19.7.21

Memórias de Isadora XI



Tentei ignorar o tempo 
golpeado de incertezas, 
recusando o desgaste 
dos caminhos percorridos 
e das lembranças 
deslizando sobre a pele. 

Tão dúplice a farpa da sedução. 

Tão perecíveis os amores. 

Tão tardia a serenidade 
da vida e da morte. 

Tão vulneráveis os passos 
em que me atrevia.

Graça Pires
De Jogo sensual no chão do peito, 2020, p. 49

57 comentários:

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Marta Vinhais disse...

Mas o Tempo não nos ignora... arrasta-nos com ele...
Embora a memória fique...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

brancas nuvens negras disse...

Isadora, sempre uma grande inspiração, uma motivação para a poesia. Bonito poema.
Um abraço

Mário Margaride disse...

Olá, amiga Graça.
Tempos difíceis nos inquietam. Nos trazendo alvoroço à nossa alma, ao nosso descerenimento.
Que a porta da esperança se abra, e por ela entre o sol...

Gostei muito!

Beijinhos, e feliz semana, com muita saúde.

betonicou disse...

Bom dia , Graça! Teu lindo e reflexivo texto nos arremete a lembranças do decorrer da vida. Nesses tempos difíceis nos agarramos a elas, na esperança de um tempo melhor. Nossas andanças pelas trilhas da vida. Grande beijo.

chica disse...

Lindo demais, Graça! Tua sensibilidade enorme! beijos,ótima semana,chica

baili disse...

exquisitely done dear Grace as always !

i more liked the "memories gliding over skin " your perception find perfect its perfect expression astonishingly !!!!!!

i too think there exist another kind of memories that belong to no material body of us the spirit though we hardly ponder on it .
thank you for such rich poetry always my friend!
health ,peace ,joy!

São disse...

Mais um poema muito bonito, Amiga!

Cuida-te e tem excelente semana .


Beijinhos

partilha de silêncios disse...

Uma bonita reflexão sobre a necessária serenidade, para aceitar aquilo que não podemos mudar. Uma semana Feliz.
bjs

teresadias disse...

"Tentei ignorar o tempo
golpeado de incertezas,
recusando o desgaste
dos caminhos percorridos
e das lembranças
deslizando sobre a pele."
Querida amiga Graça, é belíssimo este poema.
Há nos teu poetizar tanta sensibilidade e conhecimento poético. Te admiro muito, sabes?!
Beijo, boa semana.

alberto bertow marabello disse...

Bravissima Isadora, non bisogna dare troppo peso al tempo.
Dobbiamo amare, dobbiamo vivere finché siamo vivi
Um beijo

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Um poema muito belo em que a sua sensibilidade poética emerge de forma sublime na forma como vai descrevendo a vida de Isadora.
Gostei muito, minha Amiga e Enorme Poeta.
Um grande beijinho e uma boa semana, com muita saúde.
Ailime

carlos perrotti disse...

"Tão perecíveis os amores.

Tão tardia a serenidade
da vida e da morte..."

Viver é ter que lidar com essa incongruência e desarmonia... Insisto, esta série sobre Isadora é monumental, Graça amiga.

Abrazo grande, Poeta. Cuide-se bem ainda.

bea disse...

não sei se a serenidade da morte tarda muito, em geral a morte sente-se como vindo cedo. A da vida, concordo, custamos a chegar lá.

Franziska disse...

Es increíble, una mujer que se convirtió en un símbolo y a la que hemos admirado tanto los hombres como las mujeres. Felicidades por la iniciativa llena de interés. Un abrazo.

Fá menor disse...

Mas não vale a pena ignorar o tempo. Ele não perdoa.

Muito belo, como sempre. Gostei muito.

Beijinhos e boa semana!

lis disse...

Nada sabemos sobre esse tempo incerto rápido e perecível
a sedução já não tem a doçura dos flertes
a serenidade faz tempo que procuramos
e o amores Graça quase sempre volúveis
Há e ter o belo no jogo sensual da sua escrita.
Fica o abraço e a admiração.

Teresa Isabel Silva disse...

Bonitas palavras!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram | Youtube

José Carlos Sant Anna disse...

E tão bem concebido este poema para dizer-nos um pouco mais da vida das artistas, a da palavra e da dança. de ambas. Música a fluir dos cântaros da poeta. Muito bom ler-te mais uma vez, minha amiga Graça!
Uma boa semana para ti, cuidando-se sempre!
Um beijo,

A Paixão da Isa disse...

um lindo poema muito bonito desejo uma feliz semana bjs saude

JUAN FUENTES disse...

Tu eres un poema

PAULO TAMBURRO. disse...


