23.5.22

Em que naufrágio me salvei

António Costa Pinheiro

Um cristal onde me espreito 
devolve-me a minha imagem: 
sudário desatado ao vento 
como um veleiro a todo o nó, 
resgatando viagens  
e despojos da ilha há tanto tempo 
adiada no meu peito. 
Em que naufrágio me salvei com gestos imprecisos? 
Na minha boca, um mar interior 
inunda as dunas mais distantes 
preferidas pelo vento, 
com areias em clandestinas danças. 
Costuro, com búzios brancos, 
redes de pescadores 
para poder mergulhar o grito das mãos 
fugidas das marés sem fundo, 
agredidas pela luz nocturna. 

Graça Pires 
De Antígona passou por aqui, 2021, p. 42

54 comentários:

brancas nuvens negras disse...

Um poema, quase uma confissão. Anotei que há naufrágios que salvam a nossa vida e concordo.
Um abraço.

- R y k @ r d o - disse...

Poema lindíssimo. Doce fascínio poético. A imagem é deslumbrante.
.
Cumprimentos poéticos
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

Sandi disse...


Intrigante. Acho que consigo relacionar-me.

Mário Margaride disse...

Poema sublime. Onde as emoções contidas se manifestam, emergindo das águas da nossa inquietação.
Parabéns, amiga Graça!
Votos de uma excelente semana, com muita saúde
Beijinhos!


Mário Margaride

http://poesiaaquiesta.blogspot.com

Maria João Brito de Sousa disse...

Belíssimo texto poético!

Aqui, o naufrágio é redentor, como em muitos dos meus sonetos...

Um beijo!

Franziska disse...

La naturaleza nos asombra y nos recuerda que somos también misterio y desasosiego, la incógnita que queremos despejar y que no siempre es posible. Hermosísimo poema lleno de sugerencias. Gracias por compartirlo. Un abrazo de afecto y paz.

Marta Vinhais disse...

Todos naufragamos a certa altura da vida... mas algo nos devolve à areia da praia para recomeçarmos...
Lindo....
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Anónimo disse...

Muito Lindo! Passando pra agradecer comentário e deixar beijos praianos! OTIMA SEMANA!Chica

Jaime Portela disse...

Evitamos muitos naufrágios na vida...
Mais um poema de excelência. Os meus aplausos.
Boa semana, amiga Graça.
Beijo.

Kasioles disse...

Es un placer entrar en tu espacio y leer tus sentidos y bellos versos.
Cariños y buena semana.
Kasioles

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo e excelente poema de que gostei.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

bea disse...

Sem dúvida, um poema marítimo e muito bonito. A Graça escreve com voz, tem um estilo todo seu, é assim como se haja nos poemas um odor que lhe pertence a si.
Boa semana.

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

Me encanta ese juego de imágenes con el velero y el naufragio que, bien recogen la vida y sus acechos salvados para seguir viviendo. Un abrazo. Carlos

ManuelFL disse...

O poema interpela-nos de/em diferentes modos, tempos, emoções, sentimentos.
Fragilidade e força, inquietação, naufrágio de onde só podemos sair com gestos imprecisos.

A pintura de Costa Pinheiro é magnífica, até parece que foi criada a pensar no poema da Graça.

Fá menor disse...

Belíssimo jogo de palavras, como sempre!
Que haja um naufrágio que nos venha salvar!

Beijinhos e boa semana.

Laura. M disse...

Bien definen tus palabras el salvarse para seguir viviendo. Me gustó y también la imagen.
Buen lunes Graça.
Un abrazo

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Um poema muito belo que só a sua excelência poética pode ter concebido.
Todos nos sentimos, por vezes, náufragos, mas há sempre um sopro de vento que nos impele e nos devolve às margens da vida.
Um beijinho minha Amiga e Enorme Poeta.
Tenha uma semana com muita saúde.
Ailime

carlos perrotti disse...

Un poema como espejo. Gran poema, Graça. A cada naufragio más insistimos, más ahondamos, más queremos volver navegar... Pessoa nos alienta!!

