10.5.07

Como silenciar as mãos?

André Kertész

Perturbada pelo desacato das emoções,
utilizo um roteiro de artifícios
para simular, em cada madrugada,
a cumplicidade dos deuses.
Mas, como silenciar as mãos que dobam
a brisa da manhã, no vórtice do tempo ?
Não iludo a distância.
É devagar que olho para trás,
à procura de mim.
Cada vinco do rosto, é um caminho
onde a angústia se deteve.

Graça Pires
De Uma certa forma de errância, 2003

5 comentários:

Paula Raposo disse...

Excelente! As mãos não se silenciam...elas vivem e mostram em cada gesto o sentimento. Adorei!

maria carvalhosa disse...

Não há como, amiga.Tens razão.

Um beijo.

alice disse...

que estas mãos nunca se silenciem *

Teresa Durães disse...

Por acaso já aprendi como se faz :) tendo consciência do corpo. As mãos, a variação de tom. artifícios todos eles, claro.

gostei bastante do que li !

boa tarde

Graça Pires disse...

Obrigada Paula Raposo, Maria Carvalhosa,Alice e Teresa Durães pelos vossos comentários tão bonitos quanto sensíveis. Um beijo.