22.8.22

Por onde caminha Antígona

Ilya Kisaradov

Traço, neste texto, uma linha utópica 
por onde caminha antígona com o olhar orvalhado, 
confrontada com a tradição sagrada e a lei, 
com o amor e o ódio. 
Pronta a morrer por acreditar 
na justeza do seu gesto. 
Deixo-a passar, conflitual e pura, 
numa tragicidade instintiva, sublime, quase mística. 
Personificação de um lúcido desespero. 
Deixo-a passar como uma sombra branca 
onde as minhas mãos difusamente se perdem 
e se encontram, para urdirem uma dualidade fraternal 
e cúmplice que se consome no meu peito. 
Um pretexto mítico arrasta-me para o coro trágico: 
o homem nada sabe sem queimar os seus pés no fogo ardente
Mas recuo, desarticulando da minha voz reticente todas as contendas. 
Não sigo antígona. Interiorizo apenas a inquietante aflição 
e a desmesura de um conflito tão tremendo, tão sacrificial. 

Graça Pires 
De Antígona passou por aqui, 2021. p. 57

57 comentários:

Marta Vinhais disse...

Um tempo fatal...o prenúncio de destruição, até morte...
Lavado pelo fogo... e fechado em desespero...
Brilhante o poema, bom saber que está de regresso.
Beijos e abraços
Marta

Elvira Carvalho disse...

Um poema que reli com o mesmo prazer da primeira vez.
Abraço, saúde e boa semana

Rogério G.V. Pereira disse...

Tenho um estar destoado do coro
sei tudo sem queimar os meus pés no fogo ardente.

Tenho asas!

A.S. disse...

"o homem nada sabe sem queimar os seus pés no fogo ardente."
Talvez por isso, somos apenas ornamentos com que a revestimos a nossa tão vaga e cinzenta decadência. E creio já ser tarde para queimar os pés!

Espero que as suas férias tenham sido agradáveis, minha amiga Graça.
Uma boa semana com muita saúde.
Um beijo.

Maria João Brito de Sousa disse...

Esplêndido poema pelo qual deixei que os meus olhos passeassem até se tornarem, também eles, rastos dos passos de Antígona.

Um beijo, Graça!

Mário Margaride disse...

Olá, estimada amiga Graça,
Belo poema aqui nos presenteia. Onde a inquietude se manifesta com premência nestas brilhantes palavras.
Gostei muito.
Votos de de uma excelente semana, com muita saúde.
Beijinhos!

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com

chica disse...

Simplesmente maravilhoso e de extasiar teu poema. Adorei! beijos, ótima e feliz semana! chica

São disse...

Um dos teus poemas que mais me tocou, Amiga!

Te abraço desejando bom regresso e feliz semana com saúde e alegra!

ManuelFL disse...

Há momentos, na vida de todos nós, em que somos confrontados com a desmesura de um conflito, tremendo, sacrificial, que nos conduz a uma inquietante aflição.

Somos as nossas escolhas, que sendo por vezes a nossa perdição, constituem a essência da nossa grandeza como seres humanos.

Que bom ter de novo, para nos seduzir e inquietar, a poesia da Graça.

Beijos

Ana Freire disse...

Caminhos plenos de densidades emocionais, aqui brilhantemente delineadas...
Que bom tê-la de volta, Graça! Estimo que tenha passado umas excelentes férias! Confesso nem ter dado por este mês passar. Não indo de férias... têm sido aproveitados as últimas semanas, por aqui, para ir deixando exames e consultas da minha mãe mais em ordem, e tratar de umas sequelazitas do Covid de Maio... dermatite, e alguns problemas de tiróide. Enfim... tudo o que possa ter a ver com o sistema imunitário mais fragilizado. E tendo de apressar tudo para que não falhe mais uma dose de reforço agora em Setembro, já que não pôde apanhar a vacina em Maio, e antes que com a abertura das escolas, tudo se comece de novo a complicar, com a virose...
Um beijinho! Votos de uma feliz semana, com saúde e tudo a correr pelo melhor!
Ana

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Espero que tenha tido umas excelentes férias!
Mais um poema brilhante extraído do seu livro "Antígona passou por aqui", em que os sentimentos e as emoções se entrecruzam em clamores de tragédia e aflição.
Muito belas as suas palavras poéticas que tão bem definem esses flagrantes momentos.
Beijinhos e uma ótima semana, com muita saúde.
Ailime

Mister Vertigo disse...

Nesta época estranha em que vivemos gostei muito de ler este belo poema que nos oferece uma oportunidade de pensar.
Desejo-lhe uma boa semana.
Muito boa tarde!

brancas nuvens negras disse...