Abrazo grande, amiga. Con salud y bienestar.

María disse...

Muy bonito poema.

Me resulta muy agradable estar en tu precioso blog.

Que tengas una feliz semana.

Muchos besos.

Cidália Ferreira disse...

Um poema encantador. Obrigada pela partilha!
-
Coisas de uma Vida.

Beijos, e uma excelente semana.

JUAN FUENTES disse...

Los poemas son lo mejor de la literatura

Pedro Luso de Carvalho disse...

Olá, amiga Graça,
gostei muito de ler esse seu belíssimo poema com imagens poéticas lindíssimas.
Bravo, poeta!
Uma ótima semana, com paz e esperança.
Beijo

J.P. Alexander disse...

Hya que bello poema . Tan profundo y misterioso. Te mando un beso.

Fatyma Silva disse...

Um lindíssimo poema, graça!
Obrigada pela partilha.
Agradeço pela visita e comentário em minha página.

Desejo de uma feliz semana.
Beijinhos

Os olhares da Gracinha! disse...

Belo poema aromatizado em maresia!!!👏👏👏... Boa semana!

Marco Luijken disse...

Hello Graça,
Wonderful words. Very special to read.
And you have caught a nice image with that face.

Many greetings and hug,
Marco

Anete disse...

Densidade e beleza no seu poema. O mar é bem assim, fala à alma fundamente.
Grande carinho neste dia. Boa semana...

São disse...

Belissimo, minha querida Amiga, belissimo mesmo!!

Carinhos abraço com voto de tudo de bonito na tua vida.

A.S. disse...

Como sempre, os teus poemas têm uma beleza imensa.
Gratidão Graça, pelos maravilhosos momentos que me proporcionas!

Muita saúde e continuação de boa semana.
Beijo.

© Piedade Araújo Sol (Pity) disse...

Boa tarde Graça
Um naufrágio em forma de poema cheio de sensibilidade.
Quantas vezes acontecem na nossa vida.
Palavras ornamentadas de mar e cheiro de maresia.
Gostei muito!
Desejo uma boa semana com saúde
Um beijo
:)

alberto bertow marabello disse...

Siamo naufraghi a volte sballottati dei flutti, ma non ci arrendiamo, non ci arrendiamo mai.
Molto densa la tua poesia, amica Poetessa.
Un abbraccio

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Olá, querida Graça.Que imagem belíssima, bem escolhida para postar junto ao poema.
Penso que todos em alguma época fomos ou seremos náufragos.O naufrágio nos ajuda erguermos nossas tristezas acima dos céus e das águas, sendo que nos curamos após passarmos por isso.
Belo seu poema. Abraços!

Elvira Carvalho disse...

Gostei de reler o poema, desta vez acompanhado de uma belíssima imagem.
Abraço e saúde

Roselia Bezerra disse...

Boa noite de paz, querida amiga Graça!
Costurar com búzios brancos não deixa despregar jamais os sonhos da navegação sem naufrágio.
Senti serenidade ao contemplar a foto.
Tenha dias abençoados!
Beijinhos com carinho fraterno

Maria Emilia B. Teixeira disse...

Mergulhos devolvem a nós mesmos.
Bela imagem. Boa noite.Bjs

Vanessa Casais disse...

O meu filho está agora a estudar poesia na escola e estive a ler-lhe poemas seus.

Um beijinho Graça,
Vanessa Casais
http://primeirolimao.blogspot.com/

Rogério G.V. Pereira disse...

Em que naufrágio te salvaste?
Então eu não sei?
Não sou eu o olhar dessa gaivota
que pousa em tudo aquilo que te cerca?

Rajani Rehana disse...

Beautiful blog

teresa p. disse...

"em que naufrágio me salvei...? Na minha boca, um mar interior inunda as dunas mais distantes preferidas pelo vento, com areias em clandestinas danças."
Um poema lindíssimo, com inúmeras imagens poéticas que fazem olhar o mar sob outra luz e ver toda a magia que ele tem. Gostei muito da foto de António Costa Pinheiro que se ajusta perfeitamente ao texto.
Beijo.

