22.2.21

Memórias de Isadora V



Sobre o esguio molde de minhas pernas 
acoitei o ritmo imprevisto de todos os rumores. 
Com elas soergui o corpo até ficar íntima do chão. 
Sobre elas me suspendi em movimentos 
leves, sensuais, clandestinos quase. 
Para não ruir. 
Para aprisionar os ventos. 
Para silenciar os medos. 

Os habituais saberes do bailado  
não me pertenceram nunca. 
Preferi imitar o desassossego da natureza 
como se uma incompleta dança 
me nascesse nos ossos 
até se esvair, entreaberta, 
no mais fulgurante cansaço.

Graça Pires
De Jogo sensual no chão do peito, 2020, p. 20

Se alguém quiser, pode ouvir o poema pode fazê-lo aqui:

https://youtu.be/bXRCgYDb7bg



58 comentários:

Mário Margaride disse...

Olá Graça!
Belíssimo poema! Na linha dos anteriores.
Sensual, erótico, sublime!
Gostei muito.

Uma excelente semana com muita saúde!
Beijos e abraços.

Maria João Brito de Sousa disse...

Foi um prazer ler e ouvir o seu poema, Graça.

Abraço.

A Paixão da Isa disse...

quando era criança dizia sempre que adorava ser bailarina mas isso nunca aconteceu mais um lindo poema como tu sabes escrever bravo bjs saude

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um excelente trabalho poético de que gostei.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Luiz Gomes disse...

Bom dia minha amiga Graça, obrigado poe esse maravilhoso pema no início de semana.

alberto bertow marabello disse...

Bellissima.
Danziamo tutti al ritmo delle voci

Buona settimana, amica Poetessa
Um beijo

LuísM Castanheira disse...

Mais um belíssimo poema deste teu livro - último - dedicado a essa figura espantosa que foi Isadora Duncan.

"[...]...aprisionar os ventos.
Para silenciar os medos.[...]".

Assim viveu, assim foi a sua desprendida e trágica vida.

Ver aqui estes teus poemas, encontro neles uma nova leitura. Não sei se será por, uma vez por semana, ou menos, por ter o tempo mais dedicado ao poema isolado. Talvez...mas gosto ainda mais deste novo momento. É uma grata prenda que de novo nos ofereces.
Obrigado pelos comentários e visitas.
Deixo um beijo, querida amiga Graça,
e cuidem-se, também.
Boa feliz e saudável semana.

silvioafonso disse...

A poesia mexe também
com o corpo. Linda
imagem. Belo poema.
Beijos e beijos,
muitos.

Rainbow Evening disse...

beautiful words

Os olhares da Gracinha! disse...

Um belíssimo bailado poético de palavras!!!... Boa semana!

carlos perrotti disse...

Versos carregados de sensualidade da obra e do psiquismo da grande Isadora. Memorável. Esta série sobre ela é definitivamente grandiosa.

Abarço grande, Poeta Graça.

São disse...

Bailado de palavras leve e solto como a imagem...

Beijinho amigo, excelente semana

Gracita disse...

Um exuberante bailado poético bordado em mágicas palavras
Lindíssimo minha amiga
Beijinhos

" R y k @ r d o " disse...


Adoro ver a beleza do bailado, nomeadamente da bailarina. Aquela leveza é simplesmente emotiva e impressionante.
.
Saudação poética.
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

brancas nuvens negras disse...

Um interessante poema que se destaca na mediania que percorre o panorama em que nos inserimos.
Um abraço

Mar Arável disse...

Quando as palavras bailam nos dedos da poeta
a poesia acontece
Bjs

Juvenal Nunes disse...

O homem é um ser da natureza e todos os seus movimentos devem estar em articulação com os seus ritmos.
Abraço poético.
Juvenal Nunes

Cidália Ferreira disse...

Maravilhoso, fantástico. Amei. Obrigada pela partilha :)

-
Coisas de uma Vida
-
Beijo e uma excelente semana.

betonicou disse...

Poema envolvente, que nos leva a um bailar de leitura . Gosto imenso quando isso acontece; nos envolve numa leveza transcendental. Grande beijo, Graça Pires. Feliz noite.

solfirmino disse...

Oi, amiga, "imitar o desassossego da natureza" é dançar como Isadora fazia.
Que belo poema.
Uma ótima semana para você.
Beijinho

Teresa Almeida disse...

