8.7.24

Em seara alheia

                     


Parecem maçãs rubras, as mães.
Sabem que cumprem o ofício das amoras: 
sangram para o interior. 
Depois de cada filho, compõem lentissimamente
o seu chão ainda incendiado pela vida.
Só existem filhos amados demoradamente
se escutarem o apelo vital
vindo das entranhas do coração.

Lília Tavares
In: Nas mãos a sede dos pássaros. Lisboa: Poética, 2024, p. 9

46 comentários:

Jaime Portela disse...

Um magnífico poema.
Obrigado pela partilha.
Boa semana minha amiga Graça.
Um beijo.

Roselia Bezerra disse...

Bom dia de Paz, querida amiga Graça!
Gostei muito da concessão dos últimos versos. Espetacular!
Todo tipo de amor tem lá seu "se".
Tenha uma nova semana abençoada!
Beijinhos

chica disse...

Muito lindo e as mães se desdobram em amor... Ótima semana! beijos, chica

Agostinho disse...

Afogueadas no fogo ancestral que as consome.
Tão boa escolha a passar aqui de mão em mão. Como o cuidar de Mãe.
Beijo.

Marta Vinhais disse...

Bela homenagem às Mães....
Beijos e abraços
Marta

Mário Margaride disse...

Olá, amiga Graça
Belo poema de homenagem às mães. São elas que dão tudo quanto um filho pode e deve ter. Amor, carinho, segurança. Tudo isso pela vida fora.
Gostei muito deste poema.

Deixo os meus votos de feliz semana, com muita saúde e paz.
Beijinhos, com carinho e amizade.

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com
https://soltaastuaspalavras.blogspot.com

Teresa Isabel Silva disse...

Muito bom! Os meus parabéns!

Beijinhos

baili disse...

mothers are true servant of Nature indeed
they make life possible on the cost of their expense undoubtedly
thanks for such beautiful tribute to motherhood dear Grace
hugs and best wishes !

brancas nuvens negras disse...

A mães desempenham um lugar único e que não conseguimos avaliar a sua verdadeira extensão sentimental.
Um abraço.

São disse...

Gostei de conhecer.


Querida Graça, beijinho e feliz semana :)

Isa Sá disse...

A passar por cá para conhecer mais um bonito poema e desejar uma ótima semana!
Isabel Sá
Brilhos da Moda

pensandoemfamilia disse...

Belo poema que traz o quanto os filhos dão intensidade aquelas que os cuidam. Fios do coração.
Bom inicio de semana.


https://pensandoemfamilia.com.br/blogagem-coletiva/uma-oferenda/

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Que poema tão belo, numa homenagem ao amor de mãe, que é único!
Só a mãe e o filho podem sentir esse amor único e sem medida.
Obrigada pela partilha.
Beijjnhos, minha Amiga, e Enorme Poeta.
Boa semana.
Emília

Fá menor disse...

Lindíssimo!
Indentifico-me mesmo!
Beijinhos e boa semana!

bea disse...

Não sei se as mães são maçãs rubras ou se é apenas imagem poética. Mas sei de fonte segura o amor único que guardam para os filhos e julgo extensivo aos pais ainda que não da mesma forma.

Rogério G.V. Pereira disse...

Certíssimo
e até parece falar de mim!
As minhas três filhas que o digam...

Belo poema!

Beijo

A Paixão da Isa disse...

lindo lindo bravo ficou muito bonito bjs feliz semana saude

carlos perrotti disse...

Bellísimo poema. Muchas gracias por divulgarlo. Salude a la Poeta en mi nombre por favor...
Abrazo siempre agradecido.

Olinda Melo disse...

Querida Graça

Mais um poema, belíssimo, na sua Seara Alheia.
Já conhecemos Lília Tavares das suas publicações.
E gosto muito da sua forma de escrever.
Desta feita fala das mães e da profunda dedicação
e acrisolado amor aos seus filhos. Dificilmente
se poderá dizer melhor.

Que tudo vá correndo pelo melhor, minha amiga.
Beijinhos
Olinda

J.P. Alexander disse...

Profundo poema. Me gusto mucho. Te mando un beso.

Isa Sá disse...

Mais um bonito poema.
Isabel Sá
Brilhos da Moda

manuela barroso disse...

Parabéns à Lília que tão bem delineou o chão deste poema onde os advérbios o tornam tão ternurento e amorosamente belo. Como a segurança e pacificidade de MÃE!
Gostei desta colheita, minha querida amiga Graça. Um beijo para ela
Para ti, um terno abraço!

Eduardo Medeiros disse...

Belos e profundos poemas por aqui!
As mães...como defini-las? Ou talvez seja impossível.

Majo Dutra disse...