Luiz Gomes disse...

Boa tarde poetisa Graça. Obrigado pelo texto maravilhoso. Uma excelente quarta-feira com muita paz e saúde.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e outros textos literários. disse...

Que belíssimo poema
Cara amiga Graça Pires!
Parabéns, pois adquires,
A mim, a beleza extrema
Da tua arte suprema
Que é externar poesia
Do belo que a alma irradia,
Quando capta, a tua mente
Qualquer beleza existente
Em imagem, a outros, vazia.

Tua nau de panos pandos
Para singrar mais veloz
Lembra o nauta em vento algoz
A surpreender, justo quando
O seu destino ir chegando,
Feito um Cabo Bojador
Que tanta tragédia e dor
Causou para os portugueses.
Ah, Graça, és cheia de graças
És poeta e ultrapassas
O belo. Tu és luz, talvez.

Parabéns! Vibrei com o teu poema, amiga querida! Deus seja louvado! Laerte.

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Graça. Que poema maravilhoso e de uma sensibilidade incrível. Ler e reler é o que nos resta, pobres mortais. Magnífico 👋👋👋👋👋
Ressalto a última estrofe. Eu me vi nesse mar, nesse naufrágio muitas vezes sofrido, mas tem uma hora, sabe-se lá qual, tudo volta à realidade.

solfirmino disse...

Amiga, gosto quando um poeta escreve sobre naufrágio e ensina a sair dele de forma magnífica como você sempre faz.
Amo esse livro. Uma lição de vida e composição poética, não cansarei de dizer.
Beijinhos

Maria Rodrigues disse...

Que se consiga ter sempre forças, para nos salvarmos dos naufrágios, que vão surgindo ao longo da vida.
Belíssimo poema.
Beijinhos

Jaime Portela disse...

Gostei de reler este magnífico poema.
Continuação de boa semana, amiga Graça.
Beijo.

tristan reveur disse...

em saber de poesia sei dos versos onde me perco.
um dia virá em que saberão da poesia do Eu.
Aqui vê-se..

Olinda Melo disse...


Por vezes, é de espanto o nosso olhar sobre a nossa resistência
às intempéries que conseguimos vencer na vida. Nem sabemos bem
em que momento, de que naufrágio nos salvámos.
Aqui, o seu texto poético tão lindo e profundo, faz-nos
reflectir e pensar que ainda temos instantes felizes que devemos
aproveitar e agradecer.

Bom fim de semana, querida Graça.
Beijinhos
Olinda

Megy Maia disse...

Minha querida amiga, Graça!
Arrepiante!
Por vezes é preciso naufragarmos para nos voltarmos a encontrar!
Um beijinho recheado de luz!
Gratidão!
💝💛💝Megy Maia

lanochedemedianoche disse...

Naufragar es justo ese momento que perdemos el timón, y escribimos bellezas.
Abrazo

Isa Sá disse...

Bonito poema.
Isabel Sá
Brilhos da Moda

Ana Tapadas disse...

Posso mergulhar nas águas deste belíssimo poema!
Beijo

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

Oníricamente marino. UN abrazo. Carlos

Agostinho disse...


Fiz-lhe, agora, uma única leitura, mas, seguramente,
se o percorrer em desencontradas horas do dia
revelar-se-á em diferentes roupagens:

No peito-ilha se guardam
venturas e desventuras,
suor e lágrimas, desde o início,
à espera do dia propício

Quando onde como?
Os búzios me dirão
enquanto costuro redes?
não os perca Eu da mão.

Um beijo Amiga Graça Pires.

Ana Freire disse...

Um verdadeiro mar de inspiração, onde nos sentimos mergulhar e envolver a cada palavra...
Mais um magnifico poema, que foi um verdadeiro privilégio, descobrir e apreciar!
Beijinhos!
Ana