Este poema é um sentimento que, por vezes, nos invade. É um bailado fulgurante até "ficar íntima do chão."
Que preciosidade, querida Graça!
Beijos.

ManuelFL disse...


Adorei o poema e a imagem que o acompanha.
Quando tudo nos maravilha é difícil sublinhar uma parte.
Mas aqui vai uma que hoje me tocou, amanhã poderia ser outra:

«Preferi imitar o desassossego da natureza
como se uma incompleta dança
me nascesse nos ossos »

Beijo Graça e bem hajas por partilhares o teu talento.

Majo Dutra disse...

A expressão corporal intuitiva e natural...

Lindo e original...

Tudo bom. Beijos, minha Amiga.
~~~~~

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
Um poema muito belo tecido com o virtuosismo de quem sabe impregnar na poesia o conhecimento do ser humano e deixar fluir em palavras poéticas de elevado nível a expressão corporal de tão interessante protagonista.
Adorei, minha Amiga e Enorme Poeta.
Um beijinho e continuação de uma boa semana, com saúde.
Ailime

A.S. disse...

Esta tua série de poemas inspirados pela figura incontornável de Isadora Duncan, deviam figurar em lugar de destaque no acervo literário e histórico dessa talentosa personagem.
A subtileza das imagens poéticas que deixas no poema são, verdadeiramente, subtis e deliciosas. Grato por nos proporcionares tão belos momentos, Graça.

Muita saúde, boa semana e cuide-se bem!
Beijos!

Megy Maia disse...

Olá minha querida amiga Graça!

Preferi imitar o desassossego da natureza
como se uma incompleta dança
me nascesse nos ossos
até se esvair, entreaberta,
no mais fulgurante cansaço.

Palavras escritas com tanta intensidade e sensibilidade.
Uma noite abençoada.
Um bailante beijinho.
Megy Maia☔💮☔

Mário Margaride disse...

Olá Graça!
Passei por, para desejar uma boa noite e ótima semana!

Beijinhos!

Marta Vinhais disse...

E deixei voz à leveza, à transparência, ao improviso...
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Elvira Carvalho disse...


Uma imagem maravilhosa e um belo poema que adorei e que se lhe ajusta em beleza e perfeição.
Simbiose perfeita.
Abraço e saúde

manuela barroso disse...

Como a dança de palavras avançam ao ritmo perfeito das metáfora nos habituais saberes do bailado num equílibrio tão sedutor!
Tão belo, Graça!
Um grande beijo!

Maria Rodrigues disse...

Uma dança de palavras compondo um poema sublime.
Beijinhos

Sinval Santos da Silveira disse...

Mestra / Poetisa, Graça Pires !
Tornar-se íntima ao piso, talvez seja
o segredo da bela e perfeita dança...
O difícil é explicar, como tu o fazes,
num belo poema !
Parabéns, amiga !
Uma ótima semana e um carinhoso abraço,
aqui do Brasil !
Sinval.

Jornalista Douglas Melo disse...

Amiga Graça,
Para não ruir diante das pessoas, muitos se superam, mesmo que estejam morrendo por dentro, silenciam seus medos mais secretos.
Belas letrinhas que caminham de mãos dadas.
Beijos e cuide-se!!!

bea disse...

Neste poema a Graça dá bem conta da natureza da dança da Duncan e do que a distingue dos modelos instituídos, dos passos certos e aprendidos, copiados, não originais. Isadora movia-se ao seu ritmo, seguia-se a si mesma. Inventava-se dançando.

Jaime Portela disse...

Se a Isadora pudesse ler esta série de poemas, ficaria deslumbrada, nomeadamente com a descoberta da génese da sua dança, para além da riqueza das imagens poéticas que abundam em cada poema.
Excelente, como sempre. Gostei imenso.
Continuação de boa semana, querida amiga Graça.
Beijo.

mz disse...

Maravilhoso! Fui ouvir o poema e a voz dá-lhe ainda mais alma.

Um abraço, Graça.

Elisabete disse...

OLÁ! BOA TARDE... VIM FAZER UMA VISITINHA E TE DESEJAR UMA TARDE DE PAZ! ABRAÇOS.

teresa p. disse...

"...aprisionar os ventos
para silencíar os medos."
Sublime! Todo o poema é intenso e carregado de sensualidade e emoção. A imagem é muito bela e impressionante,em consonância com as palavras.
Beijo

Tais Luso disse...

Um bailado que se fez com graça, leveza e criação, querida amiga!
Uma boa continuação de semana, agora também com cuidados redobrados, Graça!
