4.2.19

Em seara alheia



Comment interroger ce qui nous échappe aussitôt?
Bernard Noel

A António Ramos Rosa

Toda a presença vence os limites do corpo

tudo está por dentro, por detrás de quem olha.
Minucioso trabalho o da construção do poema foi o
que me transmitiste, lâmpada que se acende ao ritmo
do corpo das mãos como asas num vislumbre
que queima. Lá onde estás, não me perguntes se
escrevo ou se me invento.
Resido para alguns no fim dos teus dedos como
se quisesse arrancar penas aos textos que
teceste. Embora, me pergunte se choram em mim
os teus apelos ou se são réplicas de um feitiço
o que me deixaste, concebi um ninho de poemas
dentro de mim - Ítaca talvez seja o nome onde
teço o que sei para regressar e desteço lentamente
tudo o que aprendi para chegar enfim ao corpo inicial.

Gisela Gracias Ramos Rosa
In: A Pedra e o corpo. Braga: Poética, 2018, p. 73

50 comentários:

Emília Pinto disse...

Conseguimos olhar a presença de alguém. ..está ali, na nossa frente e é fácil descrever, mas o essencial está por dentro do que vemos, e isso já é mais dificil, pois exige que se olhe com os olhos do coração, que se enxergue com carinho e compreensão; se assim for, poemas serão fáceis de fazer mesmo que deles saiam sentimentos tristes e desoladores; só os poetas conseguem traduzir em palavras aquilo que enxergam por dentro , mas todos são capazes de sentir as dores ou alegrias do outro e, mesmo que a gola não seja branca, mulher ou homem deve dar um pouco de si a quem está perdido no meio a tanta dor e privações, fingindo tantas vezes uma alegria que não tem ; o poema não será escrito no papel, mas ficará certamente alguma poesia nessas almas conturbadas, aflitas, inquietas. Há sempre uma maneira de fazermos poesia e a distribuirmos pelos outros. Como sempre, querida Graça, levaste a minha alma a reflectir pelo pouco que faço com o tanto que a bida me dá. Poemas não posso dar, mas, sorrisos e afecto, isso, sim, é minha obrigação distribuir! Obrigada, Amiga e que nunca te falte saúde, amor e que te olhem sempre por dentro. Beijinhos
Emilia

Ulisses de Carvalho disse...

Falou em Ítaca, eis Ulisses aqui! Hehe. "Tudo está por dentro..." E isso me fez lembrar da seguinte frase que li dia desses em um livro de Viviane Mosé: "do lado de fora é onde deve estar o nosso lado de dentro". São contextos diferentes, claro, mas acho que há um paralelo. Da alegria às tripas expostas. Convém sermos transparentes para que não tenham com o que nos manchar. Um abraço, Graça, e boa semana.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema de homenagem, gostei e aproveito para desejar uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Maria Eu disse...

Poema maravilhoso para um poeta de excelência.

Beijo, Graça :)

teresa dias disse...

Bom dia, querida amiga Graça!
Magnífico poema!
Parabéns para a Gisela Gracias Ramos Rosa, pela emotiva homenagem; Obrigada a ti,amiga poeta, por partilhares.
Quanto à pergunta de Bernard Noel, não encontro palavras para responder.
Beijo e boa semana (como menos frio...).

Emília Pinto disse...

Corrigindo...vida e não como escrevi. Beijinhos
Emilia

Marta Vinhais disse...

Há dor contida no olhar...Há saudade em cada palavra...
E depois há o que está dentro do olhar....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Ana Bailune disse...

Lindo demais.
Fico com o comentário de Emília Pinto, que para mim, complementa o poema.

carlos perrotti disse...

Escreve profundo, constrói profundo, tecendo versos na odisseia do un grande poema...

Muito obrigado, Graça, por nos apresentar a sua poesía.

Abraços para você e ela.

anamar disse...

Graça, obrigada pela visita

Bom também ler ARR e os comentarios.

Nao leves a mal eu nao aparecer amiude . Outras vidas.

Boa semana e brijo grande .

Ana

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde! Um poema excelente!! Amei!

Tristeza em poucas palavras...
Beijo e uma excelente semana!

Alfredo Rangel disse...

