se de um blog no qual cada dia do mês é adotado por um poeta ou mini-contista que, neste dia específico, posta um trabalho de sua autoria.

Fico no aguardo.

os contemporâneos disse...

Grande
Grande
Miguel Torga

não há possibilidade de retirar as irritantes letrinhas???

JPD disse...

Miguel Totga é excelente.
Boa escolha.
Bjs

Ailime disse...

Que bom, terminar o meu dia lendo este poema aparentemente simples, mas que só os génios são capazes de criar e oferecer desta forma tão sublime.
Fico em paz, deixando um beijinho.
Grata pela partilha.

Paula Raposo disse...

Excelente Miguel Torga!! Beijos.

Anónimo disse...

sublinho a hfm.



em tudo.



e a ti sublinho.te o meu maior carinho.




sempre.





piano.

os contemporâneos disse...

Retirou as letrinhas.
obrigados

Nilson Barcelli disse...

A poesia também pode servir para nos dar paz interior.
Não me canso de ler Torga, um escritor notável.
Obrigado pela partilha, beijinhos.

dona tela disse...

O que me diz a este tempinho? Só para pinguins...

Um abraço respeitoso.

Sophiamar disse...

Miguel Torga é um dos grandes poetas mundiais. Lê-se este poema, aparentemente tão singelo, mas fazê-lo? Não é fácil. É assim, esta qualidade cabe aos grandes.
Adorei, amiga! Um poema, uma oração, saída do coração.

Beijinhos

Eliana Mara disse...

Quero esta oração diária...

Beijos!

Véu de Maya disse...

Simples e profundo...obrigado...

Um abraço

OlharMeu disse...

E Paz é preciso!

Beijinho

heretico disse...

agua pura da poesia...

beijo

Eduardo Aleixo disse...

Tu sabes, suponho, como gosto de Torga, e olha, digo-te mais, essa forma-concepção de poema oração, ou, pelo menos, reza calma, serena, eis o ideal para mim, que, sendo mar, o que quero, na verdade, é um ribeiro, riacho, regato, fio de água... Ora ( que curiosa esta palavra ora, neste contexto... ) , ora, repito, para o que me havia de dar!
Falando em dar, dou-te um beijo.
EA

Maria Clarinda disse...

Belo este poema de Miguel Torga, eu pessoalmente à muito que o tenho, nos meus preferidos. Obrigada por o trazeres aqui.
Jinhos mil

Eduardo Aleixo disse...

Ontem comentei aqui, dizendo que o poema é como uma oração. Como não o vejo reproduzido, certamente enganei-me em alguma coisa técnica. Obrogado pelo poema e pelo poeta que tanto, tanto admiro.

Abraço.
EA

isabel mendes ferreira disse...

Graça____________
_________________Obrigada.







beijo. íssimo.

Peter Pan disse...

Sensível e Linda Amiga:
Um poema sobre um poema admirável. Saído das mãos de ouro de um imortal poeta que está sepultado em S. Martinho D´Anta, aqui a dez Km de minha casa.
Lindo. Porque a sua eterna poesia tudo cativa e permanece em nós com encanto, ternura e beleza:
"UM POEMA

Não tenhas medo, ouve:
É um poema.
Um misto de oração e de feitiço...
Sem qualquer compromisso,
Ouve-o atentamente,
De coração lavado.
Poderás decorá-lo
E rezá-lo..."

Tão lindo...
Que saudades do seu convívio terreno...deixou a Obra Fantástica...imortal...!
Beijinho pela sua atitude. É linda, sabe?
Maravilhado...

peter pan

Thiago disse...

Que grande é o Miguel Torga!! Deixo-te um beijo e o convite a conhecer mais um capítulo da história de Laia!!

inominável disse...

e dá, dá...

maria m. disse...

bom trazeres aqui Miguel Torga! abraços.

Parapeito disse...

Gosto tanto do Torga :)

Obrigada***

Delírios das Borboletas disse...

belíssimas palavras!!!!!
bjs