Um beijo, amiga!

Olinda Melo disse...


Sim, movimentos clandestinos quase. Fora dos cânones
pré-estabelecidos de como deveria desenvolver-se o
bailado.
E vemos, querida Graça, como interpreta tão bem a vida,
os sentires, a sensibilidade dessa bailarina. Um gosto
ler esse seu poema, inserido no último livro dado à
estampa.

Beijinhos
Olinda

Mário Margaride disse...

Olá Graça!
Passei por aqui, para desejar um feliz fim de semana!

Beijinhos e muita saúde!

teresadias disse...

Amei este poema, mistura preciosa de ritmo, sensibilidade, beleza e sensualidade.
Querida amiga Graça, é sempre um gosto ler-te.
Beijo, muita, muita saúde.

Parapeito disse...

Que maravilha doce Graça!
Que mais se pode dizer.
Só a Graça.
Abraço e brisas doces **

José Ramón disse...

Buenas noches linda imagen para acompañar este lindo poema feliz fin de semana Saludos

Olinda Melo disse...


Bom dia, Graça

Vim ouvir o poema, adorei. Imagens de Isadora Duncan,
música de fundo, voz, tudo a ilustrar na perfeição
as palavras.

Obrigada.
Beijo
Olinda

Les uns et les autres disse...

"Para não ruir.
Para aprisionar os ventos.
Para silenciar os medos. ", lindíssimo

Maria disse...

Podemos acreditar que tudo que a vida nos oferecerá no futuro é repetir o que fizemos ontem e hoje. Mas, se prestarmos atenção, vamos nos dar conta de que nenhum dia é igual a outro. Cada manhã traz uma bênção escondida; uma bênção que só serve para esse dia e que não se pode guardar nem desaproveitar. Se não usamos este milagre hoje, ele vai se perder. Este milagre está nos detalhes do cotidiano; é preciso viver cada minuto porque ali encontramos a saída de nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista correta para a decisão que tomaremos. Nunca podemos deixar que cada dia pareça igual ao anterior porque todos os dias são diferentes, porque estamos em constante processo de mudança.

Alice Alquimia disse...

Uma bonita exposição em forma de poesia.

Gaby Soncini disse...

A dança que nasce da poesia de dentro. Belas imagens poéticas e sonhadoras Graça!

Abraços!

lanochedemedianoche disse...

Un sueño tu poema, brilla y seduce para no colapsar, una creación maravillosa.
Abrazo

Pedro Luso disse...

Olá, amiga Graça, gostei muito desse seu poema que me lembrou de uma dança moderna de um de nossos grupos brasileiros, que fazem verdadeira poesia corporal.
Muito bonito poeta amiga.
Um feliz fim de semana, com paz e saúde.
Beijo.

Vanessa Casais disse...

Adoro a sua poesia Graça. Fico verdadeiramente tocada com as suas palavras e com a forma como as costura. É única.

Obrigada pela partilha.

Bom fim-de-semana,
Vanessa Casais
https://primeirolimao.blogspot.com/

Mário Margaride disse...

Olá Graça!
Passei por aqui, para reler este lindo poema, e desejar uma boa semana!

Beijinhos!

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

La gracia de Isadora Duncan y la levedad de su cuerpo en este serial de poemas, la danza ruptural que le ofreció al mundo otra manera de ver la cinética del cuerpo hecha movimiento y arte. Un abrazo. Carlos

Ana Freire disse...

A dança... ao ritmo da vida... com a leveza e a profundidade, que as suas inspirações sempre nos oferecem, Graça!
Mais uma verdadeira maravilha poética, por aqui!
Um beijinho! Continuação de uma excelente semana!
Ana

ANNA disse...

Muchas gracias por dejar tu huella en en blog
te mando el blog de una amiga por si quiere visitarlo
http://gemma-relatos-cuentos-para-todos.blogspot.com/

cuidate mucho
Besos

baili disse...

dance is beautiful expression displayed by limbs ,it is gift rarely given to some that take it to the heights of performance and i can see how genuine she was ,she got this in her bones and her body spoke it smoothly and fluently
beautiful poetry!
hugs and prays dear Grace!

José Carlos Sant Anna disse...

Gosto deste modo sutil de aprisionar as palavras e o fazes com leveza tal que elas ficam livres em imagens transcendentes para traduzir o encanto dos “bailados” de Isadora. Belíssma composição, Graça!
Um beijo, minha amiga!