12.4.21

Trouxe o restolho dos fenos



Trouxe o restolho dos fenos 
e um mel antigo sobre os lábios. 
Furtou um barco no rio para remar 
lentamente no rendilhado 
das margens que oferecem às aves 
um ninho clandestino. 
Mergulhou de cabeça para dar aos peixes 
o suco guardado em sua boca 
e o perfume entranhado nos dedos 
presos ao caudal da corrente. 
Vacilante, enrolou o sorriso no passado 
e chorou com saudades do sul.

Graça Pires 
De A solidão é como o vento, 2020, p. 9

60 comentários:

brancas nuvens negras disse...

A saudade como motivação para a poesia, sempre um tema fecundo.
Um abraço.

Maria João Brito de Sousa disse...

Tento construir mentalmente a imagem desse alguém ou algo - a solidão/solitude? - que se devolva aos peixes do rio em lágrimas de saudade...

Um beijo, Graça.

Mário Margaride disse...

Belissimo poema! Onde a saudade e a melancolia, estão bem patentes nesta imensa solidão...
Gostei muito.
Parabéns!

Feliz semana, amiga Graça!
Beijinhos!

" R y k @ r d o " disse...

Quando a saudade chora tudo é triste em seu redor. Foto fascinante, poema sublime.
.
Boa semana. Cumprimentos.
.
Pensamentos e Devaneios Poéticos
.

chica disse...

Que maravilha e os dois versos finais são sublimes...Linda imagem também! bjs, tudo de bom,chica

Flor disse...

As margens e o fundo dos rios escondem tanta coisa. Abandono...

Beijinhos e obrigada pela visitas ao "meu Café".

Maria Isabel Quental (Flor)

Luiz Gomes disse...

Bom dia Graça, obrigado pelo seu texto maravilhoso, a pintura é especial.

Ailime disse...

Boa tarde Graça,
A saudade, o sorriso dissimulado, todo o cenário fazem deste poema um momento em que "a solidão é como o vento", que por vezes não passa.
Muito belo este poema, minha Amiga e Enorme Poeta.
Um grande beijinho e uma boa semana, com saúde.
Ailime

alberto bertow marabello disse...

Che bel viaggio nelle tue parole, amica Poetessa.
Buona settimana con molta salute.
Um beijo

Luis Eme disse...

Cada vez tenho menos palavras para adjectivar a tua poesia sempre tão sensitiva, tão viva...

abraço Graça

Cidália Ferreira disse...

Muito bonito!! :)
*
Olho convicta da graça que acolho...
*
Beijos, e uma excelente semana

silvioafonso disse...

Eu não sei porque, poeta,
mas, Camões passou por qui?
Delícia de postagem, Graça.
Adorei, como sempre.
Beijos e beijos, muitos.

Lúcia Soares disse...

Boa tarde amiga tudo muito lindo bjs

R's Rue disse...

Beautiful.

teresadias disse...

Uma imagem soberba, um magnífico rendilhado de versos.
Minha querida amiga Graça, adoro ler poemas teus.
Beijo, muita saúde, boa semana.

A.S. disse...

Também nós partimos na distância, somos longe a cada instante
"enrolamos o sorriso no passado e choramos com saudades do sul"
Muito belo o seu poema amiga Graça!

Uma boa semana com muita saúde.
Beijos.

Gracita disse...

Este rendilhado poético está visceral amiga Graça
Extasiada com esse seu versar
Beijinhos

carlos perrotti disse...

Poema de melancolia. A solidão não acontece em todos os lugares. Existem homens cheios de instáncias e verdades. A sua poesia sempre me deixa vibrando, Graça. A foto com que você ilustra ressoa em seus versos, amiga.

Abraço grande. Cuíde-se bem por favor.

bea disse...

É uma deusa das águas essa aí do poema, e toda se diz e esparge no rio que corre.
Não saberei nunca até ao fim o sortilégio dos poetas que em parcas palavras brilham e dizem o que eu em muitas não almejo.
Muito belo, Graça. Boa semana.

Roselia Bezerra disse...

Boa tarde de paz, querida amiga Graça!
Trazer nós lábios a doçura de sempre é fundamental.
Sempre ricos seus poemas.
A saudade faz chorar muito.
Que nosso sorriso não seja vacilante!
Tenha toda paz que precisa e seja protegida do mal.
Beijinhos carinhosos e fraternos

São disse...