GRAÇA PIRES,
tenha a absoluta certeza de que o tempo, o desgaste físico ,o surgimentos dos primeiros sinais de mudanças para a idade mais madura ,não são prerrogativas inexoráveis para você, afinal o que a torna absolutamente sempre jovial é o encantamento que nos brinda sempre com seus textos.
Um abração carioca.

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Graça. Muito lindo o teu poema. Sabemos que chega a hora em que não temos como nos livrar dos desgastes e das lembranças Tudo é muito real
Amei a totalidade. Agradeço por sua visita, querida. Um beijo e fique com Deus. Iluminada semana

José Ramón disse...

Bella inspiración en estas letras, que disfrute de una buena semana Saludos

Cidália Ferreira disse...

Muito bonito!:)
--
Procuro a paz que anda perdida
-
Beijo, e uma excelente semana..

Maria Emilia B. Teixeira disse...

Aspas do tempo, histórias, ele determina.
Semana de luz e saúde para você!Bjs.

solfirmino disse...

Amiga querida, é difícil ignorar o tempo quando as lembranças nos ferem a cada momento.
Mas tudo é efêmero: o tempo, a vida e os amores. Temos que aproveitar!
Beijinho e ótima semana.

J.P. Alexander disse...

Lindo poema te mando un beso
Enamorada de las letras

Pedro Luso de Carvalho disse...

Olá, amiga Graça, um poema belíssimo que certamente serve para nossa reflexão. O tempo, pode ser um aviso ou uma ameaça, mas, o certo é que é um dos temas favoritos dos poetas. E, como ignorá-lo, se ele a tudo regula?
Parabéns, Graça, uma boa semana, com saúde.
Um beijo.

Isa Sá disse...

Mais um bonito poema que vim cá conhecer.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Siby disse...



Hola Graça, que bonitas palabras
nos dejas, pensando, no podemos
saber lo que pasara manana,
tenemos que disfrutar cada instante
sin hacer dano a nadie.

besitos dulces

Siby

Toninho disse...

És o senhor de todas nossas ações.
Tempo eu não te acompanho, mas sei de todas suas nuances.
Beleza de inspiração reflexiva Graça.
No Chão do peito as emoções pululam belamente.
Semana linda e leve querida amiga.
Beijo e paz.

Les uns et les autres disse...

Demasiado lindo, demasiado real. Se me permitir vou partilhar no facebook sem foto sua, apenas a referência.
Um bj

Anete disse...

Profundamente bonito o seu poema, Graça. Precisamos encarar o tempo sem pestanejar. Ele é precioso e nos diz que devemos curti-lo, pois a vida é curta.
O meu carinho ⚘

Roselia Bezerra disse...

Tão perecíveis os amores.

Olá,querida amiga!
Pena que seja assim!
Seja feliz e abençoada!
Bwijinhos

Luiz Gomes disse...

Lindo, especial, rico e maravilhoso. Obrigado pelo texto maravilhoso minha querida amiga Graça. Boa semana e com muita saúde.

Agostinho disse...

Tentar ignorar é para nunca esquecer.
E nunca esquecendo os passos, por inteiro, a memória dilacera(?)

Saúde, Amiga Graça Pires.

ManuelFL disse...

Estes poemas da Graça têm uma carga emocional fortíssima.
Gosto desta serie.
Beijinhos.

© Piedade Araújo Sol disse...

A delicadeza e a sensibilidade da Poeta neste belissimo poema.
Muito obrigada e continuação de uma boa semana cheia de tranquilidade e muita saúde.
Beijinhos
:)

Maria Rodrigues disse...

O tempo passa inexoravelmente por todos nós, deixando as suas marcas.
Um poema sublime!
Beijinhos

Debby disse...

Nossa.
Que leitura doce..
Amei seu canto poético
Retribuindo sua visita e desejo de uma semana de paz
Debby ;-)

Olinda Melo disse...


Uma quase introspecção da artista pela sua
pena, querida Graça. E fá-lo com toda a
propriedade e sentimento.

Traz até nós a vida, as desilusões,
as tristezas, mas também as vitórias de Isadora
e alinhamos todos nesse caminho que vai percorrendo.

Saúde e dias agradáveis, neste Verão que não
se decide. :)

Beijos
Olinda

Lourdinha Vilela disse...

O tempo! Por algum tempo ele na parece amigo nos favorecendo. Em outros tempos parece nos arrancar de nós mesmos ao ponto de não nos reconhecermos mais. Mas resta- nos no tempo algo de futuro. E temmos que nos atirar em busca de esperança olhando em frente.O que acreditamos ficou lá atrás no tempo dos sonhos irreais " dos amores pereciveis" . No hoje o tempo nos pede os pés no chão. Graça você me inspira a refletir, sua poesia é contagiante gigante. Adoro te ler.