Lindíssima poesia de Gisela Gracias Ramos Rosa, que trás no sangue a lembrança de Antonio Ramos Rosa. "Minucioso trabalho de construção do poema foi o que me transmitiste". Legado do pai dito por Gisele. Grande beijo, Graça!

Mar Arável disse...

"No invisível sulco das águas"
um mundo a descoberto
Bj para os poetas incontornáveis

José Carlos Sant Anna disse...

"Numa demora que é permanência clara", como o disse António Ramos Rosa, em Dispersa Sede, esta "conversa" entre o Eu e o Outro diz-nos tanto como dizem tanto um ao outro (no caso do outro, implicitamente) que "tudo se desenrola na lúcida amplitude tranquila" em que "as palavras sucedem-se como vagarosas nuvens e "lê-se como um livro aberto", como bem o disse Ramos Rosa em No centro do mundo". Ambos os poemas aqui referidos se encontram em Dinâmica Subtil. Uma bela partilha que nos permite revisitar António Ramos Rosa e descobrir a vida grafada dos dois poetas, que se conhecem (conheciam) tão bem!
Um boa semana, minha querida amiga!
Um beijo,

Gracita disse...

Um poema tecido com a linguagem lírica do amor num encontro com o outro e o belíssima retorno à alma da poesia. Deslumbrante poetar
Beijos e um terno abraço amiga

Franziska disse...

Es cierto quien escribe no sabe muy bien en que aspectos se cuenta sin percibirlo, sin hacerlo de un modo consciente, o cuanto es lo que inventa para hacerse entender o es que simplemente se monta en el caballo de la fantansía. Interesante y sincero. Me gustó. Un abrazo.

Marta Martins disse...

Que texto fantástico.

Larissa Santos disse...

Um poema encantador. Belo.. :))


O nosso amigo Gil António, diz :- Nuvens que me lembram os beijos teus.

Bjos
Votos de uma óptima Noite.

Victor Barão disse...

Mais uma boa colheita em ceara alheia, cuja conclusão do poema, para mim, é sublime!

Com desejo de excelente semana

Beijo

VB

A Paixão da Isa disse...

sempre lindos e este tb o é bjs

Majo Dutra disse...