Um poema de grande qualidade literária, diria mesmo algo erudito. Gostei.
Um abraço.

bea disse...

Olá Graça
Já sentíamos a sua falta. O poema, como sempre, muito depurado. Pareceu-me votado à reflexão.

A Paixão da Isa disse...

um lindo poema como sempre bjs feliz semana saude

alberto bertow marabello disse...

Ci sono battaglie che non si possono evitare, strade che non si possono non percorrere, richieste di gesti giusti a cui non si può non rispondere.
Buona settimana, amica Poetessa.
Um beijo

Luiz Gomes disse...

Boa tarde de segunda-feira minha querida amiga Graça. Obrigado pela sensibilidade deste poema maravilhoso.

carlos perrotti disse...

Depurados lúcidos versos para describir tu introspeciva profunda mirada, amiga Graça.

Abarzo hasta vos, Poeta, con mucha salud y paz.


teresadias disse...

Viva, querida Graça, espero que tenhas tido boas e descansadas férias.
O poema que hoje publicas atesta a tua inteligência poética. Eu gostei de o ler mas... vou ter de o reler e reler.
Tudo bem por aqui, contando os dias para mais uma fuga.
Beijo, boa semana, senti a tua falta amiga.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Gostei muito querida amiga.
Bjs.
Irene Alves

Manuel Veiga disse...

quantos seculos ainda necesss+rios para o homem ser "senhr de si sem que antes tr 2queimar os seus pés no fogo ardente"?
POema sublime, POETA

beijo. mimha amiga

JUAN FUENTES disse...

Un fuerte abrazo desde mi tierra andaluza

Maria Emilia B. Teixeira disse...

A vida tem muito de sacrifícios, escolhas, enfim... Bonita e densa sua escrita. Boa noite. Bjs.

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

Antígona en tu poema, nos abre a la discusión sobre su decisión a la muerte de Polinices y ser condenado a permanecer insepulto- Un abrazo. Carlos

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

poema repleto de emotivos versos dondé la luz se vabre y decanta claro de sombras entre los seres humanos no siempre hechos para el amor ... y dando un toque de pinceladas que nos motivan hasta las estrofas finales en cada palabra escrita... , bello poema Graca ha sido un placer leerlo y estar aqui compartiendolo con todos... , feliz semana y un ramo de muguette Graca para ti . jr.

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Graça!
Por onde andam a paz e a fraternidade?
Por onde manhã a quietude dos conflitos?
Realmente há em seu poema um misto de utopia e realidade.
Vamos em frente, não podemos parar de caminhar
Tenha uma nova semana abençoada!
Beijinhos

lanochedemedianoche disse...

Excelente poema, que disfrute mucho por lo extraordinario de lirica.
Abrazo

J.P. Alexander disse...

Profundo poema, me conmovió. Te mando un beso.

Juvenal Nunes disse...

Diz-me com quem andas dir-te-ei quem és, mas aqui é de caminhos que se tratam.
Talvez melhor, diz-me por onde andas.
Abraço amigo.
Juvenal Nunes

Laura. M disse...

Bien expresan tus letras el difícil camino del hombre entre la vida y muerte. Un gusto leerte.
Buena semana.
Un abrazo.

Lucinalva disse...

Bom dia, Graça
Um poema reflexivo, um forte abraço.

Marco Luijken disse...

Hello Graça

Nice text. Special to read. Wonderful!!

Many greetings and hug,
Marco

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei deste excelente poema.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

Olinda Melo disse...


Versos de uma sublime tragicidade.
Quanto mais lúcido o desespero
mais trágico se torna.
Antígona e os seus passos! Caminho
de pedras e de abrolhos...

Um tesouro este seu livro, amiga
Graça.

Espero que as suas férias tenham
sido proveitosas em termos de repouso.

Beijinhos
Olinda

tb disse...

Mais um excelente poema, minha amiga Graça.
É sempre um prazer ler-te.
Beijinho.

teresa p. disse...

"Pronta a morrer por acreditar na justeza do seu gesto." Um poema profundo e emocionante que nos leva a refletir sobre a vida e os sacrifícios que ela nos propõe. Gostei muito.
Beijo.

© Piedade Araújo Sol (Pity) disse...

Boa tarde Graça
Um poema delicado e muito bem escrito, que nos merece uma profunda reflexão.
Gostei muito!
Desejo que tenha uma semana com saúde o resto vem por acréscimo.
Um beijo
:)

Regina Graça disse...

“Pronta a morrer por acreditar“... Talvez seja preciso acredita para poder morrer...
Belo poema de regresso!

Beijinho

Fá menor disse...

