12.2.24

Em seara alheia

 



12 

Sobre o corpo
uma azáfama de abelhas

Falta ainda um pouco mais
para a epopeia das mãos

Urge esperar
que se ateiem de lume as últimas sombras
que invada a tarde 
a fúria do feno
despidamente
e que venham as línguas do fogo
percorrer os veios da mais antiga pedra

que caia a prumo o desejo sobre um mar de vidro
que more o coração no azulado dorso de um pássaro

que apenas possamos chamar-nos
por qualquer uma daquelas palavras
ardentes 
anunciadoras do Verão

José Pedro Leite
In: Manual de relentos: I-Explicação dos incêndios. Lisboa: Poética, 2023, p. 20

37 comentários:

chica disse...

Urge esperar e as palavras ardentes chegam e o clima se faz! Linda escolha! beijos, ótima semana de Carnaval! chica

Jaime Portela disse...

Gostei do poema, é magnífico.
Obrigado pela partilha.
Boa semana querida amiga Graça.
Um beijo.

brancas nuvens negras disse...

Gostei do poema de hoje. Alguns versos muito originais, bem conseguidos.
Boa semana.
Um abraço.

Isa Sá disse...

Bonito poema.
Isabel Sá
Brilhos da Moda

Marta Vinhais disse...

E a Vida recomeça no esplendor da estação...
Anima a alma e abre o olhar....
Gostei muito...
Beijos e abraços
Marta

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida amiga Graça!
O verão traz, com as andorinhas, palavras alvissareiras.
"Que more o coração no azulado dorso de um pássaro"
Tão belo desejo!
Tenha uma continuação de Carnaval abençoado!
Beijinhos com carinho

Maria João Brito de Sousa disse...

São sempre excelentes, as suas colheitas em seara alheia, Graça.


Um beijo

Laura. M disse...

Esas últimas sombras esperan ansiosas manos de fuego. Original poema.
Buena semnaa Graça.
Un abrazo

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Um poema lindo e muito inspirado, concebido por belas metáforas.
Gostei muito, para além de conhecer mais um excelente Poeta.
Beijinhos, minha amiga e Enorme Poeta.
Tenha uma boa semana.
Emília

Luís Palma Gomes disse...

Só no inverno, entendemos o verão. No outono, a primavera. Também a poesia se parece perigosamente com o que não existiu, nem existirá. Este poema é uma pulsão erótica, cheia de sensações e desejo de um verão apenas e tão bem encantado, encarnado.

Beijos e boa semana, Graça. A nossa Solange está no recobro. O Senhor seja louvado.

Marco Luijken disse...

Hello Graça,
Very nice poetic words. Great to read this.
Many greetings,
Marco

Fá menor disse...

Lindíssima partilha!
Sempre óptimas mostras que nos traz.

Beijinhos e tudo de bom!

Rogério G.V. Pereira disse...

Não só sorvo
o que em tua seara colho
Como me elevo e deleito
quando me serves o alheio
que noutras searas ceifas

José Pedro Leite, bela seara

Beijo

Mário Margaride disse...

Olá, amiga Graça,
Belíssimo e lírico poema, que me encantou.
Excelente partilha! Gostei muito.
Deixo os meus votos de uma feliz semana, com muita saúde e paz.
Beijinhos, com carinho e amizade.

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com

Majo Dutra disse...

Muito sensual e interessante pelas metáforas admiráveis.
Uma semana confortável e feliz.
Beijinhos, Poeta Amiga.
~~~~~~

Yeliz'in Keşifleri disse...

thank you for post :)

São disse...

Gostei de conhecer.

Abraço forte e tudo de bom, minha Amiga.

© Piedade Araújo Sol (Pity) disse...

Boa tarde Graça

uma escolha belissíma de um Poema onde o Poeta com suas metáforas de modo delicado escreveu um poema cheio de sensualismo e beleza.

boa semana, com muita saúde
um beijo
:)

alberto bertow marabello disse...

Possiamo aspettare, aspettarci, cercarci,
possiamo.
Un abbraccio amica mia.
Buon vento.
Um beijo

carlos perrotti disse...

Me gustó. Muchas gracias por presentarnos este sensible poeta. Bienvenido a mi conocimiento.

Abrazo grande, Graça amiga.

Manuela Barroso disse...

As palavras vão consolidando toda a imagética semeada no tempo do Eu poético numa belíssima poesia
Parabéns ao autor e a ti que partilhaste, querida Graça
Um grande beijinho

lanochedemedianoche disse...

Bellas metáforas en todo tu poema, me encanto.
Abrazo

baili disse...

breathtakingly beautiful dear Grace !
your words portray summer afternoons so briefly that i feel under the spell of it :)

wonderful poet you are my friend !
hugs and blessings

Anete disse...

Uma escolha bonita de um poema vibrante, assim como é o calor do verão.
Boa continuação da semana. Bjs

teresadias disse...

Querida Graça, gostei muito do poema de José Pedro Leite, feito de belas e expressivas metáforas.
Mais uma «seara alheia» merecedora de aplausos.
Beijo, boa semana, muita saúde minha amiga.

Ana Tapadas disse...

Tão belo!

Beijo, minha amiga

lis disse...

As searas escolhidas tem sempre um campo de cultivo
onde podemos colher bons frutos.
Uma azáfama de abelhas'_ gostei muito,Graça
beijinhos

Maria Rodrigues disse...

Lindíssimo poema.
Excelente escolha.
Beijinhos

Olinda Melo disse...


Querida Graça

Mais uma incursão por "Seara Alheia", sua,
levando-nos pela mão e dando-nos a ler um
poema belo que que se esconde nos interstícios
de incêndios que dominam a alma.

Continuação de boa semana, minha amiga.
Beijinhos
Olinda

Melody Jacob disse...

This poem evokes a sense of urgency and anticipation, with vivid imagery and powerful language.

RÔ - MEU DIÁRIO disse...

Muito lindos seus versos! Gosto de ler. Bju

pensandoemfamilia disse...

Que lindo poema que nos traz belas metáforas. Bom final de semana.

Aproveito para convidá-la a participar da roda de conversa que iniciei ontem no meu espaço.
Deixo o link para facilitar, se desejar.
https://pensandoemfamilia.com.br/livros/convite-para-a-roda/

Mário Margaride disse...

Olá, amiga Graça,
Passando por aqui, relendo este belo poema que muito gostei, e desejar um bom fim de semana, com muita saúde e paz.
Beijinhos, com carinho e amizade.

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com

ruma disse...


Obrigado pela atmosfera tranquila.
Tenha um bom fim de semana.

ruma

Lucinalva disse...

Bom dia, Graça
Lindo poema, um forte abraço.

J.P. Alexander disse...

Profundo y bello poema. Te mando un beso.

Agostinho disse...

Pleno de sensualidade
o poema desinquieta as pedras
até as mais rústicas do vulcão adormecido
No restolhar do feno febris
inflamam-se espontaneamente
Tudo isso é bom
na poesia do amor

Bela escolha.

Beijo.