28.3.08

História de amor

Michele Lamontagne


Era primavera em todas as montanhas
tecidas de lilás
e o luar escorria pelas casas,
decifrando alegorias e monólogos.
Ao findar da tade, havia já
no olhar de toda a gente
um itinerário definitivo
de sensações breves e paradoxais.
Das mãos das mulheres
saíam cavalos de barro
com fios invisíveis,
que suspendiam todas as perversões,
e os limos perfumavam a bruma
como um símbolo imortal.
Foi então que, no meio da noite,
um adolescente iniciou,
perturbado e lento,
todos os cambiantes do seu corpo nú,
até à ruptura líquida dos desejos.
E todas as mulheres
o adoptaram como filho.


Graça Pires
De Poemas, 1990

23 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

obrigada Graça...
mas nada que chegue à beleza da tua "história de Amor"...





beijo. certo.

a tentar recuperar o tempo perdido...:)
_________________

irneh disse...

Olá

Obrigda pela visita. Já havia passado por aqui, mas achei-me pequenina para comentar a poesia que aqui encontrei. Voltarei.

Um beijo

Pena disse...

Simpática Amiga:
Um poema belo de complexa interpretação.
A "Primavera" que concebeu com ternura e dedicação sente-se num "luar" majestoso de si. Também entra no quadro existencial. Decorado policromaticamente de beleza com "sensações" breves, mas infinitas de talento.
"Perversões" aqui? Desconheço. Ignoro. É demasiado terno o que o seu idealizar consolida.
Vive de um perfume da "bruma imortal" deslumbrante.
Excelente. Gostei muito.
Beijinhos de amizade e estima.
Respeitosamente

pena

OBRIGADO sincero pela visita. Gostei muito, creia.

Outonodesconhecido disse...

Ainda há finais felizes...
bom fim de semana
http://comecardenovo2008.blogspot.com/

Fat disse...

...metáfora, contradição,corrupção lama, obscuridade...?

Primavera. Desejos ardentes?

Difícil este seu poema.

alice disse...

este rapaz que a noite acolheu nas mãos de tão doces mulheres, deixou o corpo como tela para estas suas palavras, querida graça. ele sabia que havia de ficar escrito. este foi um dos meus favoritos seus ;)

beijinho grande *

Carlos Ramos disse...

Muito cinema nas tuas mãos, beleza na tua caneta. Aplaudo este teu poema... sublime.

São disse...

Que maneira mais delicada para abordadr um tema...
Feliz fim de semana, amiga.

© Piedade Araújo Sol disse...

Sublime poema, assim como a foto que o acompanha.

beij

Anónimo disse...

Claro! A Primavera é a festa da natureza, a festa dos sentidos.

Muito erótica esta "história de amor". E linda...
beijos.
Teresa P.

São disse...

Venho desejar-te feliz domingo.
Da outra vez não disse, mas acho a foto muito bonita.
Abraços.

Luis Eme disse...

linda a tua história de amor...

abraço graça

Licínia Quitério disse...

Que maneira belíssima de sagrar a primavera.

Um beijo.

Só- Poesias e outros itens disse...

Palavras imagens:
coisa rara...
belo poema.

bjs.

JU Gioli

hfm disse...

Como me cheirou a Provença e a todos os corpos de todas as primaveras.

JRL disse...

belo poema. adoro as flores do campo que podemos ver todos os anos por esta altura. e das papoilas. :) um abraço.

Mar Arável disse...

E o nu

descobriu-se a si próprio

herético disse...

e o adolescente amou todas as mulheres. pela vida fora...

belo.

maria m. disse...

uma bela e diferente história de amor. gostei muito.

um beijo.

São disse...

Vim reler-te.
Abraços.

Graça Pires disse...

Para todas e para todos uma Primavera cheia de amor. Obrigada pelas vossas palavras. Um beijo.

Kiara Carrera Guedes disse...

Olá! Passeando por aí, cheguei até aqui... gostei, voltarei mais vezes...
Abraços

Benó disse...

A primavera chegou e as mulheres deram ao jovem algo que só elas entenderam dar:o prazer do
amor maternal.

Gostei desta primavera.
Seja Feliz!