Inconfundível esta leitura. Belíssima.

Por vezes há conflitos a passar por nós, que nos podem atingir. Não deixemos!


Beijinhos

Franziska disse...

El sentido trágico de la vida que fue una forma de pensar y de vivir. Creo que podemos comprenderlo y ponernos en el lugar del que sufre y se atormenta por algo que no ha provocado pero que le castiga tanto en el cuerpo como en el alma.
Estoy empezando a retornar de mis vacaciones, de vivir sin Internet: Mis ojos, seguro, lo habrán agradecido. Enhorabuena por el texto que has compartido, ha sido un placer. Un abrazo.

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Vim deixar um beijo
e dizer que estive em viagem a trabalho
nos últimos 20 dias, no RJ.
Logo escreverei a respeito.
Ainda não vou comentar
sobre e bem escrito texto.
Logo volto aqui, ta bão?
Bjins
CatiahoAlc.

José Ramón disse...

Hermoso verso con ese toque de angustia. Saludos

Anete disse...

Um poema muito, muito profundo e reflexivo.
Retornou com uma bela inspiração. Li e reli.
Bjs

Os olhares da Gracinha! disse...

"Deixo-a passar, conflitual e pura,
numa tragicidade instintiva, sublime, quase mística."... foi o que senti perante a beleza do olhar!!!👏👏👏😘

solfirmino disse...

Querida amiga, ainda bem que essas linhas não são fixas, como as linhas do destino. Mas como a Antígona de Sófocles, a sua também sofreu a injustiça do mundo. Que bom que a deixaste passar para nós. E quem haveria de segui-la em seu suplício?
Seja bem-vinda de volta.
Beijinhos

Pedro Luso de Carvalho disse...

Olá, amiga Graça, tema e poema magníficos!
Gostei muito da leitura dessa sua obra poética.
Aplausos, poeta!
Votos de uma boa continuação de semana.
Um beijo.

Majo Dutra disse...

Os deuses gregos com as mesmas limitações, heroísmos e paixões dos humanos...
O seu traço poético de Antígona da tragédia de Sófocles, está excelente.
Também me identifico com a sua insubordinação...
Continuação de bom verão. Beijos, Poeta.
~~~~~~

Maria Rodrigues disse...

Um poema profundo e sublime.
Beijinhos

Flor disse...

Lindo poema como sempre. Espero tenha tido uns belos dias de descanso. Beijinhos.

Jaime Portela disse...

Inquietante e belo.
Excelente poema, os meus aplausos.
Bom fim de semana.
Um beijo.

Raquel disse...

Retrata a vida trágica da personagem de forma muito bonita! Um abraço, Raquel

Luiz Gomes disse...

Boa tarde de sexta-feira minha querida amiga Graça. Aproveito para desejar um bom final de semana.

Mário Margaride disse...

Olá, amiga Graça,
Passando por aqui, para desejar um feliz fim de semana, com muita saúde.
Beijinhos!

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com

Jornalista Douglas Melo disse...

“Na justeza do teu gesto”, minha amiga Graça, tua obra poética nos coloca diante das dores e sabores do viver.
Beijos e bom final de semana!!!

Sinval Santos da Silveira disse...

Mestra Escritora/Poetisa, Graça Pires !
Uma reflexão textual, como sugerida no
título.
Tão bela quanto a complexa "utopia "
o que a embeeza, mais ainda.
Parabéns,com votos de um feliz final de
semana, junto aos teus amores.
Um carinhoso abraço,aqui do Brasil !
Sinval.

Luma Rosa disse...

Oi, Graça!
Que poema!! Passa um filme na mente. Uma tragédia e tanto que está presente principalmente no Direito, não invalidando a filosofia :) Antígona foi uma heroína que tudo fez por amor à família. De elevada moral respeitava a lei divina que concede direito natural a muitas ações passadas por tradição que o direito positivo se contrapõe muitas vezes por imposição, demonstração de poder, por tirania.
O que aprendemos com tanto sofrimento? A morte por si já é trágica. Li acima Rogério dizendo que nunca pisou em fogo para aprender :) Acontece muitas vezes de aprendermos com o sofrimento alheio, pela compaixão, observação ou simplesmente por preservação.
Beijus,

Parapeito disse...

Doce Graça, mais um belo momento.
Chega uma altura que receio até , ser repetitiva nos meus comentários.
Mas que fazer, se gosto tanto de a ler e sentir.
Já sinto as suas palavras,umas vezes como agasalho outras como brisas leves.
Belo, inquietante, sublime,trágico...
A mim...cobre-me a pele.
Abraço doce Graça e brisas doces *****