A saudade , seja do que for, desagua sempre em lágrimas...

Amiga, te abraço.Boa semana

JUAN FUENTES disse...

Los poemas son lo mejor de la literatura.

eli mendez disse...

Me he quedado con la lectura de los dos últimos versos que son tremendamente fuertes y guardan la esencia de un poema maravilloso.
Tristeza, melancolia en tus versos tan emotivos como nos tienes acostumbrados. Fuerte abrazo Grace y excelente inicio de semana con buena salud y esperanza para todos

José Ramón disse...

Lindo verso y fotografía Saludos

Marta Vinhais disse...

Saudade do tempo em que tudo era mais simples....
Lindo...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Juvenal Nunes disse...

Barco encalhado não desafia marés.
Abraço poético.
Juvenal Nunes

A Paixão da Isa disse...

amiga como é bom vir e ler adorei bjs

© Piedade Araújo Sol disse...

A saudade como tema de fundo, a sensibilidade em cada estrofe.
Gostei muito da foto de suporte.
Boa semana.
Beijinhos
:)

Anete disse...

Profundo, denso e. bonito! A imagem também traz detalhes e expressões grandiosas...
Muita saúde... O meu carinho...

Gaby Soncini disse...

Tenho andado com essa sensação de um sorriso lá no passado, tão bonita essa imagem.
Obrigada Graça pelo carinho e por sempre mostrar lindos imaginários em seus poemas.

Beijos!

Pedro Luso disse...

Olá, minha amiga Graça,
um belo canto envolto num manto de saudades com versos de grande sensibilidade.
Gostei imensamente, talentosa poeta.
Parabéns.
Uma boa semana.
Um beijo

Duarte disse...

Sempre existe um porto com cheiro a feno e um braco no qual navegar e nele encontrar tão bela inspiração.
Gosto deste destilar de versos de pureza.
Abraços de vida, querida amiga poetisa.

manuela barroso disse...

Quando juntas nos teus quadros poéticos a natureza e as emoções,crias uma ambiência de indescritível beleza e nostalgia . E fico também com saudades de um sul .
Um grande beijinho com saúde, Graça!

ManuelFL disse...

Trouxe um mel antigo sobre os lábios e,
vacilante, enrolou o sorriso no passado.

Este poema é uma canção de amor e solidão, sonho e nostalgia, a vida como procura inacabada, suco guardado na boca.

Beijo.

Lucinalva disse...

Olá Graça
Poema interessante, desejo um belo dia, bjs querida.

Alice Alquimia disse...

Fico prendendo o ar enquanto leio seus versos.

Olinda Melo disse...


Um rendilhado encantado este seu poema, querida amiga Graça.
Perfume e mel que nos chegam aqui, dedilhando palavras em
em sons que vêm de longe.
Gostei muito.
Beijos
Olinda

Mar Arável disse...

Há barcos que se movem no cais
Bj

Mário Margaride disse...

Olá, Graça!
Passei por aqui, relendo este lindo poema, e desejar uma boa semana!

Beijinhos!

Os olhares da Gracinha! disse...

Saudade... lágrimas e poesia combinam na perfeição!!! 👏👏👏👏👏... Bj

Teresa Almeida disse...

O título agarra-nos como um apelo, uma urgência. Depois, entranhamo-nos na melodia de cada imagem, de cada palavra. E é assim tudo o que vem de ti.

Beijos, minha querida poetisa Graça.

Megy Maia disse...

Fico encantada a ler os seus poemas!
Repletos de luz e sabedoria!
Um doce beijinho!
Megy Maia🐦♡ 🐦

Vanessa Casais disse...

Adoro os seus poemas Graça.

Votos de um bom fim-de-semana e muita saúde.
Vanessa Casais
https://primeirolimao.blogspot.com/

baili disse...

an really very touching poem dear Grace !

your magical expressions in harmony of fascinating image captivated my senses completely for while

i wander if science can explain how and why such powerful longing for native land exists in the soul of each outlander
thank you for always satisfying my nerve anxious for great poetry !
hugs and blessings!

teresa p. disse...

