27.4.14

Pressentimos o abismo

Pier Toffoletti

Se acreditamos que um istmo 
viola a intimidade da ilha, 
é porque pressentimos o abismo 
ou o embuste de um drama, 
de uma suspeita, de imagens 
desfocadas pelo ódio. 
É porque sabemos que o pão, 
levedado pela fome, 
deixa intacta a miséria
e a tristeza na boca das manhãs.

Graça pires
De Ortografia do olhar, 1996

35 comentários:

Cristina Cebola disse...

Esta forma peculiar de escrever nas entrelinhas, deixam-me sempre a reflectir sobre as mensagens que absorvo dos seus poemas.
Adorei!

Beijinho e bom Domingo!

José Vilhena Moreira disse...

Claro que não devemos interferir na formação dos istmos,imagem poética para a partilha e a comunicação...
Mas, Graça, e sem ilhas como sobrevivemos? Para onde voltava Ulisses que ao fim ao cabo é um nome para todos nós?
:)

Marta Vinhais disse...

Haverá sempre abismos e ilhas...Para meditarmos, curarmos as feridas e recomeçar...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

António Eduardo Lico disse...

Bela poesia Graça.
Boa semana.
Abraço.

Lídia Borges disse...


À vista, tão claro se faz, aos olhos do poeta, o barco desgovernado.

Uma poética onde imagens e sensações se nos assomam como ondas.

Obrigada!

Um beijo

Graça Sampaio disse...

Tão atual, quase vinte anos depois... infelizmente.

Ana Tapadas disse...

Um poema rigoroso na forma e perene de conteúdo!

Beijo

Evanir disse...

Se cada um dos nossos sonhos pudessem criar novos tempos,
novas esperanças e iluminasse cada amanhecer,
a cada novo dia pudessemos
escrever uma nova história,
a vida seria repleta de certezas.
Mas, a vida é cheia de incertezas,
e é isso que nos estimula a sonhar e
a depositar nossas esperanças no amanhã, sabendo que,
o hoje é uma fonte inesgotável de benção
de possibilidades de ser feliz.
Um abençoado final de Domingo.
Uma nova semana repleta de realizações
que seja dias de felicidades suprema.
Beijos e meu eterno carinho..
Evanir.

teresa p. disse...

Imagens poéticas, profundas e cheias de realismo, que vão direitas ao coração.
A pintura, muito bela, ilustra bem as palavras do poema.
Gostei muito!
Beijo.

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Poetisa, Graça Pires !
Não consigo encontrar, em meu
idioma, um adjetivo para classificar, com justiça, este
poema.
Na ausência, remeto o meu abraço
emocionado, aqui do Brasil.
Sinval.

Ailime disse...

Boa tarde Graça, como sempre um poema muito belo (não me canso de a ler) como que numa antevisão da cruel realidade que sobre nós se abateu! No entanto, não percamos a esperança! Um beijinho. Ailime

manuela barroso disse...

São istmos como este que nos fazem esquecer por segundos a fome das marés.
Beijinho Graça

Nilson Barcelli disse...

Mas não é nada fácil conseguir viver sem o tormento dos istmos...
Excelente, como sempre.
Boa semana, querida amiga Graça.
Beijo.

São disse...

O que está por detrás dos espelhos que são os teus poemas , ainda assim é bem claro!

Abraço grande

Luis Eme disse...

sim.

abraço Graça

heretico disse...

por uma Terra sem ilhas. nem amos.

e que os istmos sejam abraços.

belíssimo, minha amiga.

beijo

Benó disse...

Um sentir transmitido com saber poético para refletir.
Uma boa semana, amiga.

Agostinho disse...

A coragem de manter o istmo é a redenção do nosso egoísmo e orgulho.
Como sempre um ótimo poema.
Boa semana, Graça Pires.

Zilani Célia disse...

OI GRAÇA!
EM TUAS METÁFORAS, MUITA INTENSIDADE.
ESTA ILHA COM SUA INTIMIDADE VIOLADA, PODE SER NOSSO PRÓPRIO EU...
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Anónimo disse...

Um poema e uma imagem muito fortes, que nos interpelam e desassossegam, nestes tempos tão ingratos aos deserdados da terra.

ManuelFL

Andrea Liette disse...

Acompanho sua poesia desde 2007 . Sem embargo, encontro aqui uma fonte de límpida inspiração. Somente hoje respirei a coragem para expressar minha gratidão. Grande abraço.

dade amorim disse...

Um belíssimo poema, cara amiga!

Beijo

irene alves disse...

Pressentimos o abismo é uma
excelente poesia. Gostei imenso.
Será que a amiga permitia que a
colocasse no meu blogue sinfonia
esol.wordpress.com
onviamente com os devidos créditos?
Num próximo comentário mo dirá.
Desejo que fique bem.
Bj.
Irene Alves

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia,
Os interesses pessoais provocam premeditadamente abismos, assim a submissão de quem está á beira do abismo, seja eficaz para o aumento da riqueza pessoal em 17% daqueles que comandam os nossos(des)governantes.
Seu poema é magnifico e real, passa uma mensagem para o povo despertar.
Dia feliz
ag

http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Evanir disse...

O caminho está a tua espera, pé na estrada,
coloque um sonho na alma,
fé no coração e esperança na mochila,
a vida se enche de novidades
para os que se aventuram na
viagem que conduz a verdadeira liberdade.
Eu estou aqui para deixar um carinhoso
abraço um carinho para seu coração ,
e mil beijos na alma.
Um Feliz Dia Do Trabalho.
Evanir.

José María Souza Costa disse...

Olá, Graça Pires.

Muito linda a sua poética, são as partilhas, que nos aproximam dos mais necessitados. E às vezes, essa aproximação nos faz pelo estômago.
CONVITE
Passei por aqui lendo, e, em visita ao seu blog.
Eu também tenho um, só que muito simples.
Estou lhe convidando a visitar-me, e, se possível seguirmos juntos por eles, e, com eles. Sempre gostei de escrever, expor as minhas idéias e compartilhar com as pessoas, independente da classe Social, do Credo Religioso, da Opção Sexual, ou, da Etnia.
Para mim, o que vai interessar é o nosso intercâmbio de idéias, e, de pensamentos.
Estou lá, no meu Espaço Simplório, esperando por você.
E, eu, já estou Seguindo o seu blog.
Força, Paz, Amizade e Alegria
Para você, um abraço do Brasil.
www.josemariacosta.com

Teresa Poças disse...

A vida é sempre melhor enquanto tivermos croissants!
Um beijo com muito carinho

NAMIBIANO FERREIRA disse...

A tu poesia, enche-me os sentidos todos de uma profunda graça poética...

Amén!

Pérola disse...

Há uma intuição que tudo nos diz, assim a queiramos ouvir.

Que os ismos se desfaçam e as ilhas mantenham a integridade.

Beijo

Maria Luisa Adães disse...

Pressentimos, sim...

Mas tentamos não perceber e entramos em caminhos que não são os nossos caminhos e por vezes...traímos nosso destino...não pelos outros, mas por nossa própria culpa!

Lindo!

Maria luísa

Maria José Rezende de Lacerda disse...

Olá. Vim agradecer, embora um pouco tarde, sua visita ao "Arca". O seu blog é bem interessante. Voltarei outras vezes. Grande abraço.

manuela baptista disse...

é assim

um abraço, Graça

. intemporal . disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Parapeito disse...

Belo....há que não perder a esperança.
brisas doces**

Samuel Pimenta disse...

Identifico-me tanto com as imagens que evoca. Obrigado por isso!