Jaime Portela disse...

Mais um excelente poema desta série.
Os meus aplausos para o teu talento literário.
Continuação de boa semana, querida amiga Graça.
Beijo.

teresa p. disse...

'Tentei ignorar o tempo...recusando o desgaste dos caminhos percorridos e das lembranças deslizando sobre a pele."
O poema é profundo e pleno de emoção. Aliás, toda esta série das "Memórias de Isadora" é suprema. Gostei muito e a foto é maravilhosa.
Beijo.

A.S. disse...

A vida é a forma que nos veste.
Tudo o mais, são anagramas, desenhando outras realidades!
Muito reflexivo o seu poema Graça. Gostei muito.

Muita saúde e um bom fim de semana. Cuide-se muito!
Beijo.

Fê blue bird disse...

Tentamos ignorar a evidências, talvez para não sofrermos mais.

Mais um excelente é sensível poema, amiga Graça.

Um beijinho

Elvira Carvalho disse...

Um belo e sensível poema que gostei de reler.
Abraço, saúde e bom fim de semana

Mário Margaride disse...

Olá, amiga Graça.
Passando por aqui, relendo este lindo poema, e desejar um feliz fim de semana, com muita saúde.

Beijinhos!

Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com

Emília Pinto disse...

" Tão vulneráveis os passos " de Isadora, sempre tão atrevida e corajosa; mulher que sempre lutou pelos seus sonhos e que sofreu todo o tipo de tormentos para os conseguir. Ao homenageares Isadora, estás a prestar tributo a todas as mulheres deste nosso mundo, algumas conhecidas de todos, outras só imaginadas, tendo em conta o que vemos à nossa volta e o que nos chega através de relatos e noticias . A vida é assim...cheia de contradições e, se olharmos para trás no tempo, vemos que o percurso que fizemos até aqui, teve de tudo, medos, angústias, perdas, ganhos, grandes alegrias, mas muitas dores também; fizemos escolhas erradas, acreditamos em amores que nos decepcionaram, em amizades que não valeram a pena e muitas vezes perdemos a esperança em dias melhores; mas a vida obrigou-nos a seguir e o remédio foi levantar a cabeça e seguir o caminho ; aqui estamos e com certeza que, daqui para a frente, os dias vão continuar a ser feitos de instantes, todos diferentes, alguns coloridos, outros mais escuros, mas o que mais desejamos, creio que todos nós, é que a vida nos dê saúde e que quando decidir que o fim chegou que ele venha sereno, suave, sem grande sofrimento. Obrigada Graça, pelo belo poema, poema que ao lê-lo, nele me revi, mesmo que não tenha sido nem seja dançarina e muito menos, mundialmente conhecida; mas a vida não se importa com isso, dá a todos momentos fantásticos e muitos bastante dokorosos. Beijinhos Amiga e um bom fim de semana, especialmente com SAÚDE
Emilia

Arthur Claro disse...

Linda poesia.

Arthur Claro
http://www.arthur-claro.blogspot.com

Kalinka disse...


OLÁ GRAÇA

BELA POESIA

Odeio este tempo golpeado de incertezas,
quero voltar aos caminhos percorridos
Tão longe está a serenidade da minh'Alma!

HOJE vim deixar um artigo novo neste blog:
http://orientevsocidente.blogspot.com/

fiz uma pausa de quase 4 meses
hoje voltei
para contar como terminou o dia em que aluguei
um táxi para conhecer a ILHA

Bom fim de semana,
estimando que se encontre bem, assim como todos os seus

Beijinho da Kalinka/Tulipa

manuela barroso disse...

Dos poemas mais belos da "tua Isadora"! Que beleleza e quão pertinente querida Graça. A impermanencia do tempo com tudo o que nos traz!
Um grande beijinho e muita saúde

Teresa Almeida disse...

Neste jogo nos deleitamos. E eu venho sempre a este porto de abrigo, a este abrir de asas.

Um beijo, querida amiga Graça.

Ana Freire disse...

Uma vontade férrea e desafiadora, sob uma frágil existência... assim se explica tão bem a vulnerabilidade da vida, através das suas profundas palavras!...
Mais uma verdadeira maravilha, este intenso momento poético, revestido de leveza na forma...
Um beijinho grande! Votos de férias felizes e retemperadoras!
Ana

Silenciosamente ouvindo... disse...

Olá amiga, desculpe passar por cá tão pouco,
mas não a esqueço e agradeço a sua passagem
pelo meu blogue.
Como sempre o seu está com conteúdos maravilhosos.
Bjs.
Irene Alves

Parapeito disse...

Que maravilha!
tão profundo e sensível.
Abraço doce Graça***