Metáforas muito originais onde sobressai a cor...
Um poema belo, sentido, assertivo...
Um beijo, Poeta amiga.
~~~~~~~~

© Piedade Araújo Sol (Pity) disse...

Boa tarde

uma homenagem à Mãe, aqui num belo Poema da Lília Tavares.
uma escolha muito boa para a sua seara alheia.
beijinhos para ambas.
:)

Maria Rodrigues disse...

O amor de uma mãe vem do fundo da alma e é imensurável.
Uma escolha sublime, é um belíssimo poema.
Minha amiga, vou de férias até meados de agosto ver a minha filha, que vive em Macau e vai ser difícil visitar os amigos. Quando regressar a casa retorno todas as visitas 😊
Beijinhos

teresadias disse...

Poema belíssimo de Lília Tavares.
Amor de mãe nunca acaba, não se mede, não se explica.
Obrigada querida amiga Graça, por mais uma excelente Seara Alheia.
Beijo.

PROFESSORA LOURDES DUARTE disse...

Olá querida Graça! Como diz Soren Kierkegaard “A vida só se compreende mediante um retorno ao passado, mas só se vive para diante”. Com este pensamento estou voltando aos meus bloggers, aos poucos, porque ainda estou em processo de recuperação. Quase não conseguia mais nem postar, o sistema me bloqueando, atualizei ai consegui.
Espero que esteja bem, querida, mesmo juntando meus cacos, vou tentar vez e outa retornar com minhas postagens. Ainda não devo exagerar no computador, devido o problema ainda não fiz a correção do grau pra perto, mas estou melhorando graças a Deus.
Vim matar saudade e deixar o meu abraço.

Os olhares da Gracinha! disse...

Mães são um pouco de cada e muito de tudo!!! 👏😘

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Graça!
Bravíssimo por
cada palavra desses versos que
forma esse magnifico Poema.
Bjins de gratidão.
CatiahoAlc.
entre sonhos e delírios

Ana Tapadas disse...

Hoje tive umas saudades imensas da minha...
Que poema tão forte e belo!

Um beijo, minha amiga

lis disse...

Uma seara semeada é sempre um estímulo para muitas outras boas colheitas.
E homenagear as mães é simlesmente perfeito. Tenho saudades da que não tive,
e hoje sendo mãe, consigo entender a dor que um filho sente.
Lindo poema, sabes bem escolher tuas searas com sabes criá-las e cultivá-las.
Beijinhos e bons dias, amiga

Elvira Carvalho disse...

Um poema que muito me agradou.
Abraço e saúde

Lucinalva disse...

Boa tarde, Graça
Lindo poema, o amor de mãe é singular, bjs querida.

Betonicou disse...

Que belo poema! Lília Tavares captura a essência da maternidade com palavras tão profundas. Uma reflexão tocante sobre o amor materno. Obrigado por compartilhar! Beijos.

❦ Cléia Fialho ❦ disse...

Escrita linda que usa a metáfora das maçãs rubras para descrever a natureza das mães, sugerindo que elas, como as maçãs, são profundas e intensamente ligadas ao processo de dar vida.
A imagem de "sangrar para o interior" simboliza o sacrifício e o esforço contínuo que as mães dedicam aos filhos, refletindo a intensidade do amor materno.
A expressão "compõem lentissimamente o seu chão ainda incendiado pela vida" evoca a ideia de que, após cada filho, as mães lentamente reconstroem e equilibram suas vidas, ainda marcadas pelo impacto profundo da maternidade. O trecho ressalta que o amor duradouro e genuíno pelos filhos exige uma conexão profunda e vital, que vem das profundezas do coração.

Abraços poéticos

Mário Margaride disse...

Olá, amiga Graça

Passando por aqui, relendo este belo poema que muito gostei, e desejar um excelente fim de semana!
Beijinhos, com carinho e amizade.

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com
https://soltaastuaspalavras.blogspot.com

Sonhadora (Rosa Maria) disse...

Minha querida. Um poema que descreve bem o amor de mãe. Maravilhoso. Um beijinho com carinho

Anete disse...

Poema intenso sobre o ser mãe! Realmente, desde o ventre o amor materno é externado e sublime, segue vida afora...
Bom sábado. Meu abraço

Virgínia do Carmo disse...


lindos todos os poemas deste livro da Lília. Um beijinho, querida Graça!

Mirtes Stolze. disse...

Boa tarde Graça
Lindo poema, realmente começamos a ser mãe e amar deste a concepção. Felizes dias. Abraços.

" R y k @ r d o " disse...

Ser Pai é uma alegria enorme. Uma dádiva de vida. Ser MÃE, imagino eu, deve ser como um amanhecer de sol, um pôr do Sol iluminado, uma verdadeira bênção da natureza e de Deus. Amei o poema.
.
Saudações amigas. Domingo feliz.
.
Poema: “ Lágrimas de Amor “
.

Sinval Santos da Silveira disse...

Escritora/Poetisa, GRAÇA PIRES !
A Poetisa LILIA TAVARES, desnuda os mistérios da sublime maternidade!
Na sutileza da sua linda composição poética, demonstra
o amor e o respeito à homenageada Maror...
Grato pela partilha,com votos de uma feliz semana,
e um fraternal abraço, aqui do Brasil !

Gracita disse...

Querida Graça
A maternidade descrita com desvelo, graça e poesia numa envolvência magistral
Uma linda semana para você
Beijinhos perfumados de poesia

Klaudia Zuberska disse...

A wonderful poem. Your poetry is very lifelike, so true, full of emotions!

Mário Margaride disse...

Boa noite, amiga Graça
Passando por aqui, para desejar uma feliz semana, com tudo de bom.
Beijinhos, com carinho e amizade.

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com
https://soltaastuaspalavras.blogspot.com