"Vacilante, enrolou o sorriso no passado
e chorou com saudades do sul."
Excelente poema onde a solidão e a melancolia estão patentes em cada verso. Gostei muitíssimo.
A imagem é linda!
Beijo.

Jaime Portela disse...

Poema belíssimo e de excelência poética.
Gostei muito, pois claro.
Bom fim de semana, querida amiga Graça.
Beijo.

Fá menor disse...

Fico sempre deliciada com as suas palavras numa rede tão bem urdida!
Belo, muito belo!

Bom fim-de-semana!
Beijinhos.

Mário Margaride disse...

Olá, Graça!
Passei por aqui, relendo este lindo poema, e desejar um Feliz fim de semana.

Beijinhos!

Rajani Rehana disse...

Beautiful blog

Nal Pontes disse...

Oi Gracinha. Lindo poema. Grande inspiração. Vim te desejar um bom fim de semana na Paz do Senhor Jesus. Bjs querida

Mirtes Stolze. disse...

Boa noite Graça
Que linda poesia amiga. É a saudade chora é doei muito. Um feliz final de semana para vocês. Carinhoso abraço

Carlos Augusto Pereyra Martínez disse...

La soledad nos genera nostalgias, que nos llevan a dar parte del dulce recuerdo al paisaje, al agua. Un abrazo. carlos

LuísM Castanheira disse...

Um poema metaforicamente belo. A vida dividida entre dois mundos, dois caminhos. A saudade do primeiro na escolha do segundo. E esta entrega, na mais pura dádiva, dos bens últimos que
à boca lembram, como se fossem riquezas faraónicas no subquático destino.
Perde-se o Sul e morre-se aos poucos.
Gostei muito. Esta tua excelência de escrita deixa-me sempre alvoraçado.
Um beijo, querida Graça, e um domingo feliz. Beijo.

Les uns et les autres disse...

Um poema lindíssimo, não de solidão, pelo contrário, ao lado da natureza e uma saudade intensa!

Manuel Veiga disse...

Há mergulhos assim
que se entranham pela vida fora...
amei o poema, Graça
és uma senhora de uma poderosa cintilação poética,

beijo, minha Amiga

Emília Pinto disse...

É uma benção, quando amanhece e o nosso barco está prontinho para mais um percurso neste rio que é a vida; nem sempre o rio corre , com águas tumultuosas e assim, podemos " remar" calmante, aproveitando a beleza que sempre há nas suas margens; nem sempre as águas são limpidas, nem sempre vemos os peixinhos saltitando à volta do barco e tantas vezes os remos se prendem em pedregulhos que não esperavamos encontrar, mas há que ter calma, porque lá, mais adiante, a paisagem pode mudar: afinal tudo mudo a cada instante e se, agora o rio está com águas sujas e com pedras no seu leito, quem sabe se, na volta ao seu porto de abrigo, não estará tudo limpido e florido? O que importa é que, a cada amanhecer, o barquinho esteja pronto para mais uma viagem e que saibamos remar com calma, sem o apressar. Um belo poema, como sempre, Amiga Graça; um poema nostálgico, como nostalgicos são os dias que nos trazem, no barquinho que nos devolve a casa, um emaranhado de emoções vividas. Um beijinho, Amiga e SAÚDE para todos aí em casa. Obrigada!
Emilia

solfirmino disse...

Ah, Graça, você sabe da minha canoa azul... que saudades! Que bom que não era rio, era mar... mas também passamos entre alguns rios com ela. Ah, saudade!
Ótima semana, amiga.
Beijinho

Ana Freire disse...

Um poema muito belo e nostálgico, onde se sente a saudade tão presente... e não é fácil explicá-la!... Aqui conseguiu-se de uma forma sublime!...
Adorei cada palavra, Graça! Um beijinho! continuação de uma boa semana!
Ana

José Carlos Sant Anna disse...

O tempo sempre nos empresta um rosto em duas metades. Um bem conhecida e outra só distâncias.
A liturgia do eu poetar é inconfundível e as palavras, como as apanha em sua onírica tessitura.
Um beijo, minha amiga!

Parapeito disse...

Adoro este poema!
Faz dias que o li.
"Trouxe o restolho dos fenos"
tão bonito, doce Graça, já sinto saudades de o ler de novo.
Abraço **