Conforta-me muito pensar quão importante foi o carinho
e devoção de Gisela na vida solitária do Poeta algarvio.
Ela recebeu, por sua vez um legado de peso que tem
dignificado, como prova este poema maior.
Grata por a ter homenageado no seu espaço.
Beijinhos, querida Amiga.
~~~~~

Agostinho disse...

É a prova provada
da imortalidade

Projecta-se o Poeta
cresceu na dimensão
a personalidade poética.

O ADN continua a escorrer
entre as margens do sonho
Não há apropriação
no génio da continuação

Muito bonito o gesto da Graça de trazer a Gizela

Beijo.

ruma disse...

Olá.

Obras brilhantes.

Sim. Compreender-se é precioso.
Tudo existe dentro de mim.
Nascimento e aniquilação não são minha intenção.
Mas toda responsabilidade está em nós mesmos.
A capacidade de superar a contradição vale a pena pedir.

Obrigado por sua visita sempre.

Desejo a todos o melhor.
Saudação e abraço.

Do Japão, ruma ❃

Luísa Fernandes disse...

Olá Graça Pires!
Interessante poema lírico, muito bem articulado.
Gostei.
Luisa

Ailime disse...

Bom dia Graça,
Um poema muito belo, tecido e esculpido com os olhos do coração.
Uma partilha muito generosa como sempre, minha Amiga.
Um beijinho e continuação de boa semana.
Ailime

Isa Sá disse...

Bonito poema.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Mariazita disse...

Excelente homenagem de Gisela a António Ramos Rosa, a que a Amiga, num gesto muito louvável, dá a visibilidade merecida, trazendo-a ao nosso conhecimento.
Obrigada.

Feliz Terça-feira e uma boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

Às margens de mim. disse...

Um poema recheado de sentimento. Uma linguagem revestida de amor. Um retorno ao lirismo e poesia do coração que ama. AbraçO!

Daniel Costa disse...

Graça Pires poema bem digno do homageado, é o que se me oferece comentar.
Beijos

Ana Freire disse...

Um poema sublime, e tão tocante!...
Maravilhosa partilha, Graça... que é sempre um privilégio imenso, aqui descobrir e apreciar...
Um beijinho grande! Feliz semana!
Ana

Olinda Melo disse...


Olá, Graça

Publiquei em tempos vários poemas de António Ramos Rosa e vejo agora no poema em presença
como a escrita, na autora, lhe advém dessa inspiração que ela louva e tece e destece, mostrando-nos que a poesia traça uma linha que a liga a um talento indesmentível.
E com a sua personalidade e sensibilidade poética bem patente.

Obrigada, minha amiga.

Beijinhos

Olinda

Teresa Almeida disse...

Gizela Gracias Ramos Rosa interpela-se e interpela. Tece e destece os apelos e as réplicas de António Ramos Rosa. Sente-lhe o feitiço nas asas em que ensaia o próprio voo.
Belíssima e sentida homenagem!

Excelente, minha amiga Graça.

Beijos.

José Ramón disse...

Un placer pasar por tu blog, Saludos

Toninho disse...

Bela volta pela seara alheia Graça.
Muito bonito expressar desta busca do entendimento e conhecimento, e o poeta reinventa, inventa, sobre todas as coisas fugidias.
Linda partilha amiga.
Beijo

Sinval Santos da Silveira disse...

Querida Mestra, Graça Pires !
Quantas intenções teve o Autor, ao discorrer,
no seu belo texto, uma subjetiva sequência de
afirmações, somente por ele conhecidas...
Grato por partilhar.
Uma feliz semana e um fraterno abraço, aqui
do Brasil.
Sinval.

Quase Cinderela disse...

Poema maravilhoso de Gisela.
Muito obrigada Graça por dar a conhecer.
Beijinho

Minhas Pinturas disse...

Homenagear alguém, já é por si só um gesto cheio de sensibilidade, é olhar o outro e doar amor.
Com um poema de Antonio Ramos Rosa é partilhar emoção.
Beijinhos, Léah

Lucinalva disse...

Olá Graça
Belo poema, bjs querida.

Jovem Jornalista disse...

Bom escrito.
Excelente restante de semana!

Jovem Jornalista
Fanpage
Instagram

O blog está em HIATUS DE VERÃO até o dia 23 de fevereiro, mas tem post novo. Comentarei nos blog amigos nesse período.

Até mais, Emerson Garcia

Anete disse...

Um poema denso e repleto de emoções... A alma se derramando com grande força...
Abração

Jaime Portela disse...

Um excelente poema de um excelente poeta.
Graça, continuação de boa semana.
Beijo.

Manuel Veiga disse...

muito belo o poema
gostei, deveras!

beijo. Graça

Alice Alquimia disse...

PERFEITA PUBLICAÇÃO.

Lídia Borges disse...


"Vasos Comunicantes" por onde a poesia corre como sangue pelas veias.

Um beijo à Gisela, outro para ti, Graça.

Lídia

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite Graça
Um poema lindo. Hoje lembrei de você me desejando coragem. É amiga suas palavras me foram lembradas e me serviu muito hoje. Feliz fds.

LuísM Castanheira disse...

ver o cheiro e a cor
a forma e o espaço
sentir o sabor
e toda a poesia e' amor.
óptima partilha de quem partilhou um grande poeta.
e uma singela homenagem da Gisela.
um bom fim-de-semana, minha amiga Graça
um beijo


Catarina H. disse...

Olá Graça, já não passava aqui há muito tempo, pois tempo é coisa que me falta.
Mas hoje tirei um tempinho para visitar blogues que gosto e belos poemas encontro por aqui, como sempre.
Vou continuar a minha leitura, que por aqui é sempre de qualidade.
Beijinhos e bom fim de semana :)

Maria Rodrigues disse...

Uma sentida e bela homenagem.
Bom Domingo
Beijinhos
Maria
Divagar Sobre Tudo um Pouco

Tais Luso de Carvalho disse...

Que bela homenagem poética, amiga Graça! Vê-se que foi fundamentado na sensibilidade e emoção.
Gostei muito, não conhecia a autora!
Beijo, querida amiga!

baili disse...

Glorious piece of poetry my friend!

It absorbed my attention very deeply!

Poet,s fascination reveals the horizons of fantasy eloquently